Blog sobre Teologia contemporânea. Devocionais, artigos e Estudos Bíblicos indutivos

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Minha Virada Reformada



Aos 30 anos um homem faz muitas escolhas importantes na vida. Ao menos ele deve ser capaz disto.
Aos 30 anos Agostinho se converte ao Cristianismo, deixando de lado todo seu racionalismo científico , seus ideais de abstrações filosóficas, suas ambições de oratória  e de riqueza material. Ele também passou por uma fase esotérica e mística antes dos seus 30 anos , quando esteve entre os maniqueus, uma seita que pregava um dualismo quase platônico.
Jesus também começou seu  prodigioso ministério por volta dos 30 anos.
Os Sacerdotes e os Levitas entravam para o ministério das coisas sagradas aos 30 anos de idade, lemos em  Nm 4: 3, 23 e 30. José foi nomeado governador do Egito com 30 anos, lemos em  Gn 41: 46. Tinha Davi 30 anos quando começou a reinar, como percebemos em  2 Sm 5: 4.
A Torá explica que é aos 30 anos a pessoa se torna mais humilde e com  um coração quebrantado, e aprende a "orar com a alma” Segundo a tradição judaica, 30 anos  de idade é um estágio mínimo de maturação física , mental e emocional, quando certas realidades da vida já firmemente representam a vida da pessoa,  ela já tem capacidade para tomar decisões importantes.
Agora em Julho, próximo de completar meus 30 anos, no dia 28 deste mês, assumi minha posição reformada de entender a teologia. Não foi uma virada como a de Agostinho, que mudou de perdido para salvo, descrente para crente, nem muito menos como a de Cristo que começou seu prodigioso ministério terreno, mas foi uma virada teológica fundamental, que mudou o rumo de minha vida espiritual.
Há muito tempo, desde que comecei a estudar o debate entre arminianismo e calvinismo, no começo de minha faculdade de teologia, que venho enfrentando esta crise. O modo pentecostal e arminiano de enxergar a atividade divina , sua Providência  e sua Soberania não me deixavam satisfeito. Me debatia com a ideia que um Deus soberano deixasse a escolha de salvação e a manutenção da mesma inteiramente sob a responsabilidade humana. Isso é bastante complicado, sendo que a possibilidade de que , de alguma forma eu pudesse morrer sem ter tempo de pedir perdão a Deus ou ainda pedir perdão ao meu próximo por alguma ofensa cometida poderia me jogar no inferno. O temor da condenação ainda repousava sobre mim. Como teria segurança de evitar 100 por cento pecar para que não tivesse medo de ser condenado a qualquer instante, seja por uma morte repentina ou pelo retorno de Cristo que é iminente?
Depois de entender plenamente a posição reformada, a eleição incondicional, a graça irresistível, a segurança dos eleitos e a redenção particular ( ou limitada, um termo que evito por parecer ser ambíguo) eu assumi esta forma de acreditar. Estive mais seguro e mais convicto da minha salvação eterna.
Mas a virada reformada ainda não estava completa. Foi muito difícil deixar a minha congregação da Assembléia de Deus, meus irmãos pentecostais que eu tanto amo. Eu ali me converti, aceitei a Cristo, tornei-me diácono, presbítero e Evangelista. Uma carreira ministerial se encaminhara. Também me debati com o fato  de  que o arminianismo puro e também o pentecostalismo clássico não eram heresias em essência, não condenando ninguém a perdição , sendo considerados erros teológicos. A saída se mostrava inevitável , mas difícil, por que não convivia com pregações que condiziam com minha fé reformada.
Mas um dia a minha saída definitiva ocorreu e minha virada se tornou completa. Eu orava por conforto e por direção.
Era um dia de culto na Congregação que frequentava, eu estava atrasado, fui tomar um banho e logo fiquei a meditar no que estava fazendo. NOocaso, eu estava indo a contragosto à Igreja , com o objetivo de manter uma aparência de contentamento , para que os outros não percebessem que estava contrariado com a doutrina ensinada. Minha consciência estava ferida e apelava ao coração.
Foi então que resolvi atender ao clamor da consciência e não fui no culto neste dia. Logo depois , orando a respeito , resolvi visitar a Igreja Presbiteriana de nossa cidade, a única de orientação reformada . Ali visitando entendi que ali seria um bom lugar para exercer minha fé. Solicitei meu desligamento da Assembleia de Deus, não sem pesar , por causa da perda do convívio com as amizades de mais de 10 anos de Igreja , meu e de minha esposa.
Na verdade  Deus me escolheu para ser reformado, Ele que me separou dentre os arminianos. Eu não posso resistir à sua Graça e submeti-me ao seu amor inexplicável.

