Blog sobre Teologia contemporânea. Devocionais, artigos e Estudos Bíblicos indutivos

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Irresistible Grace - Graça Irresistível - TULIP 4


Graça Irresistível também chamada de vocação eficaz é uma doutrina que ensina que o poder convencedor do Espírito Santo de Deus é incomparavelmente superior a capacidade humana de resistir ao seu chamado. Acaba convencendo e infundindo a fé salvadora neles.Também conhecida como: "graça eficaz", esta doutrina ensina que a influência salvífica do Espírito Santo de Deus é irresistível, superando toda e qualquer resistência. Quando então, Deus soberanamente visa salvar alguém, o indivíduo não tem como resistir à essa graça da vida eterna com o próprio Deus.

Há caricaturas do calvinismo que mostram como que Deus puxando , ou arrastando homem contra sua vontade ao Reino dos céus. Nada mais longe da verdade, pois quem o Senhor chama eficazmente jamais irá relutante, a contragosto, porque o próprio Deus lhes infunde amor para que  possam seguir na jornada resolutamente.

A graça irresistível não anula a responsabilidade humana, pois aprouve a Deus que ajamos em direção a uma nova vida com ele, renunciando a vida de impiedade e pecado. Porém a Graça capacita ao homem enxergar claramente sua condição deplorável de pecado e lhe dá  força para superar esta natureza corrupta.
O Espírito é quem opera em nós , sua vontade perfeita, nos proporcionando receber a salvação pela fé no sacrifício de Jesus.
Há muitos que se entendem como eleitos, chamados, mas não dão frutos como tal. Estes se enganam, se auto iludem pois a Palavra é fiel, e o Senhor não considera crente aquele que meramente pronuncia uma confissão verbal e no dia a dia nega esta tão sublime experiência que é conhecer ao Senhor.Mais uma vez, a graça irresistível não anula a responsabilidade humana.
Uma coisa é importante ressaltar: O ser humano resiste a Deus, sim até os eleitos resistem, mas a diferença é que os eleitos  somente  resistirão até o momento oportuno em que O Senhor irrompe com sua graça irresistível , regenera o homem, põe para fora o coração de pedra e lá coloca um novo, um de carne. Só quem resiste à graça, são homens que ainda estão com os corações   endurecidos pelo pecado, homens que ainda não receberam um novo coração de carne.

“E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis”. Ezequiel 36.26-27:


De fatos, homens mortos em pecados. E mortos não entendem, não ouvem e não podem receber o evangelho da graça. A menos que Deus os transforme e os capacite, iluminando a pregação e convencendo sua mente.
Como as outras três anteriores está doutrina está lastreada na Bíblia Sagrada. Vamos a alguns versículos que servem de base :

Atos 16.14: "E uma certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia."

I Coríntios 1.9 -  “Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor”.

I Coríntios 1.24-26 - “Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens. Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados”.

Gálatas 1.15 - “Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça”.

I Tessalonicenses 2.12 - “Para que vos conduzísseis dignamente para com Deus, que vos chama para o seu reino e glória”.

II Tessalonicenses 2.14 -  “Para o que pelo nosso evangelho vos chamou, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo”.

II Timóteo 1.9 - “Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos”.

I Pedro 1.15 - “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver”.

I Pedro 2.9 -  “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”.

I Pedro 5. 10 -  “E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá”.
Share:

