Blog sobre Teologia contemporânea. Devocionais, artigos e Estudos Bíblicos indutivos

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Remédio ou vingança? Salmo 119.61

Bandos de ímpios me despojaram, mas eu não me esqueci da tua Palavra. Salmo 119.61

Os ímpios, os maus, os bandidos, eles me atacaram , fizeram horrores na minha vida. Maltrataram-me,  injuriaram e me ridicularizaram. Mas não fiz nada para eles! Que fiz eu? Sou bom e ajudo os necessitados e oprimidos? Que fiz eu? Alguns zombavam, uns outros chegaram a cuspir em meu rosto. Eu sofro, eu me angustio eu gemo de dor e vergonha. Tudo bem, eu os perdoo. Meu nome é Jesus.
O salmista sem sombra de dúvida não sabia que um dia o próprio Filho de Deus viria ao mundo dar o exemplo de como sofrer afrontas terríveis sem pensar em vingança, mas oferecendo ao invés disto o perdão. Mesmo não sabendo disso ele acreditava que o rosto do Senhor abomina a vingança. Ele sabia que sempre é melhor confiar na Lei de Deus do que em seus próprios esforços de autodefesa.
Qual o impulso natural do homem injuriado ou agredido?
Lutar! Revidar! Agredir de volta.
Mas não é isso que o salmista fez. Ali estava ele despojado, ou seja, sem suas vestes, sem seus recursos, sem suprimentos, sem alimentos, sem abrigo. Ele fora roubado, maltratado. E qual a sua atitude? 
Ele procura o remédio. Sim remédio, pois a melhor coisa que um ferido pode fazer é curar-se, buscar ajuda para estancar a perca de sangue por uma ferida que está aberta.
Onde ele encontra o remédio? Ele se refugia nas Escrituras.  Depois de sofrer o despojo ele corre para os mandamentos do Senhor e se poe a meditar.  O que a Palavra de Deus  possui de tão preciso que o salmista fica relembrando e meditando após o sofrimento?
A Palavra  de Deus é remédio para alma.
Muito mais ferido do que o corpo , a alma está ferida, a vergonha, o desprezo, a humilhação caem sobre o salmista de maneira  cruel e avassaladora, assim como também afeta cada um de nós em nossas lutas diárias.
A alma precisa de remédio, de cura, de esperança.
Só a Palavra de Deus traz esta cura. Ela nos ensina o caminho do amor, do perdão e da não agressão. Sem este caminho nossa vida nunca será restaurada , nunca será curada.
A Palavra de Deus é remédio para o coração que quer vingança, que odeia, que está fixado no objetivo de se vingar dos ímpios. A Palavra nos avisa, "deixe isso para Deus"( Romanos 12.19), e mais "Cuide do reino de Deus e as demais coisas te serão dadas por acréscimo”(Mateus 6.33) .
O salmista está seguro na Palavra e não deseja vingar-se, não deseja sujar suas mãos com os ímpios. Isso não será bom para si, nem para ninguém.

Tal qual um ferido  não corre atrás de uma faca, de um porrete, ou de uma arma para curar-se, mas  pelo contrário, ele procura remédio para sarar suas feridas. Assim também o salmista não procura agredir, revidar afrontas ou injuriar quando está ferido.  Ele procura o remédio para sua alma, o remédio da Palavra que traz perdão, consolo e esperança para restaurá-lo.


Share:

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Velozes para Deus. Salmo 119.60