Mas com a orientação divina o apoio da minha esposa  estamos congregando em uma das Igreja Presbiteriana do Brasil, com muita segurança e sinceridade. Foi uma Virada Reformada.



Share:

terça-feira, 26 de julho de 2016

OS artigos da Remonstrância

Os 5 pontos da Remonstrância




1. LIVRE ARBÍTRIO : O Arminianismo ensina  que a depravação do homem é total e desabilita completamente o homem de poder escolher crer e receber a Salvação . Porém o ser humano  pode ser redimido e assim ele pode livremente escolher entre aceitar ou não Jesus como seu salvador.

2. ELEIÇÃO CONDICIONAL
Arminio ensinava também que a eleição estava baseada no pré-conhecimento de Deus em relação àquele que deve crer. A fé é a condição para ele ser eleito para a vida eterna, uma vez que Deus previu que ele creria.

3. EXPIAÇÃO UNIVERSAL
A morte de Cristo oferece a Deus base para salvar a todos os homens e cada homem deve exercer sua livre vontade para aceitar a Cristo.

4. A GRAÇA PODE SER RESISTIDA
O arminiano, em seguida, crê que uma vez que Deus quer que todos os homens sejam salvos, ele envia seu Santo Espírito para atrair todos os homens a Cristo. Deus deseja que todos os homens sejam salvos mas sua graça salvífica pode ser recusada pelo pecador.


5.O HOMEM PODE CAIR DA GRAÇA

Sendo a f
é o elemento indispensável para salvação , se por ventura o pecador voltar às antigas práticas e abandonar a sua fé ele nega seu salvador e perde sua salvação. 





Cinco Pontos do Calvinismo
TULIP 
T   Total Depravity   -      Depravação Total
  Unconditional  Election  - Eleição Incondicional
  Limited  Atonement  -  Expiação Limitada
  Irresistible  Grace  -  Graça Irresistível
P  Perseverance of Saints  -  Perseverança dos Santos


1- Depravação Total – Afirma que o homem é incapaz de crer no evangelho, devido à queda, o pecado deixou o homem totalmente sem capacidade de se voltar a Deus.

2- Eleição Incondicional – Deus elegeu desde a fundação do mundo, segundo o seu próprio querer, incondicionalmente, os que seriam salvos, sem levar em conta a fé do eleito, e consequentemente os nãos eleitos seriam destinados a serem condenados.

3- Expiação Limitada – A morte vicária de Jesus é intencionada somente para os eleitos, em outras palavras, Jesus morreu somente em favor dos eleitos.

4- Graça Irresistível – A graça de Deus é apresentada ao eleito de tal forma que é impossível resistir a ela, rejeitá-la, não aceitando o evangelho.


5- Perseverança dos Santos (Incondicional) – O eleito será preservado por Deus, e não perderá a salvação, em outras palavras, uma vez salvo sempre salvo. 

Share:

terça-feira, 19 de julho de 2016

Na Virtude do Espírito



Volto a este importante assunto que tratei inicialmente neste post, mas agora  tratando da diferença entre a experiência pentecostal tradicional e o avivamento pessoal que todo cristão deve ter . Quero enfatizar como o uso do pretexto   "Batismo do Espírito Santo"  pode tornar um cristão infantil e orgulhoso.
Eu proponho que escolhamos viver o   avivamento em vez de assumir o batismo com Espírito Santo. Não é mera semântica, os termos são qualificados pela realidade que os circunda. Já veremos isso.
Será uma proposta ousada , que mexe com as estruturas de todo o meu  sistema teológico, mas é uma mudança que amadureceu lentamente no meu coração, e precisa ser feita. Eu creio que a virtude do Espírito é algo muito mais profundo do que apenas uma experiência , é algo constante e que cresce na vida do verdadeiro salvo. Algo notável.
Essa proposta veio da leitura de críticas reformadas ao movimento pentecostal. Um estudo breve, mas atencioso, cabe-nos aqui.
Sobre as críticas, algumas  delas vieram de  reformados que criam na chamada "segunda bênção". 
 Para começarmos vamos ver a forma como via Martyn Lloyd-Jones esta segunda bênção, também chamada de revestimento de poder , de fato sua visão a este respeito  é completamente diferente da doutrina pentecostal acerca da “segunda bênção”.