Limited Atonement - Expiação Limitada - TULIP 3





A Expiação limitada , também conhecida como Expiação particular refere-se a doutrina que ensina que o Cristo morreu apenas para proporcionar salvação aos eleitos, os que creem  nele, e por estes derramou seu sangue. Na ordem da TULIP ela está colocada em terceiro lugar, referente a letra “L”.  Ela é uma das doutrinas mais atacadas e mal interpretadas de todo sistema teológico calvinista.
Expiação é termo recorrente no Antigo Testamento e significa o ato ou efeito de expiar; o cumprimento da pena ou castigo que se reputa equivalente à culpa ou delito de alguém. Este termo também aponta para a purificação que era processada em conformidade com o cumprimento ritual do sacrifício, segundo a lei mosaica.  Esta doutrina foi aplicada a Jesus, quando na cruz ele expiou nosso pecado. 
Por isso, parece difícil, à primeira vista, pensar que Cristo morreu só por alguns, deixando outros de lado, a   impressão que temos é que mesmo que alguns se arrependam e creiam sinceramente, se eles não forem dentre aqueles por quem Jesus morreu eles não serão salvos. Mas não é bem assim.
Não entendo que limitada seja um bom termo a ser usado, ele parece dificultar a compreensão e facilitar preconceitos com relação a esta grande verdade bíblica, prefiro  termo particular que deixa mais claro a ideia de que Cristo morreu particularmente por  cada um dos muitos pecadores que ainda o receberão como salvador.
Isso não significa que alguém poderá se arrepender , crer mas não ser salvos por que Cristo não morreu por ele. Não significa que o sangue de Cristo não é suficiente para toda humanidade.  Todo aquele que crer ( e for batizado) será salvo.  A Redenção particular só afirma que aquele pelo qual Cristo morreu necessariamente será salvo.
Mas por que necessariamente?
Ora se eu pago uma dívida de alguém esta pessoa não pode nunca mais ser cobrada por esta dívida, pois ela está devidamente paga. Se Cristo morreu por alguém este alguém está perdoado, está justificado, está guardado e protegido, está eleito para desfrutar eternamente da vida em Deus.
A doutrina da Substituição ensina   que Cristo recebeu em seu próprio corpo toda a ira justa e santa de Deus, a  penalidade que deveríamos pagar. Sua morte vicária, totalmente em favor dos outros, significa que Ele sofreu, não por nós, ou em nosso favor, mas muito mais radicalmente , ele morreu em nosso lugar. O seu precioso sangue não foi derramado por aqueles que jamais creriam, aqueles que renegam o plano de salvação, aqueles que blasfemam de Jesus. Não, o sangue foi vertido em favor dos que creriam, dos que se converteriam e dos que receberiam o senhorio de Cristo. Esta doutrina valoriza cada gota de sangue que  amorável Deus derramou em nosso lugar. 

 Se Cristo morresse  por todos, logo todos seriam salvos. Esta doutrina é perigosa e herética e recebe o nome de Universalismo Cristão. Esta heresia ensina que , no final haverá salvação para todas as pessoas, até mesmo os nunca arrependidos. Isso nos leva até mesmo a casos extremos ,  a exemplo (assim se documenta a história) Hitler e Stalin. 
Não, Cristo morreu por quem ele iria salvar, e estes, como resultado da eleição, irão  crer e se arrepender dos seus pecados fazendo parte então da Igreja.

São muitos versículos que lastreiam esta doutrina, entre eles podemos citar alguns dos mais destacados : 

Mt 1.21. "E dará à luz um filho e chamarás o seu nome Jesus; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados." neste caso, "seu povo" significa os eleitos, os verdadeiros crentes em jesus. 



Mt 20.28. "Bem como o filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos." A conclusão do calvinista é que Jesus deu a sua vida somente para muitos, isto é, somente para os eleitos.



Mt  26.28. "Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados". Dizem que Jesus derramou seu sangue só para muitos, não todos.



Jo  10.15. Jesus disse. "...dou a minha vida pelas ovelhas." Dizem que Jesus só morreu para as ovelhas, quer dizer, só para os eleitos. 



At  20.28. "Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue." Este versículo requer mais estudo depois, mas será que Jesus morreu só para a sua igreja?



Ef  5.25. "Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela".  



Hb  9.28.  "Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação." Os calvinistas dizem que Cristo somente tira os pecados dos eleitos.



Jo  15.13. "Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos." Seus amigos aqui são os eleitos portanto Cristo deu sua vida só por eles. 




Share:

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Unconditional Election - Eleição Incondicional - TULIP 2

Eleição incondicional, é a segunda grande  doutrina calvinista , ela pode ser deduzida logicamente da primeira que é a Depravação Total.

Ora, se todos os homens são totalmente caídos, totalmente perdidos, não há um homem justo, nem um sequer, e que todos merecem o fogo e a condenação eterna, percebemos que ninguém seria salvo, todos seriam absolutamente condenados. E isso seria muito justo e santo da parte de Deus.
Porém , segundo ensina a Eleição  ao criar o mundo Deus escolheu algumas pessoas para a salvação, de acordo com seus próprios propósitos e sem levar em conta a virtude, mérito, ou fé nessas pessoas.Por isso se chama Incondicional, pois o Senhor não exigiu nenhuma qualificação ou mérito do eleito  para escolhê-lo.
A Eleição é baseada na doutrina da Soberania Absoluta de Deus e está lastreada em diversos textos. Aqui algumas citações bíblicas relevantes.