Apressei-me, e não me detive, a observar os teus mandamentos. Salmo 119.60





A Bíblia está recheada de passagens  que combatem a precipitação, a impulsividade e a pressa.
Saul se precipitou quando sacrificou como profeta de Deus (I Sm 13.8)
Tiago e João  foram apressados ao  pedirem a Jesus a permissão de mandar cair um raio do céu para queimar os que rejeitaram Jesus (Lucas 9,54 )
Em muitas outras passagens vemos as Escrituras condenando a pressa e a impulsividade.
De fato há também um ditado popular que corrobora com a visão bíblica  que diz:
"A pressa é inimiga da perfeição".
Isso ocorre por que geralmente é preciso refletir antes de agir, deliberar, pesar os fatos e as consequências e depois disto, proceder com prudência.
Mas nem sempre é assim, às vezes a pressa se torna a melhor  amiga da perfeição. Há casos que não admitem espera, não admitem muito pensamento, muita deliberação, é preciso agir e agir rápido.
É muito comum no ambiente corporativo que se invista em pessoas que possuem facilidade de responder com rapidez diante de diversas situações. Pessoas que não protelam decisões.
Agir rápido pode evitar dissabores, evitar que pessoas se firam, ajuda em emergências e evita que conflitos menores se transformem em verdadeiras dores de cabeça crônicas.
A agilidade para tomar decisões corretas é fundamental na vida cristã.
Se Davi fosse mais rápido em desviar o olhar da mulher que se banhava diante de sua janela, ele não a cobiçaria, evitando o pecado do adultério e grandes males para sua vida.
Se Samuel fosse mais rápido em decidir punir e castigar seus filhos não teria sua descendência sido julgada indigna da função de juiz.
Se José não tivesse sido rápido em fugir das investidas da  mulher de Potifar, , que desejava deitar-se com ele,  provavelmente o seu castigo seria a morte e não a prisão.
Há muitos casos que poderíamos citar de como é importante agir com rapidez ao tomar decisões sábias.
Mas como saber quando agir com rapidez e quando agir com mais paciência?  Como saber quando ser ágil e quando ser mais cauteloso e reflexivo?
Eu acho a resposta bem simples. Quando sabemos o certo a fazer não devemos protelar a decisão, é preciso agir o mais breve possível nesta direção. Pelo contrário, se não temos certeza de que algo agrada a Deus é melhor termos calma, cautela e refletir.
Há muitos impulsos bons, que não devemos reprimi-los, o impulso de fugir do pecado é um impulso que aprendemos quando fomos regenerados e salvos.
Sabe aquele impulso de fugir de uma conversação torpe, degradante entre as conversas dos colegas de serviço? Pois é, se você resistir ao impulso de fugir do papo é bem capaz de entrar no ritmo mundano deles. O  impulso de fugir da fofoca, quando ouvimos falar de alguém, é outro exemplo de como saber usar o impulso a seu favor.  São decisões rápidas que nos fazem fugir do erro.
Há decisões rápidas que nos fazem agir corretamente, o impulso de ajudar um necessitado, o impulso de estender a mão ao velhinho que está a cair no ônibus lotado, o impulso de falar de Jesus a um oprimido que precisa de conselhos. São vários impulsos bons que precisam ser cotidianamente cultivados e estimulados em nossa natureza para que estes impulsos não desapareçam.
É preciso ter pressa, correr mesmo, na hora de fazer o bem, para que esta força, esta energia que nos impulsionou a fazer algo de bom não desapareça de nós.
Mas também é necessário pressa, rapidez, velocidade para fugir do pecado que nos rodeia, para que a tentação não alcance vitória sobre nossa vida, nos derrotando pela insistência.
Agir com rapidez é agir com ousadia, com presteza e autoridade. Quem pensa demasiado perde incontáveis oportunidades. Mas quem se acostuma a agir bem e com rapidez sempre estará apto aproveitar todos instantes para servir a Deus.
É preciso ser rápido para fazer o bem e rápido para fugir do pecado.

Que nós sejamos Velozes para Deus.










Share:

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Destruindo e refazendo projetos. Salmos 119.59

Refleti sobre os meus caminhos, e retornei os meus pés para os teus testemunhos. Salmos 119.59



O Programador está ali sentado a horas, ele  planeja, pensa, executa mais um código, mais um detalhe. Ufa! Está pronto,  acabado. Quando ele dá uma olhada melhor , percebe uma falha, num impulso joga todo seu projeto fora.
O Arquiteto está a fazer seu projeto, ele desenha, calcula, desenha de novo, pensa, coloca na planilha, volta ao desenho. O seu desenho demorou dias, mas está quase pronto. De relance ele percebe que no projeto falta um detalhe estrutural de fundamental importância,  todo seu trabalho deve ser abandonado e ele, sem pensar duas vezes, amassa sua folha e parte para um novo desenho.
O Pintor esta ali, há dias, inspirado, pinta, para, pensa, pinta de novo, prepara a tinta. Ele está concentrado, dedica-se profundamente à sua obra. Quando ele se dá conta que há um erro incontornável no quadro, de um pulo ele salta e destrói o quadro com tudo o que havia gastado dias para fazer.

Considerar os caminhos significa refletir sobre como estamos a andar, como estamos  a viver. Tal qual o Programador, o Arquiteto e o Pintor desta ilustração, nós também precisamos reconsiderar nossos caminhos e, em alguns casos, jogar fora tudo que começamos, não importa o tempo que levamos construindo. Se o projeto tem falha estrutural grave ele está fatalmente comprometido, não deve ser levando a diante.

Não é muito incomum que tomemos decisões erradas e comecemos projetos que nos afastem dos planos do Senhor para nossa vida. Nestes momentos , por mais complicado e duro que pareça é necessário atirar no lixo do esquecimento estes projetos.
Assim como o salmista é imperioso que voltemos o mais rapidamente possível para os planos que o Senhor tem para nós. Não mais aguardar, não mais protelar, não mais olhar de outro ponto de vista nossos sonhos , nossos desejos. O ser humano tem esta tendência desditosa de olhar com muito carinho , com muita benevolência para seus projetos e os supervaloriza, isso dificulta quando Deus diz que estes planos nada tem a ver com a vontade Dele para nossa vida.
Sabemos, e cremos que Deus sabe o que é melhor para mim e para você muito melhor do que qualquer amigo , parente ou até  nós mesmos. Mesmo assim quando percebemos que andamos por caminhos que projetamos e que desagradam a Deus, temos dificuldade em abandoná-los.
O servo de Deus considera bem os seus caminhos, ele reflete com seriedade sobre os passos que tem dado e , se for preciso ele para na estrada onde tem com tanta disposição e por tanto tempo seguido,  para abraçar novamente o caminho magnífico do Senhor para sua vida.
Mas é preciso deixar os nossos caminhos para seguir o caminho do Senhor. É preciso aniquilar completamente os nossos sonhos para viver a vida abundante que Deus tem para nós. É preciso quebrar as estruturas , os detalhes tão bem planejados, tão bonitos aos nossos olhos, as belezas, as bem feituras, os arremates que sonhamos.  Só depois disto é que Deus nos fará plenamente satisfeitos em sua vontade. Enquanto desejamos nossos sonhos não conseguimos ver nem desejar os planos de Deus.