Lloyd-Jones, em seu livro  A Vida no Espírito ,  nos ensina que o batismo no Espírito “é uma capacitação e investidura de poder com o propósito de realizar uma tarefa determinada”  - Ele cita estes exemplos -  Êxodo 31.2-4   Lucas 1.15   Lucas 1.41, 42   Lucas 1.67. 
Estes são exemplos de que a investidura de poder é algo marcante e consciente na vida do cristão.  
Ainda para  Lloyd-Jones,  um cristão que está cheio do poder do Espírito deve estar pronto a fazer o que  for necessário para cumprir a vontade do Senhor. Para ele esse acontecimento é um milagre repentino e inesperado, que não depende de modo algum do homem, seja em forma de sacrifício ou disciplina espiritual.
Neste sentido , Deus tem liberdade para pegar um dependente químico, uma prostituta , um ladrão  e tomá-lo  pelo poder do Alto transformado-o instantaneamente em um poderoso evangelista.
Claro que nestes casos subentendemos que   qualquer uma destas pessoas teve a oportunidade de ouvir a poderosa mensagem do evangelho, crer e ser restaurado. Para  Lloyd-Jones esta experiência seria uma capacitação especial de poder para proclamar com intrepidez o Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. 

É  importante destacar que a experiência  percebida em  atos   é irrepetível, foi um momento   decisivo que marcou o início da história da Igreja. Como dissemos, e frisamos agora, este evento não se repete hoje em dia.
Na Bíblia o que percebemos é uma crescente do alcance do poder divino, como que revestindo com a experiência apostólica, em grau efetivamente menor, em outros contextos. Samaritanos e Romanos recebendo o mesmo poder de atos 2.
Perceba que “Enchei-vos do Espírito” como lemos em Efésios 5.18 é um mandamento e não uma experiência. 
Neste sentido , creio eu , que precisamos ser constantemente revestidos de poder. O que o pentecostalismo enxerga como batismo os protestantes tradicionais enxergam como avivamento.
Temos muitos casos de pessoas que foram impactadas com poder sobrenatural de Deus mas não denominaram isso de "batismo". Percebemos , por exemplo, essa graça fora do comum em John Wesley, Jonathan Edwards, Evan Roberts, Charles Spurgeon, e mais contemporaneamente percebemos os tradicionais John Piper e o Reverendo Hernandes Dias Lopes.
Deus usa homens avivados para avivar a Igreja.
Eu não defendo que estes homens passaram por uma experiência nos moldes pentecostais, pois eu mesmo entendo que estes moldes foram corrompidos. Neste sentido, o que entendo é que estas pessoas nitidamente são agraciadas  por Deus com um poder especial que vem do céu para cumprirem suas missões. Eu chamamo isso de avivamento.
Então qualquer pessoa pode alcançar este nível de espiritualidade?
 Negativo. Nem todos. Isso pertence a Deus e ele concede esta graça em forma de milagre aquele que ele desejar.
Alguns de nós seremos, outros não, isso não nos pertence. Discordo dos que afirmam que basta buscarmos e cada um pode ser um Billy Grahm ou um Spurgeon. Deus não age desta forma . A proposta para os nossos dias é sermos pessoas avivadas em nossa Igreja e em  nossa nação. E isso não é pouco .
O que são pessoas avivadas?
O que são pessoas falsamente avivadas?
Vamos mencionar 3  características para cada uma das perguntas.


O que são pessoas avivadas?

São pessoas cheias do Espírito
 Repetindo o texto  que lemos em Efésios 5.18 ,  "Enchei-vos do Espírito” Pessoas avivadas são aquelas que estão sempre dispostas ao serviço do Senhor. Estão motivadas essencialmente em trazer a glória de Cristo para o meio da sociedade, isso de forma a auxiliar os pobres, ajudar os órfãos, carentes e necessitados, evangelizar os perdidos , ensinar o caminho da verdade aos que estão a corromper-se.

