Blog sobre Teologia contemporânea. Devocionais, artigos e Estudos Bíblicos indutivos

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Salmos 52


Salmos 52

 O Salmo é um cântico imprecatório contra um dos inimigos de Davi, o traiçoeiro   Doegue edomita .
 Quando Davi fugiu de Saul obteve disposições urgentes por parte dos sacerdotes em Nobe   (1 Sam 21: 1-9).  Ele foi visto por Doegue, edomita e um servo de Saul, que informou o caso a Saul. Saul mandou que Doegue matasse todos os sacerdotes de Nobe.  Foram     85 sacerdotes e suas famílias  que foram  mortos por Doegue. Davi então compôs um salmo clamando pela justiça e confiando na retribuição divina.
A versão utilizada é a Bíblia João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada (JFA-ARA).


Salmos 52

1 Por que te glorias na malícia, ó homem poderoso? pois a bondade de Deus subsiste em todo o tempo.
 A maldade é motivo de orgulho para o ímpio, sua altivez e perversidade faz com que ele não sinta nenhum arrependimento por ter praticado injustiça e destruição. O crime cometido é de uma gravidade monstruosa. Sacerdotes foram mortos dentro da casa de Deus. E isso não lhe pesa o coração, pelo contrário ele se gaba de ter feito grande ato, como se fosse um herói, um grande homem!
Observe o contraste que Davi  faz com Deus, que em seu poder soberano usa de bondade para com os homens. Sua bondade é sua glória. Deus se alegra sendo bom eternamente.

2 A tua língua maquina planos de destruição, como uma navalha afiada, ó tu que usas de dolo.
O mau Doegue é conhecido por sua habilidade em maquinar planos de destruição. Tal como qualquer ímpio, sua língua é instrumento de morte, de traição e de engano. É um homem que não teme a Deus , nem se preocupa com sua lei moral.

3  Tu amas antes o mal do que o bem, e o mentir do que o falar a verdade.
  Existem muitas pessoas que inexplicavelmente amam o mal, se alegram em ver o sofrimento alheio, a isso chamam os entendidos de uma disfunção, de fato, uma disfunção diabólica , elas demonstram várias características do que é conhecido como “Dark Tetrad” (em português, algo como “tétrade obscura”). Trata-se da interseção de quatro características terríveis: sadismo, maquiavelismo, narcisismo e psicopatia. As pessoas com esses traços de personalidade adoram magoar os outros, são extremamente enganosos, e não têm remorso por suas maldades. Mentir seria tão natural para este tipo de pessoa como bocejar ou se vestir.

4   Amas todas as palavras devoradoras, ó língua fraudulenta.
 Doegue agiu com astúcia e fraude ao informar a Saul de algo que não lhe dizia respeito e ainda por cima , de maneira enganosa e traiçoeira. Quantas pessoas agem com tal intenção hoje em dia? Vemos no Novo Testamento a mesma atitude na Judas Iscariotes que  foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo, e que  veio a ser o traidor que entregou Jesus aos seus captores, no sinédrio, por trinta moedas de prata.

5  Também Deus te esmagará para sempre; arrebatar-te-á e arrancar-te-á da tua habitação, e desarraigar-te-á da terra dos viventes.
As imprecações do salmista contra os ímpios são duríssimas. Ele não se contém em sua ira contra a imensa atrocidade  cometida contra os sacerdotes de Nobe. Em palavras que foram divinamente inspiradas  , palavras proféticas, é feita uma descrição terrível de um julgamento contra os inimigos de Davi e inimigos de Deus.

6 Os justos o verão e temerão; e se rirão dele, dizendo:
Justo é aquele que confia no Senhor e aparta-se do mal. Neste sentido os justos hão de alegrar-se no momento em que Deus exercer o direito e o juízo sobre os maus. A fala do justo é dividida em dois momentos nos versículos seguintes:

7   Eis aqui o homem que não tomou a Deus por sua fortaleza; antes confiava na abundância das suas riquezas, e se fortalecia na sua perversidade.
  A primeira parte é a descrição do motivo da derrocada e da destruição do perverso. Ele está ali, julgado e abatido por que excluiu Deus de sua vida, não dez do Altíssimo como sua segurança, antes confiou em suas posses, em sua força humana. Ele considerou que sua maldade e sua crueldade poderia protegê-lo.  Como é tolo o homem que confia em si mesmo, está fadado ao fracasso.

8 Mas eu sou qual oliveira verde na casa de Deus; confio na bondade de Deus para sempre e eternamente.
 No segundo momento é considerado a força dos fiéis, que se estabelece sobre a grande bondade de Deus. Suas bases estão seguras e não vacilam, é como uma oliveira que se prolonga indefinidamente verde, não envelhece , adoece ou morre pois esta vivendo e sendo alimentada  na casa de Deus. Nós também seremos como esta oliveira, um dia seremos transformados, seremos à imagem e semelhança do Cristo ressuscitado, não morreremos, nem adoeceremos mais, eternamente.