Talvez seja hora de destruir, esmigalhar sem dó nem piedade, quebrar em pedacinhos algum caminho que venhamos seguindo , algum projeto tão belamente sonhado e planejado , para agradar ao Senhor, mas se for este o caso , podemos ter certeza de que o nosso Deus nos recompensará.





Share:

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Cristo Pantocrator

O CRISTO PANTOCRATOR



O Cristo Pantocrator refere-se a uma forma de representação de Jesus. É uma palavra de origem grega que significa "Todo-Poderoso" ou "Onipotente". Encontra-se várias vezes no Novo Testamento em grego. Provém de pan (tudo ou todo) e krátos (alto, em cima e, daí, governo e poder). Quando percebemos esta pintura   logo atentamos para  o dogma cristológico das duas naturezas de Jesus, a  humana e a divina , unidas na única, A  Pessoa do Verbo.  
A Bíblia faz muitas referências ao Messias sofredor, cheio de dores, sendo perseguido e sendo martirizado, morrendo pelos pecadores na cruz do Calvário. A Igreja neotestamentária assimilou bem esta mensagem. Mas não isso não é tudo sobre Cristo , há mais para se falar sobre ele.
Outra perspectiva é a do Cristo como uma alma iluminada, instruída, que traz uma sabedoria diferenciada ao homem.
Isso fala de uma parte importante do ministério de Jesus, mas também não é tudo.
Ele também  é o Grande Imperador do Universo , O Rei do reis e Senhor dos Senhores. O Senhor que tudo rege ,  Cristo mantém através de seu poder  todas as coisas: tanto as da alma como as de natureza material, NELE  tudo permanece, NELE q  vivemos, NELE nos movemos e existimos. (Atos 17: 28-30 )
No Pantocrator o Cristo é representado como Soberano, sentado sobre um trono.  Cristo é Deus e como tal ele é o grande Senhor do Universo e tudo está sujeito e submisso à ele.
Esse é o Pantocrator, que detém em suas mãos o poder da vida, a chave do inferno e da morte, que possuí sobre sua autoridade todos os seres sejam os que existem na terra como os seres angelicais que vivem nos céus, também domina sobre o inferno e nada escapa de seu maravilhoso e irremovível domínio.O Cristo Pantocrator é o máximo dominador sobre as nações ,  é o grande artífice da natureza, que não somente a planejou a criou mas também desde a criação ele a mantém e a preserva para sua glória.

“Tudo o que o Senhor quis, fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos”. Salmo 135:6. “Mas nosso Deus está nos céus; fez tudo o que lhe agradou”. Salmo 115:3. 

Saber que nosso Jesus é o Pantocrator é saber que nada está longe do seu alcance, que os seres de todo Universo e o próprio Universo está sendo regido e controlado da maneira que LHE agrada.
Como seria terrível se este Pantocrator fosse mal, fosse irascível e sem compaixão, certamente estaríamos destruídos.
Se ele fosse uma das divindades inventadas pelo homem, que são instáveis e inseguras, podendo se irar a qualquer momento e por qualquer motivo. Que terrível seria!!
 O mais importante de tudo é saber que sua igreja esta reconfortada neste grandioso poder, a Igreja sabe que seu mestre é maravilhoso e amoroso.
Ele trabalha em favor dos que o amam, ele batalha por seus eleitos, ele morreu na cruz para salvar um povo para si. 
Como é maravilhoso para nós sabermos que fazemos parte do povo escolhido pelo Regente Geral do Universo, o Imperador indestrutível da História, o Senhor de todos os seres sejam os físicos como os espirituais. E mais interessante ainda, sabermos que esse grande e poderoso Regente nos ama com amor Sacrificial.

Somos povo do Cristo Pantocrator.
Share:

Em nome da Piedade. Salmo 119 .58

Roguei deveras o teu favor com todo o meu coração; tem piedade de mim, segundo a tua palavra. Salmo 119 .58