 São pessoas que andam em Espírito
Pessoas avivadas andam em Espírito (Gálatas 6.16) .  Ou seja, buscam a santidade a todo custo , buscando sempre o fruto do Espírito, não satisfazendo os desejos da carne. Pessoas avivadas desejam aprender das Sagradas Escrituras e aplicar elas em suas vidas, desejam obedecer ao Senhor de todo coração. Sua vida perde o sentido se não for uma vida para Cristo.


São pessoas amam a comunhão do Espírito
Pessoas avivadas amam a comunhão com o Espírito Santo e de modo algum querem entristecê-lo.  (Efésios 4.30) . A busca da intimidade com Deus é uma marca inconfundível de que estamos , e somos crentes avivados. O Espírito se entristece com a rebeldia,  desordem, divisão  e a indisciplina. Devemos , pois evitar estas coisas, para que tenhamos uma comunhão profunda com o Espírito Santo.



 O que   são pessoas falsamente avivadas?

São emocionalmente instáveis
Pessoas falsamente avivadas podem muito bem achar que línguas estranhas, pulos , gritos e sapateados são manifestações do poder de Deus. Não são. O que ocorre , em muitas vezes , são apenas manifestações emocionais que prejudicam a ordem do culto. Extravagâncias, gestos espalhafatosos, misticismo, tudo isso pode e deve ser evitado .
 O servo do Senhor tem suas emoções sob controle ( I Cor 4.32), ele as canaliza para,  em atitudes no dia a dia , manifestar a glória de Deus na sociedade.

 Causam divisão por orgulho
Pessoas falsamente avivadas são as que causam divisões na Igreja. Tachando-se de super crentes, super espirituais acabam formando grupos dentro da igreja , grupos de "elite espiritual" trazendo grande prejuízo à unidade e ao crescimento da Igreja. Julgam-se superiores, possuem uma tendência a serem levados ao legalismo.

 Desprezam a Palavra de Deus
Pessoas falsamente avivadas desprezam o conhecimento profundo da Palavra de Deus e por isso usam o famoso bordão " a letra mata mas o Espírito vivifica" ( I Cor 3.6) , notavelmente fora do contexto original . Neste sentido,  elas evitam o estudo bíblico em nome de uma falsa devoção travestida de orgulho e exibicionismo espiritual, alardeando o quanto tempo gastam em "oração"  e quantos "milagres" elas já presenciaram. Tudo lamentavelmente feito para glória e orgulho humano.


De fato o melhor que devemos buscar é uma vida plena  do Espírito, uma vida dinâmica e poderosa, influenciando a sociedade e levando Cristo a ela. 
Por isso o cristão deve buscar sim uma vida inteira na virtude e no poder do Espírito, procurando exercer sua vocação e seu chamado para glória exclusiva de Deus. Este poder é verificado em uma vida em que o fruto do espírito de Gálatas 6  é verificado em abundância e pleno desenvolvimento.
 Não devemos pois buscar uma experiência isolada que nos torne arrogantes e , pretensamente superiores aos outros. 


Share:

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Por que orar? - Salmo 119.26

Eu te contei os meus caminhos, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos. Salmo 119.26



Por que orar? Por que falar algo que o Deus Onisciente já sabe?