9  Para sempre te louvarei, porque tu isso fizeste, e proclamarei o teu nome, porque é bom diante de teus santos.
O júbilo do que confia em Deus é duradouro, permanente. Ele vive a louvar ao Senhor por que ele faz justiça aos seus escolhidos, que andam nos seus caminhos.
Esta confiança nos sustenta , apesar de vermos o mal temporariamente 
Share:

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Aprenda com os pastores de Belém

Dia 25 de dezembro comemoramos o Natal. Não temos  a data correta, pois não se sabe ao certo em que dia o Senhor Jesus nasceu, até porque não há uma data específica registrada na Bíblia. Existem muitas teorias que tentam explicar o motivo de convencionar-se o dia 25 de dezembro. Mas o motivo da convenção não é importante e não vou explicar isso aqui.

Apesar da referência comercial que virou o natal para muitos, do apelo emocional do presente, da comunhão com familiares, da festa em si, para o cristão esta festa se reveste uma importância  especial.
Este motivo é o nascimento de Jesus. Ele  teve  em Belém da Judeia, um nascimento   singular, simples e humilde.

Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.
E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.
E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:
Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
Lucas 2:8-11

Natal é uma busca

Os primeiros a buscarem o menino Jesus foram os Pastores. O anjo do Senhor apareceu a ales e anunciou o nascimento do filho de Deus. Imaginem a grande alegria daquele dia. Uma visita esplendorosa, cheia de glória,  olhe lá um anjo , ele desce dos céus para anunciar a eles, pobres e humildes pastores o nascimento do próprio Deus. Na mente dos pastores as figuras de Moisés, de Elias, de Davi  certamente representavam o máximo de intimidade e conhecimento de Deus que um homem poderia alcançar. Moisés o homem que falava face a face com Deus. Elias o homem que subiu aos céus arrebatado , e não viu a morte. Davi o rei que foi conhecido como homem segundo o coração de Deus.
Mas eles, os simples e pobres pastores recebiam o anúncio do maior evento de todos os tempos : O nascimento do Filho de Deus.E mais do que isso, eles foram convidados formalmente a irem pessoalmente conhecer este menino Maravilhoso. O anjo lhes  indicou o caminho. O encontro angelical ainda não havia acabado, logo depois do anúncio aparece uma comitiva celeste, uma multidão de anjos cantando e louvando a Deus, uma melodia que deveria ser muito especial , muito linda. O encontro é encerrado quando os anjos explicam por que os pastores foram agraciados com esta visita. Deus havia se movido de boa vontade para com os homens, por isso Jesus nasceu. Deus manifestava o quanto ele se preocupava com os homens enviando seu filho, em forma humana para corrigir , ensinar e morrer pela humanidade.

E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.
E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:
Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.
E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber.
Lucas 2:12-15

Os pastores saíram correndo para encontrar Jesus. Eles queriam ver Jesus. Conhecer Jesus. A salvação, a graça, o próprio Deus estaria ali, diante de seus olhos. E eles, pastores de Belém poderiam tocar, cheirar, abraçar, poderiam ouvir o choro do mais incrível e majestoso bebê que o mundo já conheceu. Eles depressa entenderam o alcance e importância da mensagem angelical
O dia  mais maravilhoso de todos os tempos, o dia que divide a história humana. O dia em que o milagre da encarnação divina se concretizou, o plano eterno de Deus estava se cumprindo e foram os humildes e anônimos pastores que primeiro contemplaram esta magnífica verdade.


Hoje é dia de lembrarmos este maravilhoso encontro.O encontro de José e Maria com Jesus. O encontro ansioso dos pastores com Jesus. Eles não negligenciaram o convite, mas eles creram e foram depressa encontrar Jesus. Nesta noite lembra que Jesus está vivo e deseja nos encontrar e nos abraçar, e deseja que sintamos o quanto nos ama. Só precisamos ter a mesma fé e mesma fome e sede de Deus que tiveram os humildes pastores de Belém. Buscar.
Share:

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Salmo 97 - O Senhor Reina

Este  salmo que fala sobre o reinado de Deus sobre o Mundo e seu triunfo eterno. Faremos mais    uma análise indutiva, versículo por versículo.  A versão bíblica  utilizada é a ARA  (Almeida Revista e Atualizada).  Este será um Estudo Bíblico Indutivo do Salmo 97.


Salmos 97 
 O Salmo todo é um elogio à grandeza e majestade divina. O salmo não revela o autor, mas a sugestão de composição pelo rei Davi é interessante, dada a habilidade que o poeta demonstra
 Assim como a autoria, a data e o local da composição nos são desconhecidas.


1 - O Senhor reina, regozije-se a terra; alegrem-se as numerosas ilhas.
Aqui o salmista usa um antropomorfismo, atribui às ilhas e a terra sentimentos de alegria por serem governadas por Deus. A natureza jubila por que foi criada e está sendo regida pelo maravilhoso Legislador e Governador soberano do Universo

2 - Nuvens e escuridão estão ao redor dele; justiça e equidade são a base do seu trono.
É impressionante o conhecimento dos atributos divinos que exibe escritor destes versos. Ele compreende que apesar do mistério que envolve a grandeza do Trono de Deus( por isso a escuridão e as nuvens) , mesmo assim ele consegue divisar as bases deste trono que são a Justiça e o Direito. Deus não é injusto, não é maldoso nem age com parcialidade. Apesar de ser soberano, ele é justo e correto, estas são as bases de sua Autoridade. 