Se há uma coisa que  todo crente precisa conhecer sobre Deus é que ele é piedoso. Ele é a fonte de toda bondade e todo amor que existe no mundo. Mas Deus não é recíproco, ele não espera ser amado para amar, não espera ser chamado para buscar e não espera que sejamos os homens mais perfeitos para nos abençoar.
Ele nos salva, nos cura , liberta, restaura, transforma, nos dá bênção espirituais, bênçãos materiais, tudo por apenas um único motivo:
Ele é Bom , Ele é Piedoso.
Olhemos esta oração. Ela é uma oração de profunda dor , profunda aflição. O salmista está tomado por uma angústia aterradora e isto se mostra nas ênfases repetidas da oração.
Eu Roguei - Ele pediu encarecidamente, suplicou.
Deveras - Com muita sinceridade, com muita honestidade.
O teu favor - Existia alguma causa importante, que o escritor não comenta, e que o faz instar o favor divino.
Todo coração - Ele queria mostrar o quanto era importante para ele alcançar o favor divino, ele estava inteiramente entregue a esta busca.
Eis aqui o cerne da oração, aquilo sobre o qual nossa comunhão com Deus fica de pé ou cai. O princípio número um da comunhão  e da unidade com Deus. Observe que o escritor  clama por piedade, ele não clama porque o Senhor lhe deva  abençoar, não por que tem algum direito, mas ele faz sua súplica  em nome da Piedade Divina.
Em nome da Piedade Divina também  nos achegamos a Deus, contritos, cheios de falhas, de defeitos, estamos lá, não temos como negociar com Deus, mesmo assim temos um pedido a apresentar, temos uma petição.Tudo sem mérito algum de nossa parte, confiados na sua Santa Piedade.
Olhamos, nada nos garante acesso ao Rei, nada nos garante que seremos ouvidos, que teremos nossa prece recebida. Nada! Somos maus e pecadores. Mas mesmo assim sentimos uma confiança inexplicável para orar, para buscar o favor do Senhor, mas isso por quê?
Isso por que chegamos humildes aos pés do Senhor confiando na sua piedade. Essa piedade está clara e abundantemente  testemunhada na Palavra de Deus, ali percebemos quanto Deus se compadece daquele que reconhecendo sua insignificância, o seu erro  e sua miséria vem a Deus clamar por sua piedade. São 130 salmos que falam , direta ou indiretamente sobre a misericórdia e piedade divinas.
Moisés foi posto no cesto por sua mãe e irmã, antes de ter feito qualquer coisa de boa ou má, Deus simplesmente teve piedade dele. (Hebreus 11.23)
Deus teve piedade do idólatra e mau rei Acabe,  quando arrependido e humilhado clamou por misericórdia (1 Reis 21.27,29), também do profano rei Manassés (2 Crônicas 33.1-17). Estes foram casos terríveis em que os reis desceram ao fundo do poço da maldade, mas que, se arrependeram, se lamentaram e Deus lhes concedeu salvação. E o único motivo disto é sua grande piedade.
É maravilhoso saber que o Senhor pode se compadecer do pior pecador, isso nos reconforta, nos dá ânimo para prosseguir, afinal, como Deus é  piedoso para conosco!
  Ah como é maravilhoso saber que Deus é piedoso, que ele não nos rejeita por sermos maus, ele levanta o caído, restituí o abatido, ergue e transforma o que foi rejeitado pelo mundo.

Em nome da Divina Piedade temos confiança que nosso  querido Pai nos ouvirá, perdoará nossos pecados e nos restaurará!



Share:

terça-feira, 29 de novembro de 2016

O preço da Felicidade- Suprema Bênção - Salmos 119.57

O Senhor é a minha herança; eu disse que observaria as tuas palavras.  Salmos 119.57



Você está ali, pensando na vida , quando menos espera recebe um telefonema, um parente seu, distante,  que você nem sabia que existia  faleceu e deixou uma fabulosa herança para você e sua família. Poxa que fortuna inesperada, isso mudará sua vida. Seus problemas financeiros desaparecerão, terá muitos confortos e muitos bens, será finalmente feliz pois poderá ter então sua segurança para a velhice. Isso é o  que  pode preencher sua vida, o que dará sentido a  sua existência? Sente falta ainda  de algo?

Vamos lá, você tem uma doença difícil, incurável, estás  esperando sua hora chegar. Ali está a sofrer para caramba, luta e está cansado. Pronto você foi curado, um grande milagre aconteceu em sua vida e você está perfeitamente saudável. Então, que me diz? Ficou alegre, sente-se realizado?

Acabou um relacionamento! Uma coisa tremenda, triste mesmo, você fica no fundo do poço, está lá, sem saber ( e nem ter) para onde correr. Lá no meio da sua amargura, Deus levanta você coloca diante de suas vistas um amor maravilhosamente inesperado. Surgiu de maneira abrupta e repentina. Pronto você sente-se renovado, alegre e feliz. Tudo bem então? Estás plenamente satisfeito?

Estás desempregado, as dívidas batendo-lhe na porta, aluguel, água e luz, tudo vencido. Faltam-lhe recursos para comprar o sapato que furou e alimentos mais adequados. De uma hora para outra se abre uma porta de emprego, bem remunerado e de acordo com suas capacidades. Pronto, agora sim! Tudo que precisava aconteceu! Está satisfeito! Será?

Teria infinitos exemplos, mas para a ocasião estes três serão suficientes.
A pergunta que fica é: Qual o "preço" da sua felicidade?
 Bom esta resposta varia bastante, alguns dirão que é isto  outros que é aquilo outro. Para algum mais afoito, então eu perguntaria: O que você precisaria hoje para você ser feliz? Muitos não saberiam dizer.
Apesar da maioria deles ignorar, o  supremo foco do ser humano é só um: o seu bem estar físico e emocional. Satisfazer plenamente estes dois lados do ser humano é bastante complicado, todo mundo sabe do que precisa para ser feliz até que consiga alcançar seu objetivo, mas logo depois de alcançar, ele percebe que não era "só" aquilo, ele precisa de mais.