O fato é que  todo relacionamento precisa de diálogo. Amigos verdadeiros conversam entre si. Marido e mulher em um casamento saudável dialogam ,  o pastor conversa com seu rebanho , pai e filho , em um relacionamento  sadio conversam com franqueza. Se um relacionamento não for abastecido com diálogo ele enfraquece e morre.
Nosso relacionamento com Deus também precisa de diálogo. Nós podemos dizer que no trato com o Senhor  pode se assemelha a de um filho para com o pai ou entre o homem e seu melhor amigo. mas apesar de se assemelhar a intimidade deve superar  a que ocorre neste tipo de relacionamento.
O primeiro mandamento (Mt 22.37) ensina a amar a Deus sobre todas as coisas. Isso significa dar a Ele primazia sobre nossa vida, ou seja, um relacionamento íntimo e profundo, sem reservas, sem segredos, sem desconfianças. É importante que nosso amor não seja apenas teórico, confessional, mas ultrapasse isso, desfazendo toda barreira que nos afaste do amor compreensivo de Deus revelado em Jesus Cristo nosso Mediador. As barreiras do medo, da desconfiança e da ignorância.
É através e em nome de Cristo que oramos, e no nome de Cristo que somos ouvidos, é nEle que temos acesso irrestrito à face do Pai. Nossa sinceridade deve ser absoluta, deve superar qualquer barreira, não interessa o quanto difícil seja de ultrapassá-la. Seja a barreira da desconfiança, a barreira da vergonha, a barreira da falta de atitude, ou a barreira da pressa.
É necessário confiar em alguém para se abrir com esta pessoa e partilhar da intimidade. Confie no Senhor.
A vergonha pode impedir o relacionamento. Ter medo de expor suas fraquezas é um problema, é natural. Mas Deus sabe de tudo que fazemos, não temos porque evitar nos  expor  , pois Ele mesmo assim deseja nos ouvir.
A falta de atitude impede as pessoas de se aproximarem de Deus em oração. E quando o fazem é com pressa.
O Senhor deseja conduzir nossos passos, iluminar nossas decisões, ajudar nas nossas escolhas, abençoar os nossos caminhos, mas para isso é preciso que contemos nossos caminhos para que Ele nos auxilie na jornada.
Depois de nos ouvir com atenção , Ele irá nos ensinar os seus estatutos e iremos ser bem aventurados na caminhada da vida



Share:

sexta-feira, 15 de julho de 2016

O Fardo. Salmo 119.25

A minha alma está pegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra. Salmo 119.25 



Por que a alma do  autor está apegada ao pó? Não sabemos, mas sabemos que ele tinha esperança que , segundo a palavra do Senhor, segundo a sua promessa , ele poderia ser restaurado.
Quando ele diz que sua alma está apegada ao pó ele está dizendo que ela foi colocada lá, ela foi abatida. Talvez tenha sido derrubada por um golpe, ou pode ser que tenha sido prostrada pelas tempestades da vida.
Se foi um golpe, certamente  foi duro, forte, porque ele não estava podendo levantar-se sozinha.
Vamos a um exemplo que ilustra o caso.
Uma vez uma  criança, que indo com os pais no mercado , recebeu a incumbência de ajudar a carregar uma sacola das compras,  ela  precisava ajudar os pais nesta tarefa, pois eles não tinham carro, precisando ir a pé. O problema é que ela teve que  carregar uma sacola pesada demais e parou no meio do caminho  cansada. Depois disto  reclamou de ter pegado uma sacola muito pesada. Seu pai , vendo o esforço despendido,perguntou: Por que você não me disse antes que não conseguia? Eu ajudava a carregar tua sacola.
Ele pegou, então,  uma alça da sacola e prosseguiu até chegar em casa. Desta vez a criança conseguiu com facilidade.
Perceba, ele esteve todo tempo ali , do lado dela , a qualquer pedido de ajuda ele poderia estender a mão para ajudá-la. 

Você já passou por  aquela situação da vida em que sentimos um peso tremendo sobre nós? Um peso esmagador , impossível de carregar, em que apenas gememos embaixo da carga?
Este é o famoso abatimento, estamos caídos , quase sem vida, sem fôlego para dar mais um passo. Os fortes golpes da vida nos prostram. Pensamos em desistir, pensamos que não dá mais.
Sabe por que?
Em muitos casos é por que  somos como aquela criança, que sabe que não tem condições de carregar a sacola, mas insiste mesmo assim até se cansar e desistir no meio do caminho. Somos assim também , suportamos um peso tremendo nos lombos resistindo em pedir auxílio, até que paramos desgastados e sobrecarregados no meio do caminho. Sem condições de suportar mais o fardo, abandonamos ele , deixamos um compromisso, um projeto, um objetivo, porque estamos abatidos esgotados.
Mas nosso Pai não deseja que isso seja assim, Deus deseja caminhar conosco, por a mão na nossa mão e segurar o nosso fardo. Ele deseja nos vivificar, nos tornar alegres em sua presença. Eu sei que o Senhor tem muitos projetos para as nossas vidas e ele quer tocar estes projetos conosco. Se ele nos dá uma tarefa pesada, árdua e difícil, não é para abandonarmos, pelo contrário , é para cumprir até o fim. 

Se tornar-se demasiado difícil, Ele se compromete em nos vivifica, segundo a sua Palavra. 