3  - Adiante dele vai um fogo que abrasa os seus inimigos em redor.
A Justiça divina é purificadora e terrível , sua correção e seu direito não anulam o fogo devorador que emana de seu trono. Ninguém há que possa resistir ao Senhor nem deter o fogo purificador  que destrói o perverso.Este fogo  não só destrói o perverso como purifica o pecador arrependido, mas sobre isso saberemos mais somente nos livros do Novo Testamento e nas cartas paulinas, aqui o salmista não se detém neste tema.

4  - Os seus relâmpagos alumiam o mundo; a terra os vê e treme.
Mais uma declaração de sua terrível grandeza. Toda terra contempla a sua Majestade através das obras da criação. Quem pode controlar os relâmpagos? Quem pode impedi-los? Isso é prova da  poder miraculoso do Altíssimo, só ele governa sobre a sua obra. 

5 - Os montes, como cerca, se derretem na presença do Senhor, na presença do Senhor de toda a terra.
Essa é mais uma das várias figuras que o salmista utiliza para manifestar a imensidão do Senhor. A  imagem que nos vem a mente é a de um vulcão entrando em erupção como se fosse uma salva de glória natural para a chegada do Rei do Universo. A própria natureza utiliza seus meios para homenagear e honrar seu Criador.

6 - Os céus anunciam a sua justiça, e todos os povos vêem a sua glória.
 Mais uma vez o autor nos coloca diante de nós dois atributos inseparáveis, duas faces da mesma moeda: Justiça e Glória. Não se pode pensar em Deus sem pensar na sua Glória nem  na sua justiça. Aqui elas são apresentadas juntas para que seja ressaltada sua vinculação necessária.  Muitos desejam fazer uma imagem de um senhor Sublime , Glorioso, mas ao mesmo tempo despreocupado com as atitudes erradas e os deslizes humanos. Não percebem que assim estão a diminuir o Senhor. Por outro lado existe aqueles que exaltam a justiça divina em detrimento de sua glória, deixando de adorar profundamente o Rei dos reis e Senhor dos senhores.
Todos os homens conhecerão , ainda que hoje o neguem e rejeitem, a face gloriosa e justa do Altíssimo. 

 7 - Confundidos são todos os que servem imagens esculpidas, que se gloriam de ídolos; prostrai-vos diante dele, todos os deuses.
A ironia do salmista presta-se a ridicularizar as  divindades pagãs. Somente resultará confusão aos que servem imagens e esculturas. O convite é feito para que os ídolos de madeira e escultura se prostrem aos pés do Verdadeiro e único Deus. É claro que o convite será recusado por que os ídolos são nada, nulos em si mesmos,  e assim como eles são os que os adoram.

8 - Sião ouve e se alegra, e regozijam-se as filhas de Judá por causa dos teus juízos, Senhor.
O reinado do Senhor traz alegria aos moradores da Terra, nosso Deus é sábio e justo em seu governo, por isso  o povo de Judá não precisava ficar ansioso ou angustiado, é preciso acreditar que o  Senhor trará a justiça completa e perfeita sobre toda a Criação.

 9 - Pois tu, Senhor, és o Altíssimo sobre toda a terra; tu és sobremodo exaltado acima de todos os deuses.
Na verdade não há outros deuses verdadeiros, o que existe são divindades falsas criadas pelos homens . Deus é exaltado acima de todas as criaturas da Terra, sejam elas verdadeiras ou meras imagens formadas na mente  humana. 
Altíssimo é um superlativo de grandeza usado somente para Deus em toda a Bíblia, é uma palavra que descreve a totalmente transcendência do Senhor em relação à sua criação.Ele vai  muito além da nossa compreensão humana falível.

10 - O Senhor ama aos que odeiam o mal; ele preserva as almas dos seus santos, ele os livra das mãos dos ímpios.
Imagine um Ser Todo Poderoso e que não fosse justo, não agisse  de acordo com a verdade e além disto fosse dado a caprichos de todos os tipos. A vida de um homem justo se tornaria insuportável, ele não teria nenhuma esperança de que seu esforço seria recompensado, por outro lado o injusto e mau não deveria se preocupar pois que não teria ninguém para castigar suas atitudes, não teria punição alguma para suas violações e maldades. Tal não ocorre com o nosso Senhor, o único e verdadeiro Deus, ele é mais do que justo, seu caráter é amoroso , e o alvo deste amor são os que odeiam o mal, aos quais ele trata como santos, ou seja separados dentre os impuros e profanos.  Na verdade quem ama a Deus aborrece o mal, e quem aborrece o mal ama a Deus, pois o Senhor é a própria  bondade .
 Quando chegar o tempo do julgamento dos ímpios , os que odeiam a maldade serão poupados por Deus.