Em busca da bênção suprema

Na verdade o salmista entendia muito bem onde estava a sua verdadeira felicidade, onde estava sua fonte de prazer. Não em bens, não em sua condição de saúde, não e em sua família ou amigos, mais do que tudo , a fonte de sua alegria vinha do Senhor, para o escritor deste salmo não havia herança maior do que pertencer a Deus e obedecer-lhe os preceitos.
Assim como qualquer um de nós ele estava em busca da Suprema Bênção , só que , diferente da maioria , ele sabia onde encontrá-la.
Essa é a bênção suprema, que o salmista conhecia perfeitamente, não os bens, não as bênçãos, a maior bênção é a comunhão com o Doador das bênçãos!
Eis a Bênção Suprema para todos os salvos, o próprio Deus!O Senhor é nossa herança é Dele que nossa felicidade depende.

Share:

O Maravilhoso Jardineiro e a Laranjeira. Salmo 119.56

Isto fiz eu, porque guardei os teus mandamentos. Salmos 119:56


O que é guardar os mandamentos? O que isso implica? Se o cristão é salvo pela graça ele deve procurar guardar os mandamentos?

Bom vamos à uma ilustração,  eu a chamo de:  "  O Maravilhoso Jardineiro e a Laranjeira".
Você já viu uma laranjeira sem fruto? Se nunca viu fique sabendo que sim, há laranjeiras sem fruto, mas essa não é a regra, pois o normal é vermos as laranjas sadias e bonitas dependuradas na árvore. Mas seja por que a árvore é ainda muito nova, seja por que ainda não está na época de fruto, seja por que  árvore está doente, seja qual for o motivo para que ela esteja ainda sem fruto, nós sabemos que ela ainda é uma laranjeira. E por quê? É simples, nós sabemos que nela há uma essência indiscutível, uma essência que a distingue da macieira, da oliveira e da videira, pois há nela uma natureza de laranjeira.
Mas se porventura esta árvore produzir azeitonas, ou morangos, ou uvas, ou maçãs, ou qualquer outro fruto, aí sabemos que não estamos diante de uma laranjeira, pois além de não produzir laranjas ela ainda está a produzir outro tipo de fruto.
Assim também é com a vida do verdadeiro salvo, sua vida é movida pela fé em Cristo e pelo arrependimento das obras mortas. Ele pode ser um recém convertido, cheio de falhas, em qual não localizamos ainda nem um dos frutos do Espírito (conforme Gálatas 5), mas ele ainda assim é um cristão, ainda assim tem natureza de salvo. Por quê? Por que a natureza do salvo é ser arrependido. O arrependimento das obras mortas, do pecado é resultado de nossa natureza transformada. Mas quem não foi regenerado, não foi salvo não demonstra arrependimento sincero, neste caso não estamos apenas diante de uma árvore que não produz o devido fruto, estamos diante de uma árvore de espécie distinta, uma árvore que não penas não produz o devido fruto, mas também produz fruto diverso. No caso não seria uma laranjeira, mas outra espécie de árvore.
Aonde chegamos com tudo isso?  
Sabemos que o homem não pode salvar-se pelo seu próprio esforço em obedecer aos mandamentos da lei de Deus. Nada que ele faça pode transforma ele, uma árvore má, em uma boa árvore produtora de bons frutos. Mas aí é que entra a Graça. Ela regenera o homem, tira o coração de pedra, coloca um coração de carne tornando-o cada dia mais parecido com Jesus. Uma nova natureza, novo coração, nova seiva brotando-lhe da raiz, passando ao caule e as folhas. Então este pecador arrependido como tempo dará o devido fruto, pode que demore mais, pode que demore menos, mas o verdadeiro eleito dará fruto. Entendamos, ele não dará fruto para ser uma nova árvore, pois é impossível, por exemplo, uma jabuticabeira produzir laranjas.
Só Deus que pode fazer duma árvore ruim nascer uma árvore novinha. E esta árvore novinha , no devido tempo, tempo que o Maravilhoso Jardineiro conhece perfeitamente, ela dará laranjas muito doces e nutritivas simplesmente por ter sido transformada em laranjeira e sendo cultivada por este Jardineiro dará muitos frutos.
O Maior,  melhor e mais característica desta laranjeira é o fruto do amor. Quem não procura servir com amor ao seu próximo ainda não foi salvo, ainda não foi regenerado. 
Outra coisa,  se o fruto ( do amor) ainda não aparece isso não é desculpa para não cultivá-lo, não procurá-lo. A busca é sinal de que houve salvação, de que houve transformação. E sabemos que o Maravilhoso Jardineiro pacientemente cultiva sua laranjeira, até que em alguns casos parece que ela não dará fruto, parece demorar; mas não, ele cuida, ele cultiva, ele trabalha, ele está ali, amando sua árvore, cuidando de seus galhos, folhas e flores, ele poda os galhos fracos para que ela possa florescer e embelezar o ambiente.
 Voltemos as perguntas:
O que é guardar os mandamentos? O que isso implica? Se o cristão é salvo pela graça ele deve procurar guardar os mandamentos?
Guardar os mandamentos é amar ao Deus e ao próximo.
Isso implica em ser regenerado, ter sua natureza transformada.Ser alvo da Graça de Deus operando em sua vida.
O cristão deve procurar guardar os mandamentos pois este é o fruto natural do salvo , ele vai amar naturalmente, sem forçar e no devido tempo produzirá os frutos do Espírito.
   