Ó profundidade da riqueza, da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Pois, quem conheceu a mente do Senhor? Quem se tornou seu conselheiro? (Rm 11.33,34)

Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo (1Co 2.16). 

A Doutrina da Eleição baseia-se na ideia de predestinação, ou seja, que o destino eterno dos homens depende única e exclusivamente da boa vontade de Deus, do seu beneplácito.
Assim, pois, também no tempo presente restou um remanescente segundo a eleição da graça  (Rm 11.5).

Como também nos elegeu nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para si mesmo, segundo a boa determinação de sua vontade, para sermos filhos adotivos por meio de Jesus Cristo  (Ef1.4,5)
Share:

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Total Depravity - Depravação Total - TULIP 1



A DEPRAVAÇÃO TOTAL  é uma doutrina teológica derivada do conceito agostiniano de pecado original. Eu chamo esta doutrina  de doutrina do cárcere da alma.

Todo homem nasce pecador irremediavelmente, não há antídoto para isso. Ele nasce corrompido e não há nada que ele, ou seus pais, possam fazer para evitar isso. Sua tendência é ser tão mal quanto possa, mas Deus intervém impedindo que todos os homens sejam totalmente maus, através da sua graça comum, que é um meio eficaz de "frear a maldade do homem".   Esta doutrina coloca todos os homens diante do mesmo ponto de partida , ou seja, a danação eterna. Segundo ela, o homem não regenerado é absolutamente escravo do pecado,  ele é totalmente incapaz de exercer sua própria vontade livremente para salvar-se, necessitando de uma intervenção soberana do próprio Deus em sua vida.

Desta forma , qualquer ato divino em direção a salvação do homem tem de ser baseado unicamente na boa vontade e no amor de Deus pelos que lhe aprouverem, no caso chamados de Eleitos.

Esta doutrina está lastreada em muitos versículos da Bíblia dos quais destacamos:

Gênesis 6.5-6  – Gênesis 8.21  –   Jó 4.17  –  Jó 14.4  –  Salmo 51.5  – Salmo 58.3  –  Provérbios 20.9:  

Eclesiastes 9.3  – Jeremias 13.23  – Jeremias 17.9   –  Daniel 4.35  – Marcos 7.21-23  – João 1.12-13 – João 3.3,5-8,18  – João 5.40  – João 6.44,65  – João 15.5  – Romanos 3.10-18  – Romanos 5.12   – Romanos 8.7-8 – I Coríntios 2.14  –  I Coríntios 4.7  –  II Coríntios 3.5  – Efésios 2.1-3,8-9   –  Efésios 4.17-19 - Efésios 5.8 – Colossenses 2.13 –  II Timóteo 2.25 – Tito 1.15
Share:

Poesia e Teologia

      


 Sempre achei que teologia e poesia não rimavam apenas no som, para mim as duas possuem um "rima" muito interessante de sentido também. Poesia , como explica o dicionário, é a arte de criar imagens, sugerir emoções por meio de uma linguagem em que podem se combinar sons, ritmos, significados e formas. Teologia  se refere ao conhecimento da divindade e de suas relações com os homens.

O interessante é que a linguagem da Teologia é quase sempre poética. Na verdade o Senhor se revela aos homens poeticamente. Percebemos no texto bíblico entrelaçamento de sons, imagens e significados para revelar ao homem aquilo que ele não vê, não toca, não cheira e não ouve. A poesia reverbera o som da criação para que o homem possa ouvir a voz do Criador.


Veja a poesia dos Salmos, o livro mais famoso de todos nas Escrituras Sagradas. Os salmos foram feitos para serem cantados como letras de uma música, o poeta exprime neles sua relação pessoal com o Criador. Relação entre amigos. Entre Pai e filho.

As frases são construídas com esmero, cuidado e devoção. Uma obra de arte esteticamente perfeita, riquíssima em imagens poéticas.