11 - A luz é semeada para o justo, e a alegria para os retos de coração.
A luz se espalha na vida dos justos, e a alegria encherá a alma de quem têm coração sincero para com Deus. A luz difunde-se para o justo, e a alegria, para os retos de coração. Haverá prazer e alegria para quem se esmera em praticar o bem e se afasta do mal. Ainda que muitas de suas boas atitudes sejam realizadas em oculto, longe dos holofotes dos homens, longe dos aplausos e dos elogios, sabemos que Deus irá alumiar as obras feitas com amor e por amor ao seu nome. Neste sentido a luz é semeada, ou seja, plantada , e no devido tempo ela irá nascer e iluminar estas obras justas. Mas ela virá no tempo certo, determinado pelo Altíssimo.

12 - Alegrai-vos, ó justos, no Senhor, e rendei graças ao seu santo nome.
 O amor do Senhor é um amor imprevisível , ele sempre está pronto a trazer algo diferente e glorioso para revelar aos seus amados. Por isso seus escolhidos vivem a jubilar e alegra-se. Eles não se jubilam por algo que lhes possa dar o Criador, mas alegram-se na própria revelação do nome do Senhor. Por isso o salmista se  regozijava  em Deus e   engrandecia ao Onipotente   em meio aos louvores.

Share:

Salmos Imprecatórios

Salmo 6  -   Salmo 7  -  Salmo 35  -   Salmo 40   -   Salmo 55  -  Salmo 58   -  Salmo 59  -    Salmo 69  - 
   Salmo 79  -  Salmo 109       


Salmos imprecatórios são salmos que expressam de maneira dura, realista e viva, os  sentimentos de ira dos salmistas contra os ímpios.  As palavras destes versos  são  fortes e agressivas,  elas , em muitas vezes   confrontam  nossa   sensibilidade cristã. As imprecações  são um  veículo literário de vibração fogosa da alma semita, fortemente imaginativa e realista, mostra o ímpeto de uma alma que está fervendo de ódio contra o mal. Um ódio justo, que reflete um coração preocupado com a pureza e a santidade do povo de Deus.   

Para fazermos uma apreciação justa deste tipo de salmo precisamos entender que a realidade vivida pelos salmistas que compunham estas imprecações era bem diferente da nossa. Eles não haviam ainda sido ensinados pelas palavras de Jesus e nem ensinados pelo Apóstolo Paulo  sobre o amor universal de Deus pelos seres humanos .  Para estes poetas , o povo israelita era o povo escolhido por Deus , a nação em que habitava Sua Glória. Os inimigos do povo hebreu eram inimigos do Senhor, e deveriam ser aniquilados pela justiça divina. Esse era o sentimento latente destes salmos.
Além disto os salmitas não estava desejando a morte pela morte, nem a destruição daqueles que simplesmente não haviam nascido hebreus,  na verdade  eles ansiavam pela justiça do Senhor sobre os ímpios, sobre os maus que maltratavam os justos. Não era o caso de estarem desejando a ira pela ira e a morte pela morte. Era uma retribuição moral que os salmistas desejavam.
Através dos salmos imprecatórios percebemos a ferocidade da ira divina sobre os cruéis, os devassos, sobre os malignos, sobre os que assolam os justos. Deus usou seus salmitas para expressarem o ódio que Ele mesmo sentia contra a injustiça.
O ódio contra os malignos compreende-se atendendo a que eles não eram simples inimigos pessoais, mas gente que punha em perigo a fidelidade à Lei do Senhor, tentadores, encarnação das potências do mal, gente que com as suas maquinações tentava afastar o justo da prática religiosa. Eram muitas vezes seres repulsivos que adoravam ídolos e ,não raro, queimavam seus próprios filhos em altares para suas práticas rituais. 



Fazendo uma aplicação prática para os dias de hoje, obviamente á luz das palavras de Jesus 

Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; (Mat. 5.44)


Naturalmente , não devemos supor que estas orações devam ser o modelo de nossas orações. Jesus nos ensinou a amar nossos inimigos. A moral cristã é bem exigente com relação a isso. Não encontramos porém contradição entre os salmos imprecatórios e os ensinos de Cristo , visto que  estas passagens do AT queriam nos ensinar sobre a ira de Deus que repousa sobre as injustiças e maldades que os homens cometem, além de nos mostrarem como a impiedade comove e inquieta o verdadeiro filho de Deus. De fato, os salmos imprecatórios estariam bem adequados àquele ensinamento de Jesus no Sermão da Montanha:

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos”. Mateus 5:6  






Share:

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Movimento Neopentecostal

O Movimento Neopentecostal é uma dissidência do Pentecostalismo, adotando práticas parecidas com os pentecostais em algumas áreas, apesar disto possuem uma identidade distinta. Dão ênfase na busca de revelações diretas da parte de Deus, de curas milagrosas para doenças e a batalha espiritual entre forças espirituais do bem e do mal, que afirmam ter consequências diretas em sua vida cotidiana. São, em geral, mais flexíveis e modernas em questões de costumes em relação aos pentecostais tradicionais.