Share:

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Distinguindo bons conselhos. Salmo 119.24

Também os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros. Salmo 119.24



Uma coisa que percebo, com tristeza nos nascidos em minha geração , "jovens" com menos de 40, é a ideia totalmente descabida de que não precisamos de conselhos. Os jovens de hoje são muito espertos, essa geração sabe sobre tudo, dizem  espantados  os mais velhos.
Não, eles não sabem, e muitas vezes perdem a oportunidade de pedir um bom conselho e acabam amargando fracassos. Quem pede conselhos a pessoas certas, evita muitos dissabores na sua vida.
Justamente nós, jovens, somos sem dúvida os que mais precisamos de conselhos, bons conselhos, para lidar com este mundo cada vez mais impiedoso  e maligno. Pessoas de 60 ou 70 anos já tem uma boa bagagem para usar como suporte de suas decisões, mas um moço de 20 anos que suporte tem?
Se existem jovens que tomam boas decisões eles  com certeza eles estão buscando conselhos edificantes, sejam em revistas, sejam em sites, jornais, livros, amigos, e principalmente no bom e velho diálogo com pessoas mais experientes.
O salmista era provavelmente um homem jovem , por que escreveu neste mesmo salmo , versículo 9:

"Como pode um jovem conservar puro o seu caminho?
 Vivendo-o de acordo com a tua Palavra."

 Ele era um jovem que sentia prazer na sabedoria, prudência  e bom senso  que ele encontrava nos divinos conselheiros.
 Mas não é só jovens que precisam de conselhos, grandes homens de Deus tiveram conselheiros: Salomão mesmo destaca, em    Provérbios 24.6:

Quem sai à guerra precisa de orientação, 
e com muitos conselheiros se obtém a vitória.

Naturalmente existe o grande risco de darmos ouvidos a um mau conselho, isso é um problema tão sério, e que ocorre com tanta frequência , que  parece justificar a tendência de alguns de evitar sugestões de terceiros. O Rei  Salomão, que foi o homem mais sábio que já existiu, teve um filho, Roboão, que não foi nada sábio como seu pai. Roboão tomou maus conselhos, ao invés de ouvir o conselho dos anciãos, que haviam crescido e vivido com seu pai no palácio, resolveu seguir os conselhos que havia pedido dos mais jovens, seus amigos (2 Crônicas 10:1-19; ). Resultado: perdeu boa parte da herança, quando teve o reino herdado do seu pai dividido.
O problema não é pedir conselhos, mas pedir maus conselhos, de fontes e pessoas erradas.

Em ordem de prioridade as pessoas que podem  oferecer bons conselhos.
Esposo ou esposa.
Pais  são ,   por quererem nosso bem e terem mais experiência.
Os anciãos da igreja.
O Pastor, ou líder da igreja .
Amigos, de preferência os mais velhos.
Colegas de trabalho.

Perguntas para avaliar  um bom conselho:
Foi  dado por pessoa  boa , justa  e honesta ? Pedir a um mau caráter conselho só se você também for um mau caráter.
Foi dado por pessoa  espiritual, que tem bom relacionamento com Deus? Evite pedir sugestões a pessoas sem Deus pelo mesmo motivo anterior.
São sugestões desinteressadas? Por exemplo, perguntar ao chefe se você deve ou não pedir aumento não é uma boa idéia.
A pessoa que é experiente no assunto que você precisa saber? Pedir ajuda sobre casamento com uma irmã da Igreja que jamais casou não é uma boa.
Ainda sobre o caso anterior, caso precise de conselho jurídico , busque uma advogado, conselho de saúde procure um médico e assim por diante, parece óbvio, mas para muitas pessoas não é.

Por fim, a baliza final para um bom conselho, deixei por último para destacar bem.


Um bom conselho para um cristão deve ser um conselho bíblico. Uma recomendação  baseada na Palavra de Deus é uma condição fundamental de  um bom conselho.  Por isso ler a Bíblia é o melhor conselho.


Share:

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Uma bela ironia. Salmo 119.23

Príncipes também se assentaram, e falaram contra mim, mas o teu servo meditou nos teus estatutos. Salmo 119.23
 

Pense na situação. Você fica sabendo que existe gente poderosa, influente na sociedade, talvez mega empresários , políticos poderosos , grandes líderes, que estão tramando contra você.  Eles se sentam para falar contra você, procuram meios de te destruir. Como você reagiria? Ficaria perturbado? Nervoso? Com medo? 
Qual seria sua estratégia de defesa? Como seria seu projeto para evitar o pior?