Os poetas bíblicos eram poetas de fé. Eles geraram a poesia da fé. Poesia que tem a essência de tudo o que o mundo, o ser humano e a vida têm.

Como expressão de arte, teologia e religião, a poesia bíblica reflete a infinita capacidade humana para a associação, para a circulação de experiências e idéias. Mas faz isso a seu próprio modo: a indagação sobre a essência do que existe e acontece é inspirada pela fé em um Deus que se importa com sua criação. Por isso, somos tão rapidamente transportados por ela da mera aparência para questões do espírito, com as quais quer enriquecer a vida. E o modo que o poeta de fé encontrou para enriquecer a vida humana com sua poesia foi fazer com que as instruções de Deus viessem a ter existência real.

Deus Pai foi poeta desde a Criação.
Jesus fez poesia quando esteve na Terra, sua produção foi a mais sublime que o homem já conheceu:


 "E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam;

E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.
Mateus 6:28-29


E
ste certamente é apenas um dos muitos exemplos de frases poéticas proferidas pelo Cristo.
Eles nos ensinou a sermos autênticos imitadores seus e como tal não podemos nos esquecer da beleza e arte com que o Mestre ensinava as pessoas. A poesia do Amor a poesia da sinceridade e da singeleza. A frase dita  seu tempo, temperada, edificante e cheia de vida.


Hoje estamos nós em meio a tantas tragédias, horrores, crueldades e maldades, mas nós Igreja de Jesus somos chamados a falar sobre as belezas e maravilhas de Deus , e faremos isso de forma artística , bela e poética.



Share:

O Sínodo de Dort

Jacobus Armínio foi um pastor, teólogo , professor e pregador holandês, de confissão reformada que rompeu, não explicitamente , segundo seus termos,  com a tradição doutrinária do Catecismo de Heidelberg a Confissão Belga, documentos oficiais do Calvinismo.
Suas ideias geraram polêmicas e controvérsias acirradas.


A controvérsia dividiu a nação e se prolongou até 1609, quando Armínio morreu vitimado pela tuberculose. No ano seguinte, seus simpatizantes publicaram a “Remonstrância”, um documento no qual resumiram em cinco pontos a sua rejeição do calvinismo clássico.
Maurício de Nassau decidiu que um sínodo nacional deveria ser convocado em 1 de novembro de 1618. Estava criado o quadro para o surgimento do famoso Sínodo de Dort.

Recebendo apoio do  Rei James  I da Inglaterra,  os holandeses enviaram correspondência aos reformados de todos os países para enviarem seus representantes para o Concílio para que pudessem chegar a um consenso que amenizasse o desgaste oferecido pelo debate ao mesmo tempo que unificasse o ponto de vista considerado ortodoxo.
 O sínodo de Dort   foi um Concílio da igreja Reformada Holandesa convocado a  fim de que as doutrinas defendidas pelo sistema conhecido como os Remonstrância , mais tarde conhecida como Arminianismo   fossem colocadas sob julgamento. Embora realizado em âmbito nacional, foi o maior sínodo da história da igreja Reformada . Ele ocorreu na cidade de  Dordrecht, na Holanda, de 1618 a 1619.


  O Sínodo  teve 180 sessões que se estenderam de 13 de novembro de 1618 a 29 de maio de 1619. Os delegados holandeses incluíam 58 pastores e presbíteros enviados pelos sínodos provinciais e cinco teólogos de diferentes academias. Também compareceram 28 teólogos de diversas cidades da Inglaterra, Escócia, Alemanha e Suíça (inclusive de Genebra). Os remonstrantes participaram do sínodo por algum tempo, mas depois foram afastados. Com base nos relatórios das delegações, uma comissão de nove membros redigiu os Cânones, que condenaram as idéias dos arminianos e afirmaram as convicções reformadas.
Do Sínodo de Dort surgiu o documento chamado Os Cânones de Dort, expressão  oficial do ensino ortodoxo calvinista no mundo todo.