A Bíblia diz em Romanos 13.10 “O que ama ao seu próximo não lhe faz nenhum mal. Pois o amor é o cumprimento total da lei.”
A lei de Deus resume-se em amor. A Bíblia diz em Mateus 22.37-40 “Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. 
Assim como o salmista, os crentes amam guardar os mandamentos do Senhor.


Se o  Maravilhoso Jardineiro está a te cuidar, regar, podar e cultivar no devido tempo você será uma linda laranjeira e produzirá muitos frutos para benefício dos homens ao redor e para glória de Deus.


Share:

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

A potência da oração noturna. Salmo 119.55

 Lembrei-me   do teu nome, ó Senhor, de noite, e observei a tua lei.  Salmo 119.55



A noite é para se dormir, nada mais lógico que isso. Todos os serviços essenciais, mantidos à noite, são naturalmente prejudiciais para a saúde da grande maioria das pessoas.  O dia foi feito para o trabalho e para as atividades e ao fim dele o corpo chega a um estágio de esgotamento que, somente com uma noite muito bem-dormida, é que as energias são recompostas.
Dormir faz bem para o corpo e para a mente. Durante o sono, é como se o corpo e a mente estivessem sendo calibrados para o dia seguinte: o cérebro consegue armazenar mais informações e a mente fica mais concentrada e atenta. Como uma boa noite de sono consiste em ter qualidade e quantidade, dormir em um ambiente saudável é crucial para que o corpo descanse bem.
Mas às vezes é bom quebrarmos um pouco esse excelente costume de descansar a noite e  tirar um momento para oração noturna.
O  salmista lembrava de Deus pela noite, era seu momento de orar a Deus. Alguns pensarem que Deus prefira que oremos pela madrugada, a verdade é que   não existe horário certo pra falarmos com Deus, pois Ele nos ouve a todo instante e em qualquer lugar, basta apenas chamarmos com fé.
Por que o Salmista fala então que à noite lembrava do nome de Deus pela noite?
Vamos primeiro quais os motivos errados para escolher  orar de madrugada:  não é porque a fila é menor, não é por que Deus te escuta mais, não é porque você  deva fazer  uma espécie de penitência  ( como que dizendo para Deus “olhe só como sou esforçado”), não é por que a oração é mais poderosa ou mais bem-feita.
Agora vamos dar um excelente motivo para escolher este horário para orar. Orar de madrugada é bom pelo mesmo motivo que oramos, geralmente de olhos fechados, ou seja, cerramos às vistas para ter mais foco e atenção na nossa oração. Por que seria diferente na madrugada? De madrugada   existe  bem menos barulho, nenhuma criança, seus parentes ou amigos dificilmente vão ligar ou realizar uma visita, poucas coisas tirariam sua atenção.  Altas horas da noite eu posso manter um silêncio, temor e comunhão   que não conseguimos manter em outros momentos do dia. O horário em si não te traz nada de especial a não ser sua própria disposição mental a abandonar as distrações diárias e focar exclusivamente em Deus.
Uma oração à noite pode ser muito mais vibrante, corajosa e desimpedida, pode nos revigorar as forças para enfrentarmos o dia posterior.
Obedecer a Deus e seus mandamentos de amor não é coisa tão fácil. Nosso corpo está tão acostumado ao pecado que é totalmente desconfortável obedecer à Palavra. Mas como aprendemos com o salmista, era durante a noite que ele buscava força e graça para obedecer. Buscava força e fé para perseverar em fidelidade.
Sem dúvida não podemos desprezar a potência da oração noturna, não se pode deixar sempre de lembrar  o quanto praticá-la pode nos fazer muito bem.





Share:

Cantar e peregrinar, verbos que andam juntos. Salmo 119 .54

 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.  Salmo 119 .54



O ditado popular diz que “Quem canta os males espanta.”
Isso é claramente uma inverdade. Nem sempre o que antamos  afasta coisas más, pelo contrário, dependendo do conteúdo da música o mal  continua ali, fazendo estragos na vida da pessoa . 

Faça uma breve análise das músicas da atualidade, músicas que fazem sucesso e tem apelo popular, e que sejam algo que seja fora do círculo evangélico. Olhe bem as letras , olhe bem os temas que elas executam. O que você vê?  A temática gira grande parte  em torno em torno do ideal romântico , do amor entre homem e mulher. E muitas destas músicas trazem um conteúdo totalmente podre e corrompido sobre este assunto.
Porém para o povo hebreu, a música tinha lugar de destaque na adoração a Deus. Além disto, era tocada em coroações, cerimônias de guerra, era conduzida para entreter a corte real, era utilizada em  casamentos e reuniões familiares,   durante as festividades da colheita, em situações de lamentos e  cerimônias funerais entre outras. 
Veja só, que grande prazer tinha o salmista em admirar os mandamentos de Deus, haja vista que o maior cântico da Bíblia, este que estamos a analisar, o salmo 119 é um enorme elogio aos mandamentos do Senhor. 