Estas  igrejas apresentam práticas que as afastam do cristianismo histórico em alguns aspectos e que, mais especificamente.
O Neopentecostalismo brasileiro começou no final dos anos 70 e ganhou força na década de 80. Sua representante máxima é a Igreja Universal do Reino de Deus (1977).
 Uma das características do movimento é o uso massivo dos meios de comunicação de massa, nacionalizando um pentecostalismo bem-sucedido nos Estados Unidos.
No Brasil, a chamada “renovação” produziu divisões em quase todas as igrejas históricas, com a criação de grupos como a Igreja Batista Nacional, a Igreja Metodista Wesleyana e a Igreja Presbiteriana Renovada.  
Ao lado das manifestações espirituais extraordinárias como glossolália, curas, profecias e exorcismo, os carismáticos e neopentecostais brasileiros caracterizam-se por uma forte ênfase na “teologia da prosperidade,” outra influência norte-americana, difundida por líderes como Kenneth Hagin e Benny Hinn.  


Kenneth Hagin

No Brasil, as igrejas com maior representação no movimento neopentecostal são a Igreja Universal do Reino de Deus, a Igreja Internacional da Graça de Deus, a Igreja Renascer em Cristo, a Igreja Batista Nacional, a Igreja Fonte da Vida de Adoração, a Igreja Mundial do Poder de Deus, a Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra, o Ministério Nova Jerusalém, a Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo e o Ministério Internacional da Restauração.
Benny Himm

Grande parte dos grupos neopentecostais abraçam doutrinas estranhas ao evangelicalismo ortodoxo. coisas como:

Teologia da prosperidade: Afirma que um cristão verdadeiro e fiel a Deus, tem o direito de obter a felicidade integral, pode exigi-la, aqui e agora. Tanto na área da saúde, como na área emocional e material.

Confissão positiva: “a expressão “confissão positiva” se refere literalmente a trazer à existência o que declaramos com nossa boca, uma vez que a fé é uma confissão”. Isso significa que o cristão pode determinar o que deseja que Deus lhe faça.

Maldições hereditárias: Pode ser definida como: A autorização (legalidade) dada ao diabo por alguém que exerce autoridade sobre outrem, para causar dano à vida do amaldiçoado.

Possessão de crentes: Alguns pregadores neopentecostais tem uma cosmovisão que dá lugar à crença na possessão de crentes por demônios.  

Nem toda Igreja neopentecostal abraça todas estas doutrinas, mas a afirmação de somente uma delas já torna uma Igreja que se coloca em oposição frontal à Sagradas Escrituras.

Conhecendo estas doutrinas e seus efeitos devastadores recomendamos: Fique longe de Denominações que professam algumas destas heresias.



Share:

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Vocação



Existem vários tipos de vocação que podem servir para glória de Deus. As pessoas pensam que é só cantando e pregando que servimos ao Senhor, nada mais longe da verdade. Podemos ser ótimos médicos e usar nossa profissão para ajudar os carentes, dentro de nossa possibilidade profissional. Ou ótimos advogados,  ótimos líderes de departamento infantil,   professores de EBD, cozinheiros, enfermeiros, motoristas, conselheiros, um pedreiro de “mão cheia”, etc... Tudo isso pode, e deve,  ser usado   em benefício de nossos irmãos necessitados.
Há o dom para a política e irmãos fiéis  podem ajudar  a manter a nação dentro de um nível tolerável de moralidade e liberdade cristã. Outros tem capacidade de gerir recursos financeiros, são administradores  e auxiliam o pastor a administrar os recursos da Igreja.
É uma infelicidade muito grande saber   que tantos dos que foram chamados, desperdiçam, suas habilidades em lugares onde não serão bem aproveitados. Sua vocação passa desapercebida por eles mesmos. São frustrados servindo onde não deveriam servir. Outros não servem por acharem que não tem habilidades para nada de útil.
Estas frustrações poderiam ser evitadas se houvesse mais instrução  sobre suas  áreas da vocação cristã.

Áreas de Vocação Cristã

Fomos vocacionados para salvação - Escolhidos para sermos salvos.
Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos;    2 Timóteo 1:9"


Fomos vocacionados para boas obras   - É o chamado profissional e natural de cada um, para servir a Deus ,a Igreja e aos homens na sociedade.
 " Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.  Efésios 2.10"


Fomos vocacionados para pregação e pastoreio  -  Não existe fundamento bíblico para a ideia de que alguns cristãos são sacerdotes e outros não. Todos os cristãos são sacerdotes, mas com diferentes funções. Nesse sentido, Deus, graciosamente, chama alguns membros dessa santa companhia sacerdotal para   para expor fielmente as Escrituras, edificar a igreja, preparando os cristãos para viver bem e apontando para estes os novos céus e a nova terra. Estes são os pregadores, ensinadores, pastores,  missionários e profetas . (apóstolos, pastores , profetas,  evangelistas e mestres).