Fontes 

http://www.mackenzie.br/

https://bereianos.blogspot.com.b
Share:

Tenha coragem! - Salmo 119.46

Também falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.  Salmo 119.46

 

 É uma sensação muito boa quando nos sentimos cheios de coragem. Pode ser um momento de tensão, um perigo iminente, uma ofensa que precisamos enfrentar , ou uma situação qualquer que nos exija intrepidez e ousadia.
Apesar da ameaça, o coração acelera e se dispõe a lutar, sem fugir, sem recuar, sem medir esforços e , principalmente, sem se intimidar diante da grandeza e da força dos adversários.
Ali estamos nós, cheios de esperança na vitória. E que comece a batalha!
A coragem é uma virtude muito importante que todos nós deveríamos procurar desenvolver. Coragem é uma disposição para agir com intrepidez diante de um risco inevitável  ou de uma necessidade premente. Como diz no dicionário: É a firmeza de espírito para enfrentar situação emocional ou moralmente difícil.
Coragem é assumir alguns riscos controlados, ter disposição para erguer-se depois de golpeado e enfrentar uma demanda sem fugir são importantes para superação de obstáculos e sucesso em todas as áreas da vida. 
É preciso ter : 
Coragem para enfrentar uma doença, em vez de lamentar-se acreditando que já não há mais solução.
Coragem para lutar contra o desânimo quando a crise financeira se apresenta.
Coragem para lutar pela pessoa que ama.
Coragem para sonhar com coisas grandes e ideais elevados.
Na vida cristã não é diferente, é preciso também coragem para enfrentar os desafios diários da jornada. Suportar afrontas, manter-se  firme perante as críticas, enfim, sem coragem não se chega a lugar algum e a ausência total de coragem lança as pessoas no desespero, um sentimento terrível de impotência e abandono. E o pior é que muitas vezes estes sentimentos se transformam em uma destruidora depressão.
A Bíblia sempre dá ênfase á coragem dos servos de Deus, Davi foi um exemplo de coragem ao enfrentar o gigante Golias, Sansão enfrentou e venceu mil soldados filisteus; Moisés enfrentou Faraó face a face; Paulo  testemunhou frente aos reis sobre Jesus mesmo sendo humilhado e ridicularizado pelos mesmos. 
Por isso, de todos os temores que temos que enfrentar diariamente um dos mais difíceis é, sem dúvida, o temor da vergonha. Pode ser ridicularizado, desprezado, humilhado. De todos os temores este é o mais complicado de lidar, por que  qualquer situação , de uma hora para outra pode ser motivo de zombaria, dependendo do contexto social.
O cristão precisa aprender a   lidar com o medo de receber o desprezo de outrem por compartilhar uma palavra do evangelho. Par isso é preciso coragem para testemunhar ,  e este testemunho pode fazer toda a diferença na vida da pessoa. 
Naturalmente alguns vão zombar, alguns irão menosprezar um sábio conselho da Palavra. Mas corajosamente devemos sobressair às críticas e avançar no testemunho, sabendo que o Senhor irá nos recompensar por nossa fidelidade.
Não permite que o medo sufoque seu ardor evangelístico, tenha coragem!

Share:

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Preceitos de liberdade - Salmos 119:45

E andarei em liberdade; pois busco os teus preceitos.
Salmos 119:45
  


Uma cela escura, perturbadora e fria, não há nada para olhar a não ser as paredes sujas da prisão. Neste cenário desalentador não há esperança, estamos acorrentados ao um peso gigantesco, mal conseguimos nos mover.  Rastejamos pela cela arrastando quele peso morto. Sofrimento,  angústia,  desespero de uma alma assim, aprisionada. Ali esperávamos apenas sair para enfrentar a pena capital, a condenação à morte.
Mas Deus mandou seu filho ir até a cela e nos  tirar dali,  também retirou o peso do pecado que havia sobre nós e nos prendia  e nos fez livres.  Agora temos liberdade.
A Bíblia nos ensina que  ser livre  é  totalmente contrário ao conceito humano de liberdade. Segundo a Palavra de Deus, só somos livres quando obedecemos aos divinos preceitos. No mundo ser livre é não ter que obedecer. Para eles, desobedecer é ser livre. O problema disso é que eles  não entendem que não obedecendo a Cristo estão escravos da carne e do mal .
É fácil concluir que o homem natural não é livre, ele sempre será um escravo, um escravo do pecado , um escravo das paixões. Por mais que ele procure fazer algumas coisas para compensar sua maldade o fato é que ele nunca conseguirá agir livremente, como ele deseja. Ele sempre será escravo, dos pensamentos, das emoções, dos desejos. O homem nem mesmo consegue se libertar de seus pensamentos, sendo que constantemente se vê enganado e iludido por eles. Todos nascem escravos , nascem pecadores,  Jesus mesmo  diz:

Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado.(João 8.34)

 Então os homens andam assim, no mundo, longe de Deus, oferecendo sua mente e seus corpos para uso exclusivo do pecado. São escravos , recebem apenas o salário de maldição e morte e  estão apenas aguardando a pena capital.
 Mas eles ainda podem ser livres, se forem libertos por JEsus.
 O problema maior está entre aqueles que, uma vez já  tendo recebido a liberdade de Cristo, depois de verem sua glória, saírem da cela  escura e imunda em que estavam enclausurados, mas por algum motivo, desejaram voltar às antigas práticas. Estes, depois de experimentarem o maravilhoso gosto da liberdade, voluntariamente se submeteram novamente ao jugo do pecado , abandonam os divinos preceitos e os caminhos do Senhor para fazer a vontade da carne e do pecado. Isso realmente é horrível, coisa totalmente absurda, lastimável. Há muitos que estão deixando Jesus para serem escravos.
Observem o que Paulo diz :

 "Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão." (Gálatas 5.1)

Buscar a obediência é único meio de continuarmos livres, longe do pecado. O cristão liberto age como o salmista, que  se afasta das concupiscências da carne para se entregar devotada e alegremente aos divinos mandamentos  e assim se manter longe da escravidão maldita e da condenação eterna.






Share:

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Amor - Lei eterna de Deus. Salmo 119.44

Assim observarei de contínuo a tua lei para sempre e eternamente.  Salmos 119.44



Qual a diferença entre para sempre e eternamente? Muito diriam que somente na grafia das expressões, por que  sabemos claramente que elas são sinônimas, ou seja, possuem o mesmo significado.
Eu entendo que na linguagem corriqueira isso se aplica, mas na linguagem poética do salmista isso possuía muito  mais que este mero significado. O que ocorre, quando  salmista coloca as duas proposições juntas é que isto significa que ele está dando mais ênfase a última.


Parece bem difícil de imaginar a eternidade, na verdade é impossível. Nossa mente finita não abarca o infinito.

De fato a eternidade é a casa de Deus. É onde ele se move. Seu lugar de referência.
Nossa casa é mortal, dura 100 anos ou no máximo cento e alguns, mas vamos passar, não viveremos literalmente para sempre. Mas a eternidade é a casa de Deus, pertence ao seu ser, eternidade pertence exclusivamente a Deus, nem anjos, nem demônios, nem as criaturas da terra possuem este atributo. Todos estes seres foram criados, passaram a existir em dado momento. Deus não, ele sempre foi e sempre será a causa primeira de todas as coisas.

Poeticamente o salmista quis expressar seu desejo de estar para sempre na presença do Senhor, para isso ele se propunha a ser um servo dedicado, que estava disposto a cumprir rigorosamente a observância da divina lei.
 Percebam que o salmista estende a importância da lei para além desta vida terrena.  Jesus concorda com ele , séculos depois ao afirmar , conforme registrado no livro de Lucas 21.33:

"Passarão os céus e a terra, mas as minhas palavras não passarão"

e ainda outra vez, em Mateus 5.17  diz:

"Eu não vir para abolir a lei , mas para cumpri-la "

É interessante observar que analisando desta forma percebemos que este tipo de lei não  pertence só a humanidade, é uma lei infalível, uma lei que vige pela eternidade, uma lei que cruza a história do homem na terra , mas não se limita a ela.
Ela é uma lei que jamais findará, jamais acabará, uma lei que nos dá segurança, que nos dá certeza e convicção de sua infalibilidade, sua constância e sua firmeza. A lei que nos torna um com Deus e com nossos irmãos.
Ora, é óbvio que não se trata da lei mosaica, pura e simplesmente, pois a lei de Moisés é ampla, detalhada e refere-se a cerimônias, rituais, e até mesmo detalhes específicos sobre a vida humana na congregação de Israel. O que ocorre é que  no âmago da lei mosaica está a lei por excelência que foi tornada clara nas palavras de Cristo:

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22: 37- 39)

A lei que nos torna um, que nos torna filhos de Deus, amigos de Deus, é a lei que nos ensina amar, quem não ama não conhece o fundamento eterno da lei, não conhece a Deus e não sabe o que é ser cristão.