Poucas atividades humanas revelam mais beleza e harmonia do que uma bela música. Cantar é bom, mas cantar ao Senhor é muito melhor.

Cantar ao Senhor nos traz plenitude, traz alegria. Paulo e Silas (Atos 16:25-28) cantavam na prisão não por estivessem felizes com seu encarceramento, nem por que eram malucos e gostavam de sofrer açoites. Não, eles cantavam por que cantar , louvar, ameniza o sofrimento. Cantar lhes aliviava as dores lacerantes que sentiam na carne.
O salmista estava feliz, estava jubiloso , ele ansiava viver com Deus, e ele nem mesmo considerava sua morada terrena algo de valor pois chama de casa de peregrinação ou casa de passagem. Apesar disso seus dias nesta casa provisória se tornavam mais alegres e felizes quando ele cantava, e não cantava qualquer música, ele cantava a Palavra de Deus.
Não existem letras mais profundas, mais elaboradas, mais  deliciosas de se ouvir e cantar , mais edificantes do que as letras que emanam da Bíblia Sagrada. Quando o conteúdo bíblico jorra dos lábios do cantor vindo direto da fonte da vida que são as Sagradas Escrituras temos plena certeza de que estamos no caminho certo, o caminho da adoração.
Cantar e peregrinar são verbos que devem ser conjugados juntos durante a vida cristã. O louvor em forma melodiosa é  algo de mais sublime e próximo dos céus que o Senhor nos permitiu conhecer.

Meditar em uma música de conteúdo bíblico é refrigério para alma, consolo para os aflitos e um poderoso remédio para os males do mundo. Saul chamava Davi para tocar-lhe Harpa e fazer com que a tristeza fugisse, Eliseu pediu para si um tangedor de harpa também para que o ambiente fosse agradável para que ele pudesse receber a divina orientação que o rei precisava.

Escute louvores, cante louvores, ame louvar, mesmo que sua voz nãos seja a mais linda e apreciável, afinal Deus é que fez esta voz e ele sempre se aceita o que lhe é oferecido com gratidão e como expressão de nossa alegria em servi-lo;


Share:

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Irar-se para glória de Deus. Salmo 119. 53



Grande indignação se apoderou de mim por causa dos ímpios que abandonam a tua lei. Salmo 119. 53




Quando é que a ira é justa? Esta é uma pergunta muito relevante porque estamos sempre propensos a nos irar e agir de acordo com essa ira.

 A ira é um reflexo humano , uma resposta quase automática que nosso corpo dá quando percebemos que algo está errado. David Kornfield diz que a ira é o desejo ardente de atacar, corrigir ou destruir algo ou alguém que nos incomoda ou nos ameaça. A ira nos faz agir, e agir rápido, em diversos casos isso pode ser uma vantagem primitiva. Se estamos sendo agredidos a ira nos faz lutar, se estamos precisando defender a família ou amigos a ira nos projeta para sua defesa.
Mas raramente estes casos extremos justificam os muitos acessos de  ira que incorremos no decurso da vida.  Os motivos que nos levam a ira são muito menos nobres. Acredito que um dos principais motivos de ira é nossa tendência a proteger nosso orgulho, nossa vaidade e nosso amor próprio. 

Esse tipo de ira, necessária em determinadas situações, leva a pessoa a agir em favor da verdade, do amor e da justiça. Nunca em defesa própria!
 O Salmista foi muito correto em sua ira, ele não estava se indignando por causa de si mesmo, por causa de uma ofensa pessoal que houvera recebido. Não , ele estava se indignando por causa da santidade de Deus. Há homens que lutam ferozmente, com todas as forças que possuem para que a Majestade do Senhor seja conhecida e reconhecida na terra. Por isso, por tal amor, por tal devoção eles se iram contra as injustiças, as crueldades dos homens, as falsidades e tudo quanto é pecado e ofende a Santidade divina.
Apesar da ira não ser um sentimento negativo por  si mesma, ela pode provocar uma reação totalmente pecaminosa como uma agressão , seja verbal ou física, ela também pode provocar ressentimentos, amarguras, ou ainda por provocar graves erros de julgamento.

O segredo para sermos bem sucedidos ao controlar a ira é pensar na hora , " poxa , por que estou irado?" Se a resposta da pergunta é algo ligado ao seu bem estar, suas necessidades ou sua honra ou orgulho é hora de rever sua ira e rogar a Deus para que essa ira suma o mais rápido possível. Claro que isso é difícil, mas com treino  e motivação conseguimos, o importante é construir o hábito de refletir mesmo estando irado, o que parece, mas não é, tão simples.
O motivo mais justo para nos irarmos é a busca pela vindicação do nome de Deus entre as nações. Quando percebemos o pecado e isso nos deixa irado isso é sinal de que o Espírito Santo está trabalhando em nossa vida. Não só o pecado notável que percebemos na vida de outrem, mas nosso pecado também. 