  "E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores,12 Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;   Efésios 4.10,11"


  
É preciso considerar alguns pontos importantes para desenvolver a vocação plena e satisfatoriamente:

Seja realista -  Não há nenhum problema em ser chamado a liderar uma Igreja grande e  abençoada, ou ser um músico que faça bastante sucesso louvando a Deus, o problema é que isso não é um bom objetivo a se traçado, isso não é para todos e sim para quem Deus eleger. Se você for um destes a cobrança e as exigências serão enormes, mas  é melhor preparar-se para fazer o melhor dentro de suas possibilidades reais agora. Seja um crente fiel e contente-se com sua vocação, você terá uma eternidade para ser recompensado pelo bom desempenho dela, seja qual for.

Metas – Estabeleça metas, metas a curto, médio e longo prazo , dentro da sua vocação. Se sou bom em bateria vou treinar , ensaiar e fazer o melhor para que meu instrumento seja usado para glória de Deus e muitas vidas possam ser tocadas e trazidas para Ele por meio de minhas músicas e arranjos. Muitos tem talento para ganhar dinheiro , investir, certifique-se portanto que boa parte de seu lucro seja usado para abençoar os necessitados e para obra de Deus. Separe uma quantia determinada por etapas de seu progresso e garanta que irá cumprir estas metas. Em cada igreja há metas a cumprir, devemos encontrar nessas metas uma forma de alinhar nossa vocação e prontificar a servir o Corpo, a ponto de transformar os desafios em ações sociais para o bem comum. Se seu chamado é diaconia faça de forma que as pessoas se sintam bem ao entrar na igreja, zelar pelo templo, recepcionar as pessoas, cuidar da manutenção, atender aos aflitos e necessitados, entre tantas coisas, há pessoas que não tem o título e o faz melhor do que aqueles que os têm. E nisto Deus esta sendo glorificado. Há casos de pessoas que usam talentos e até sua formação escolar para o Reino, seja como enfermeiro, engenheiro, médico, motorista, tem lugar para todos que queriam fazer o bem.


Foco – Se sou um bom médico e fui chamado para isso não vou investir na música , liderança de congregação, aconselhamento, etc..  É claro que se for , além de médico , um excelente regente de coral, por exemplo nada   impede de exercer as duas funções, desde que possa ser útil á Igreja e não apenas me promover pessoalmente.
Além  disto, o foco me faz exercitar bastante aquilo pelo qual tenho aptidão e interesse , assim torno-me mais útil ao corpo de Cristo e deixo outras funções a quem realmente possui capacidade para elas.

Disciplina -  Ninguém prospera em sua vocação se não for disciplinado . Uma pessoa relaxada não consegue prosperar em nada que ponha sua mão, e na obra de Deus isso não seria exceção. É preciso dedicação e esforço para atingir metas e alcançar resultados. Um bom pregador não se faz do dia para noite, um bom médico precisa de anos de estudo, um pastor precisa de trabalho árduo de oração, leitura bíblia e cuidado extra com as debilidades do caráter. Um bom músico ou cantor precisa de horas e horas de ensaio  para ter domínio do instrumento , da música e da voz . Assim também em todas as áreas, disciplina, dedicação e esforço serão indispensável ao bom exercício da vocação ou ministério.

Perseverança  Não é suficiente disciplina, é preciso perseverar,  pois haverão muitos obstáculos,  dificuldades,  haverão muitos que tentarão desanimá-lo,  que tentarão derrubá-lo, até mesmo  inspirados pelo Diabo.  Além disto,  o próprio Deus nos leva por caminhos difíceis para comprovar nossa vocação, caminhos duros, desertos, lugares áridos, secos, ou muito quentes ou muito frios, ou seja, haverão muitos desafios, alguns momentos você dizer “puxa, não vale a pena, é muito difícil chegar lá”. Na verdade não são poucos os irmãos queridos e valorosos que desistem no meio da jornada ao se depararem com os problemas e contrariedades. Isso é uma infelicidade, um desperdício do talento que Deus deu. Mas eles falharam em não perseverar e por isso desfaleceram, desistiram. Não desfaleça, Deus sempre está no controle.

Humildade  - Se por um lado é importante não dar ouvidos ao que tentar desanimá-lo, por outro, é importante considerar com cuidado e maturidade as criticas recebidas, muitas delas são construtivas, até comentários maldosos devem ser analisados, muitas vezes tem uma pequena margem de verdade. Especialmente a opinião de amigos ou pessoas que entendem do assunto. Por exemplo , se é uma cozinheira e recebe críticas por sua comida analise o que pode estar errado com tempero. Se é pregador e recebe críticas, analise se tem lido a Bíblia e orado suficiente. Seja criterioso e humilde, nunca se ache superior a qualquer crítica.

Cooperação  Na obra de Deus ninguém trabalha sozinho, ninguém é chefe da Igreja, nem do departamento. Se é músico dificilmente toca sozinho , ele precisa do pessoal que cuida do som. Temos que ter cooperação. O líder do departamento deve saber que precisa de outros para ajudar a decidir, não pode abraçar tudo sozinho. Coopere e receba cooperação. Seja cordial e se ofereça para ajudar com suas habilidades. Uma vocação não deve ser isolada de outras. O  enfermeiro trabalha com o médico que apoia o líder da assistência social que pode também receber auxilio da cozinheira e do motorista. Ou seja, estamos  interligados  como membros no mesmo corpo, a Igreja de Cristo.