Já falamos, na introdução ao salmo 119 , que não sabemos quem seria o autor do salmo 119, porém podemos nos deter em algumas informações que ele nos dá ao escrever.
Aqui percebemos que possuía inimigos poderosos, os príncipes, ou seja, os principais  cidadãos de Israel, a elite da sociedade hebréia. 
Por que os poderosos se insurgiram contra ele? Por que tramava contra sua vida?
A expressão que afirma " eles se assentaram"  significava, no contexto judeu, a ideia de tramar algo , refletir sobre a melhor forma de fazer algo. Algumas traduções trazem a palavra "conspiraram"  no lugar de "falaram contra mim". De qualquer forma, aqui vemos o salmista dizendo que os poderosos estavam assentados estudando a melhor forma de destruí-lo, literalmente 'falaram contra" o salmista. O motivo de falarem mal não seria outro a não ser a inveja, arrogância, ou qualquer outro sentimento mal, pois o salmista, percebemos pelo que escreve no restante do salmo,  era um homem íntegro e temente a Deus. Este tipo de gente sempre incomoda os corruptos e malignos, pois com eles não se associa para praticar suas impiedades.

A descrição de sua reação  possui uma bela ironia , perceba, enquanto seus inimigos se assentam  meditam em um jeito de destruí-lo, ele também medita, só que nos preceitos divinos. Sua estratégia de defesa é simplesmente confiar e buscar conhecer mais sobre o seu Deus, afinal Ele era o único que poderia livrá-lo das traiçoeiras ciladas que lhe preparavam os adversários. Uns meditando sobre o mal, outros meditando em Deus.  Sinceramente, que   bela ironia!
Realmente, parece bonito de pensar na  sua atitude, mas de fato reagir com a mesma fé e serenidade é um desafio para todos nós.
Sem perturbação e sem desespero, ele estava refletindo na grandeza de Deus e isso lhe trazia a segurança que precisava.




Share:

Os desprezados. Salmo 119.22

Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado os teus testemunhos. Salmo 119.22


 Que situação complicada.  A pessoa se esmera por fazer um bom serviço, está ali, se gastando pela empresa, faz o seu melhor, doa seu conhecimento, sua energia, disposição, boa vontade e mesmo assim é desprezado pelo chefe. Que Difícil!
O pai que se esforça para cuidar da casa, trabalha, educa, ajuda, anima, apóia, incentiva, ajuda a criança no que precisa, se o menino  fica doente até dormir ele deixa para cuidar do seu querido filho. Mesmo assim o que o filho não lhe demonstra afeto. Ele sente-se um pai desprezado. Isso é duro. Não é fácil lidar com isso.
Vamos adiante, chegamos ao ponto que o salmista estava, ele era um cristão sincero, piedoso, que ora, medita na Palavra, assiste os cultos, de uma hora para outra se vê no meio de um turbilhão de angústias, problemas e dificuldades. Ali ele se sente envergonhado, frustrado. Alguns ainda acusarão:

 Você deve orar mais.
ou,
Isso é por que você não está dedicado totalmente ao Senhor.
ainda pior,
Você deve ter falhado em algo, tente rever sua vida com Deus.

Pense, como estas acusações são dolorosas, trazem angústia ao já atribulado coração. Ali ele sente a vergonha, o opróbrio, o desprezo, e o pior é quando são pessoas próximas, amigos , familiares que   acusam. O pai, o empregado , e o cristão, nestes casos, exemplos de desprezados.
O desprezo é um sentimento terrível , que pode fazer vacilar as pessoas mais estáveis, podem abalar as estruturas mais sólidas de fé. Não tem explicação o sentimento de estar  fazendo o que é certo ,  tentar ser “o mais correto possível” e mesmo assim ser desprezado, rejeitado.
Existe uma quantidade grande de pessoas ignorantes. Como lidar com ignorância das pessoas? Ainda mais quando esta falta de sensibilidade parte de pessoas que tanto amamos?
Digo ignorância por que estas pessoas de fato ignoram o por que desta aflição, fazem meras conjecturas.  O verdadeiro motivo da dificuldade só a pessoa pode buscar em Deus para conhecer.
Lembre-se Jesus foi o homem mais correto e o mais desprezado.

