Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro 29, 2015

O Concílio de Jerusalém

O Concilio de Jerusalém foi uma reunião ocorrida entre 48 e 50 D.C.  , realizada entre as lideranças cristãs nos meados do século I, para abordar se os gentios (não-judeus) deveriam seguir costumes da religião israelita.
O Concílio de Jerusalém está descrito em Atos dos Apóstolos 15, 6-29.
AS DISPUTAS INICIAIS Entre alguns da Judeia estabeleceu-se uma dúvida e uma polêmica: saber se os gentios, ao se converterem ao cristianismo, teriam que adotar algumas das práticas antigas da Lei Mosaica para poderem ser salvos, inclusive o fazer-se circuncidar. Alguns cristãos de origem judaica entenderam que os gentios que se tornavam cristãos, também precisavam ser circuncidados e, por isso, a reunião em Jerusalém das principais lideranças cristãs, para decidir a respeito do assunto. Parte da liderança da Igreja de Jerusalém era formada por cristãos oriundos do farisaísmo (At. 15.5), tinham ainda uma forte formação judaizante tradicional;
“Alguns, porém, da seita dos fariseus que tinham crido se leva…

Salmos 109

Salmos 109:1-31 1 Ó Deus do meu louvor, não te cales; 2 pois a boca do ímpio e a boca fraudulenta se abrem contra mim; falam contra mim com uma língua mentirosa. 3 Eles me cercam com palavras de ódio, e pelejam contra mim sem causa. 4 Em paga do meu amor são meus adversários; mas eu me dedico à oração. 5 Retribuem-me o mal pelo bem, e o ódio pelo amor. 6 Põe sobre ele um ímpio, e esteja à sua direita um acusador. 7 Quando ele for julgado, saia condenado; e em pecado se lhe torne a sua oração! 8 Sejam poucos os seus dias, e outro tome o seu ofício! 9 Fiquem órfãos os seus filhos, e viúva a sua mulher! 10 Andem errantes os seus filhos, e mendiguem; esmolem longe das suas habitações assoladas. 11 O credor lance mão de tudo quanto ele tenha, e despojem-no os estranhos do fruto do seu trabalho! 12

Salmos 79

Salmos 79:1-13 1 Ó Deus, as nações invadiram a tua herança; contaminaram o teu santo templo; reduziram Jerusalém a ruínas. 2 Deram os cadáveres dos teus servos como pastos às aves dos céus, e a carne dos teus santos aos animais da terra. 3 Derramaram o sangue deles como água ao redor de Jerusalém, e não houve quem os sepultasse. 4 Somos feitos o opróbrio dos nossos vizinhos, o escárnio e a zombaria dos que estão em redor de nós. 5 Até quando, Senhor? Indignar-te-ás para sempre? Arderá o teu zelo como fogo? 6 Derrama o teu furor sobre as nações que não te conhecem, e sobre os reinos que não invocam o teu nome; 7 porque eles devoraram a Jacó, e assolaram a sua morada. 8 Não te lembres contra nós das iniqüidades de nossos pais; venha depressa ao nosso encontro a tua compaixão, pois estamos muito abatidos. 9 Ajuda-nos, ó Deus da nossa salvação, pela glória do teu nome; livra-nos, e perdoa os nossos pecados, por amor do teu nome. 10 Por que diriam as nações: Onde está o seu Deus? Torne-se manifesta…

Salmos 69

Salmos 69:1-36   1 Salva-me, ó Deus, pois as águas me sobem até o pescoço. 2 Atolei-me em profundo lamaçal, onde não se pode firmar o pé; entrei na profundeza das águas, onde a corrente me submerge. 3 Estou cansado de clamar; secou-se-me a garganta; os meus olhos desfalecem de esperar por meu Deus. 4 Aqueles que me odeiam sem causa são mais do que os cabelos da minha cabeça; poderosos são aqueles que procuram destruir-me, que me atacam com mentiras; por isso tenho de restituir o que não extorqui. 5 Tu, ó Deus, bem conheces a minha estultícia, e as minhas culpas não são ocultas. 6 Não sejam envergonhados por minha causa aqueles que esperam em ti, ó Senhor Deus dos exércitos; não sejam confundidos por minha causa aqueles que te buscam, ó Deus de Israel. 7 Porque por amor de ti tenho suportado afrontas; a confusão me cobriu o rosto. 8 Tornei-me como um estranho para os meus irmãos, e um desconhecido para os filhos de minha mãe. 9 Pois o zelo da tua casa me devorou, e as afrontas dos que te afront…

Salmos 57

Salmos 57:1-59:17  
1 Livra-me, Deus meu, dos meus inimigos; protege-me daqueles que se levantam contra mim. 2 Livra-me do que praticam a iniqüidade, e salva-me dos homens sanguinários. 3 Pois eis que armam ciladas à minha alma; os fortes se ajuntam contra mim, não por transgressão minha nem por pecado meu, ó Senhor. 4 Eles correm, e se preparam, sem culpa minha; desperta para me ajudares, e olha. 5 Tu, ó Senhor, Deus dos exércitos, Deus de Israel, desperta para punir todas as nações; não tenhas misericórdia de nenhum dos pérfidos que praticam a iniqüidade. 6 Eles voltam à tarde, uivam como cães, e andam rodeando a cidade. 7 Eis que eles soltam gritos; espadas estão nos seus lábios; porque (pensam eles), quem ouve? 8 Mas tu, Senhor, te rirás deles; zombarás de todas as nações. 9 Em ti, força minha, esperarei; pois Deus é o meu alto refúgio. 10 O meu Deus com a sua benignidade virá ao meu encontro; Deus me fará ver o meu desejo sobre os meus inimigos. 11 Não os mates, para que meu povo não se esq…

Blog do Vitor pelo mundo- agora

Total de visualizações