Motivação  Se sabe cantar cante com alegria, se sabe ensinar, seja com alegria, se for recepcionar à porta , com prazer, se for cozinhar, com júbilo. Se for liderar um departamento ou congregação com amor pelas vidas e disposição .  Somos chamados para servir como nossa vocação. Servir com alegria e desprendimento. Sem motivação não oramos como deveria, não estudamos como deveria, não amamos como deveríamos, enfim nada será feito como Deus quer que seja feito., por isso motive-se , anime-se , a glória de Deus é nosso maior objetivo .

         A Liderança e a Vocação 
O   líder tem várias responsabilidade ,  e uma das mais importantes é saber designar tarefas para os irmãos desempenharem suas vocações.
O líder de departamento, de congregação ou pastor de Igreja que não tenha visão de Deus inevitavelmente desperdiçará talentos e frustrará os irmãos motivados que desejam trabalhar. Colocar, por exemplo, um conselheiro talentoso (mas que não tenha dom musical)  para reger um coral é desastre na certa.
 Não é por que um irmão é inteligente e bem disposto que ele vai servir para qualquer área da Igreja.
Não é por que alguém tenha habilidade de liderança que ele vai liderar tudo muito bem. Um ótimo líder de congregação pode não ser tão eficaz dirigindo um departamento de Ação Social, por exemplo.
Há muita gente que tem dons maravilhosos para servir como enfermeiro, como motorista, como tocador de guitarra (exemplos) e que são desviados de seu talento quando são atirados pela liderança para trás do púlpito. Há casos que alguns irmãos fazem bem duas ou mais funções mas isso não é a regra. Muitas vezes deixamos de aproveitar o talento de um professor de EBD para utilizá-lo como líder da Assistência Social da Igreja.
O líder precisa ter visão de Deus para ser sábio na hora de escolher o lugar de cada um dentro de sua vocação.


Em resumo, façamos o melhor para Deus onde fomos chamados, com alegria e disposição.





Share:

Série História da Igreja - de Atos aos dias modernos

Nesta série vamos fazer um breve resumo da história do Cristianismo.
O Peixe - Um dos  primeiros símbolos do Cristianismo

A história do cristianismo parte do Nascimento de Jesus Cristo passando por seus ensinamentos, morte, ressurreição e ascensão aos céus.  Depois de sua ascensão , começa a chamada Igreja Primitiva com  sucessor de Jesus, Tiago, o Justo, que foi o primeiro líder da Igreja nascente. 
O cristianismo começou a se espalhar inicialmente a partir de Jerusalém, e depois em todo o Oriente Médio,  tornando-se a Igreja Oficial do Império Romano em 380. Tornando-se comum em toda a Europa na Idade Média, ela se expandiu em todo o mundo .
Os maiores ramos do cristianismo são a Igreja Católica Romana, a Igreja Ortodoxa, as Igrejas protestantes.
Vamos analisar  resumidamente alguns pontos marcantes desta História .

Clique nos títulos para mais informações.

Igreja Primitiva

A igreja começou 40 dias depois da ressurreição de Jesus (35 D.C.). com a vinda do Espírito Santo no dia de Pentecostes (Atos 2:1-4).


História do Cristianismo – Primeiras Heresias

A palavra "heresia" provém da expressão grega haíresis, significando ‘escolha’. Portanto, escolher uma postura diferente da assumida por uma doutrina oficial, negar os seus principais dogmas, constitui uma heresia. No início do cristianismo, toda recusa de princípios revelados pelos Evangelhos, foi considerada como herética, tais como a virgindade de Maria, Jesus considerado como Deus e a existência do Espírito Santo .


História do Cristianismo -  Pais da Igreja 

Padres da Igreja, Santos Padres ou Pais da Igreja foram influentes teólogos, professores e mestres cristãos e importantes bispos. Seus trabalhos acadêmicos foram utilizados como precedentes doutrinários para séculos vindouros. Os padres da Igreja são classificados entre o século II e VII.
 O estudo dos escritos dos Padres da Igreja é denominado Patrística.


História do Cristianismo – Perseguição

O primeiro grande desafio da Igreja foram as perseguições. Com o crescimento, o Cristianismo passou a sofrer cada vez mais oposição por parte da sociedade pagã e do próprio Estado. A primeira perseguição contra a Igreja deu-se no ano 67 d.C, sob o domínio de Nero, o sexto imperador de Roma. Ao povo em geral, a Igreja respondeu chamando-o a ver a conduta moral dos cristãos, muito superior à dos pagãos. Aos cultos e letrados, a igreja respondeu através dos Apologistas, Pais da Igreja .  


Religião oficial - Igreja Romana

Então, em 312 D.C., o Imperador Romano Constantino clamou ter se convertido. Mais ou menos 70 anos depois, durante o reino de Teodósio, o Cristianismo se tornou a religião oficial do Império Romano. 