Essa ira contra o pecado, a transgressão,  aponta para nosso amor e devoção ao Senhor. Aponta para nosso temor , nossa disposição de honramos àquele que merece toda honra e Glória , nosso Deus.  Neste contexto sim, faz sentido irar-se para glória de Deus.
Share:

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Conservadores ou Revolucionários? Salmos 119:52

Lembrei-me dos teus juízos antiquíssimos, ó Senhor, e assim me consolei.  Salmos 119:52

Sabemos que nosso mundo atual está  se tornando cada vez mais intolerante para com valores antigos. As palavras "revolução", " progresso", "modernidade", "mudança" são usadas com muito mais frequência e com significado muito mais positivo do que as palavras "preservar", "conservar", "proteger", 'perpetuar", por exemplo.

Johann Wolfgang Goethe diz que : "aquele que sabe guardar, proteger e conservar terá sempre, no fim, a melhor parte" e que "bom é adquirir, mas melhor é conservar".

Apesar da sociedade moderna invariavelmente desprezar os conservadores,  sabemos que essa característica é  positiva  ,quando sem exageros,  para a  vida do crente.
Goethe concordava com o salmista neste importante ponto. Os dois entendiam o valor das coisas antigas, o valor de conservar o que  possuímos, assegurar-se do  que for bom.

O salmista entendia que os juízos de Deus eram antiquíssimos e isso era um elogio! Na sociedade dos hebreus uma coisa que era antiga tinha bastante valor, por exemplo os anciãos eram reverenciados e detinham a autoridade tribal e familiar, o vinho antigo era muito apreciado,  o valor de uma lei, ensino  ou tradição  estava diretamente ligada á sua antiguidade.
Ao saber que os mandamentos do Senhor eram antigos o salmista tinha segurança.  Antigo é algo  bem conservado, algo bem protegido e valorizado. Conservar, do ponto de vista bíblico,  implica observância à sã doutrina, a qual nos leva à santidade, à prudência e a ter bons costumes.
Há muitos jovens de hoje em dia que acham que deve haver mudança pela mudança, luta pela luta, revolução por revolução, como se somente o ato de mudar resolvesse algo.
Pense, existem conquistas que as gerações passadas lutaram muito para adquirir e nós podemos jogá-las fora somente pelo gosto de mudar.

A filósofa Hannah Arendt disse :
O revolucionário mais radical se torna um conservador no dia seguinte à revolução.

Ou seja, ele, o jovem revolucionário,  assimila aquilo que ele conquistou como o suprassumo do correto, do justo, e idealiza o seu feito.
Ser conservador também significa o bem, manter o que é bom, verdadeiro, e não significa de modo algum  apegar-se no passado com todas as a suas falhas e fracassos adotando um modelo antigo sem nenhuma reflexão. Conservar não é compactuar com erros do passado nem querer que a tradição valha por si mesma. Conservar significa que não devemos descartar fora tudo que é antigo, tudo aquilo que não advém da revolução e da conquista.
Ser alguém conservador não significa lutar contras mudanças, contras melhorias, não é pensar que as gerações mais novas não tem nada a acrescentar , conservador é aquele que sabe diferenciar o que é valor e o que é costume, o que é princípio bíblico do que é recomendação humana.

Mudar nem sempre é bom negócio, muitas vezes em busca de uma mudança que vai melhorar nossa vida procuramos coisas que vão mais é estorvar e atravancar nossa realização pessoal .Reflita, tem horas que é preciso deixar as coisas como estão e batalhar pelo que se já conquistou.
Focar no que Deus nos deu, no que Ele nos fez, no que recebemos de nossos antepassados, pastores, amigos e parentes. Construir onde já há alicerce sólido é muito mais fácil e nosso trabalho fica mais produtivo. Se   nos empenhamos só na mudança, na troca e só na conquista,  abriremos a guarda para que nos roubem aquilo que já alcançamos.
Como cristão é mais do que natural a  nossa adesão a princípios e valores atemporais, que não mudam com o tempo nem com o gosto da sociedade. Valores como o combate ao aborto, combate ao homossexualismo, combate ao adultério, combate ao fumo, às drogas, valorização   familiar, da autoridade masculina do lar, entre outros.
As coisas antigas, os mandamentos antigos,  trazem confiança. Eles são como balizas que norteiam nossa tradição e nos podem orientar quando forem necessárias mudanças pontuais.  Eles já resistiram á muitas épocas e  gerações por isso mostram-se dignos de elevada estima.
Enquanto os ímpios nos dizem  que temos que mudar, temos que evoluir, nós os refutamos dizendo :  " nós  precisamos é conservar a fé que uma vez nos foi dada, e nós cremos que será preservada pelo auxílio do  Espírito Santo. É imperioso que mantenhamos  nossa fidelidade irrestrita á Palavra , isso é ser um conservador Cristão.

O salmista foi consolado em sua aflição pela lembrança da antiguidade dos mandamentos do Senhor. A revolução pode mudar muita coisa, mas nem sempre mudar muita coisa é preciso ou saudável. E mesmo havendo necessidade de mudança, algo precisa ser conservado   especialmente os princípios bíblicos.

Share:

Popular Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

IPB

IPB
Logo Igreja Presbiteriana do Brasil

Seguidores

Minha lista de blogs

Total de visualizações

Siga-me por e-mail!

Menu (Editar so No Html )

Recent Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

Copyright © Blog do Vitor Germano | Powered by Blogger

Design by ThemePacific | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com