Alguns ao serem julgados, condenados e envergonhados tornam-se muitas vezes pessoas amargas, irritadas e frustradas. 
Mas isso não deve ser assim, é preciso aprender a lidar com esta situação. Se o amigo te condena,   familiares menosprezam  , o  chefe te humilha,  saiba, você precisa reagir a isso, não com ira , nem com violência mas com auxílio divino.
O que o salmista fez ao passar por isso?
Orou a Deus para que o livrasse do opróbrio.
Não é uma atitude difícil, o próprio Senhor nos autoriza a pedir para receber.  Parece tão simplório , óbvio,  dizer que você deve orar.Mas não é óbvio porque geralmente esquecemos de orar em semelhantes casos.
Se você deseja aprender a orar , meu conselho é que leia  as Escrituras.  Especialmente os Salmos.
Neste verso, por exemplo, aprendemos que devemos orar pedindo auxílio no momento da vergonha. Comunicar a Deus o que estamos passando, o quanto estamos sendo envergonhados  mesmo fazendo o que é correto .
É uma boa reação é orar. Mesmo que nossos mais chegados desprezem, Deus não nos despreza e deseja nos ajudar.Jesus passou por isso e sabe como ajudar.




Share:

terça-feira, 12 de julho de 2016

Soberba é caminhar sozinho - Salmo 119.21

Tu repreendeste asperamente os soberbos que são amaldiçoados, que se desviam dos teus mandamentos. Salmo 119.21



 Este versículo   continua o raciocínio do anterior só que analisando o outro lado da situação.   Se no versículo 20 nós percebemos a atitude humilde do escritor dizendo que estava quebrantado por desejar cumprir os mandamentos de Deus na sua vida , recusando assim , a escolher ele mesmo seus próprios caminhos, aqui no verso 21 nós observamos ele amaldiçoando os soberbos que se desviam da vontade  de Deus.
Na verdade é um pecado gravíssimo desprezar os ensinamentos do Senhor. A Bíblia ensina que a condenação daquele que conhece e não cumpre a vontade de Deus é bem mais severa do que aquele que nunca conheceu a vontade de Deus para sua vida. Este é o que faz seu próprio caminho  pois é independente.
Vejam Lucas 12.47,48

"Aquele servo que conhece a vontade de seu senhor e não prepara o que ele deseja, nem age para agradá-lo, será castigado com extrema severidade. Contudo, aquele que não conhece a vontade do seu senhor, mas praticou o que era sujeito a castigo, receberá poucos açoites..."

Está claro que o conhecimento só faz bem se estamos comprometidos com Ele. Conhecer a vontade do Senhor e não estar nem um pouco preocupado com ela é arrogância, e  soberba  é um pecado que Deus simplesmente abomina.
Como é a repreensão divina?
Áspera. Dura. Horrível.
É uma maldição.
Nada é mais terrível do que a maldição divina. Amaldiçoar é lançar uma palavra contra alguém. Pense que Deus criou os céus, a terra, o cosmo completo com o poder de sua palavra e esta mesma palavra será usada contra os soberbos.
E o mais surpreendente é a característica do coração soberbo. É um coração desviado. Um coração que planeja sua própria vida sem levar em consideração os parâmetros divinos.
Trata-se de um coração que dantes já havia conhecido a alegria santa de obedecer a Deus , mas que agora despreza este caminho, desdenha, faz pouco caso. Algumas hoje em dia , não bastando se afastar da vida com Deus, ainda falam mal da Igreja, da Bíblia e do Evangelho, estas pessoas estão acumulando a ira divina sobre suas vidas.
Abandonar a vida cristã é um mau negócio. Deixar o caminho da cruz, da verdade e da vida por um caminho , aparentemente mais fácil traz prejuízos eternos. É soberba caminhar sozinho.  Abandonar a Cruz é soberba.

Mas os amados do Senhor estão diariamente se purificando, se santificando com cuidado pelos preceitos do seu Salvador Jesus.






Share:

Popular Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

IPB

IPB
Logo Igreja Presbiteriana do Brasil

Seguidores

Minha lista de blogs

Total de visualizações

Siga-me por e-mail!

Menu (Editar so No Html )

Recent Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

Copyright © Blog do Vitor Germano | Powered by Blogger

Design by ThemePacific | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com