História do Cristianismo -  Concílios

Concílios são instituições tradicionais na vida da Igreja desde os tempos apostólicos, no primeiro os apóstolos reuniram-se em Jerusalém, sob a liderança de Tiago (Atos 13). Enquanto a igreja romana usa a palavra “Concilio” a Igreja Ortodoxa preferiu a palavra “Sínodo”, o mesmo acontecendo com as Igrejas anglicanas e protestantes históricas. Os concílios nasceram da vontade de preservar a unidade da Igreja frente a crises teológicas e disciplinares, os concílios tiveram na elaboração da teologia dogmática e no direito canônico uma função principal. Os mais importantes são os sete primeiros, chamados de ecumênicos ou católicos.


História do Cristianismo – A Idade Média

Durante a Idade Média na Europa, a Igreja Católica Romana continuou a ter poder, com os papas clamando autoridade sobre todas as áreas da vida e vivendo como reis.


História do Cristianismo – O  Cisma do Oriente

O Cisma termo Grande é usado para se referir a dois eventos importantes na história do Cristianismo: a divisão entre o Oriental (Ortodoxa) e (Roman) igrejas ocidentais, e do período (1378-1417) durante o qual a Igreja Ocidental tinha dois primeiros, e depois três, linhas de papas. O cisma é tradicionalmente datado de 1054.


Históriado Cristianismo – A Reforma

Em 1517, o alemão Martinho Lutero confrontou a Igreja, propôs a  Reforma Protestante, e a Idade Média chegou ao fim.

História do Cristianismo – Puritanismo 

O puritanismo surgiu como uma consequência da implantação do protestantismo em Inglaterra, após a ruptura com a Igreja Católica causada pelo divórcio de Henrique VIII com Catarina de Aragão, em 1532. Assim, procurou-se uma sistematização doutrinal e de práticas litúrgicas que rompessem definitivamente com o catolicismo. Este foi o Puritanismo.  


História do Cristianismo - Era das Missões

De 1790 a 1900, a Igreja mostrou um interesse sem precedente em trabalho missionário. Missionários foram enviados ao mundo todo para pregar o evangelho, e muitas igrejas foram estabelecidas.


Históriado Cristianismo – A Igreja Protestante Moderna

A igreja está espalhada pelo mundo, o cristianismo não se resume mais ao Catolicismo e  Igreja Ortodoxa. Hoje existem uma grande variedade de Igrejas espalhadas pelo mundo. Vamos fazer uma breve incursão na história de algumas das principais Igrejas Protestantes do mundo. Os Luteranos,  Presbiterianos, Batistas,  Metodistas, os Anglicanos.


História do Cristianismo – Pentecostalismo

O moderno movimento pentecostal totaliza hoje, segundo cálculos de especialistas, cerca de meio bilhão de adeptos ao redor do mundo. Rigorosamente falando, o pentecostalismo como um fenômeno distinto surgiu nos últimos anos do século 19 ou nos primeiros do século 20. Todavia, por algum tempo ele se manteve relativamente modesto e circunscrito às fronteiras dos Estados Unidos. Seu crescimento vertiginoso e sua difusão internacional ocorreram a partir do famoso Avivamento da Rua Azusa, em Los Angeles, que teve início em abril de 1906.


Históriado Cristianismo -  Neopentecostalismo 

 Os neopentecostais formam um grupo coexistente com os pentecostais, mas com uma identidade distinta. Possuem uma forma  sobrenaturalista de encarar sua vida religiosa, com ênfase na busca de revelações diretas da parte de Deus, de curas milagrosas para doenças e uma intensa batalha espiritual entre forças espirituais do bem e do mal, que afirmam ter consequências diretas em sua vida cotidiana. São, em geral, mais flexíveis e modernas em questões de costumes em relação aos Pentecostais tradicionais.





Fontes

blogcaminhocristao.wordpress.com - Visitado em 20 de Outubro de 2014


ecclesia.com.br - Visitado em 20 de Outubro de 2014


emdefesadagraca.blogspot.com.br - Visitado em 20 de Outubro de 2014


gotquestions.org - Visitado em 20 de Outubro de 2014


igrejamilitante.wordpress.com - Visitado em 19 de Janeiro de 2015


infoescola.com - Visitado em 30 de Outubro de 2014


Monergismo.com - Visitado em 19 de Janeiro de 2015


nerihorta.blogspot.com.br - Visitado em 20 de Outubro de 2014


numinosumteologia.blogspot.com.br - Visitado em 20 de Outubro de 2014


solascriptura-tt.org - Visitado em 20 de Outubro de 2014


vivos.com.br Visitado em 22 de Outubro de 2014


Share:

Popular Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

IPB

IPB
Logo Igreja Presbiteriana do Brasil

Seguidores

Minha lista de blogs

Total de visualizações

Siga-me por e-mail!

Menu (Editar so No Html )

Recent Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

Copyright © Blog do Vitor Germano | Powered by Blogger

Design by ThemePacific | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com