Tenho convicção que é desta lei, que o salmista trata, embora ele não possa , ou não saiba como expressar isso ( Cristo ainda não havia introduzido a perfeita revelação do amor de Deus).
Esta lei é que se revela a Igreja nos dias de hoje como um mandamento eterno. Esta lei que nos garante que Deus não rejeita quem ele escolheu, por que está na sua lei, a lei do amor.

Share:

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Manutenção de uma arma chamada fé. Salmo 119.43

Jamais tires da minha boca a palavra da verdade, pois nas tuas ordenanças coloquei a minha esperança. Salmo 119.43





No tempo em que servi no exército, no serviço militar obrigatório , eles cobravam bastante a manutenção do nosso armamento. Ele deveria estar sempre bem limpo e lubrificado.  Em uma situação de emergência ou no caso de uma eventual guerra ela deveria estar em ótimas condições de uso, pois dela dependeria a vida do soldado. 
Era um fuzil antigo a arma que usávamos, de quase 40 anos de uso, mas  pela idade ele era muito bem cuidado, a manutenção dele era caprichosa. 
Isso é fundamental. Imagine uma arma que falha ou trava bem no meio da peleja, a morte do soldado é quase certa.
Por isso era preciso conhecer bem aquilo em que tanto confiávamos  e de que  sua vida dependia.


Onde você deposita sua confiança?

A fé é uma arma poderosíssima, vence as batalhas mais complicadas. A fé é um poder gigantesco que está à disposição do salvo. É de suma importância, porém, conhecer a substância do que você crê. Muitas vezes sua fé vai ser testada e ela precisa estar em ótimo estado para não falhar diante do inimigo. Sem uma manutenção adequada, diante do teste ela irá falhar e você vai acabar machucado , ferido e envergonhado. É preciso conservar a fé, é preciso examinar as condições dela, limpá-la das impurezas que a poeira da vida acumula sobre ela, tirar-lhe a ferrugem.
Faça um exame da sua fé. Vamos lá:
Você diz que crê em Deus, mas me diga que Deus é este e se sabe o que ele fez por amor de você.  
Você diz que Jesus é Senhor, mas me diga se ele reina realmente em sua vida.
Você diz que é crente, mas me confesse se não procura ocultar sua fé com medo de ser envergonhado.
Você diz que é templo e morada do Espírito Santo, mas me fale de sua vida diária de oração ( se você lembra de orar...)

Sinto dizer que se você não faz manutenção na sua fé, não a preserva e não a cuida acabará percebendo como isso é perigoso quando for realmente precisar usar a fé. Se não cuidar destes pontos vai acabar duvidando de Cristo , de Deus e da Bíblia, naufragando na fé.

Olhemo o salmista que  possuía uma fé pujante, bem conservada,  ele  depositava sua confiança na sua obediência ao  Senhor , olhe o que ele  diz:

"Nas tuas ordenanças coloquei minha esperança"

Ou seja, ele acreditava que enquanto meditasse na vontade de Deus e se esforçasse por obedecer ele seria vencedor, jamais seria derrotado.
Ele sabia que no seu Senhor ele poderia confiar, sua obediência, sua fé e sua lealdade a Deus seriam recompensadas com a vitória.

Esta era a verdade em que o salmista podia confiar. Jeová não falharia, seu Deus era garantia de êxito. A palavra da verdade, ou seja, a apalavra de fé estava ardendo no seu coração.

Por isso que a fé deve estar sempre bem nutrida, sempre em bom estado, pois quando menos se espera vem a prova, vem a luta, vem  os dissabores da vida e precisamos de fé para superá-los. Não uma fé capenga, enfraquecida, uma fé morta por falta de uso, pelo contrário , ela deve ser uma fé viva e dinâmica, no Deus verdadeiro, em Jesus Cristo nosso Senhor e obediente aos divinos preceitos.







Share:

Tratando as agressões - Salmo 119.42

Assim terei que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.  Salmos 119:42


  
Quando levamos um soco nossa tendência é erguer o punho e devolver com força. Ninguém é de ferro, depois do soco , a  ira ainda continua , ela tomou conta do nosso ser,  somos levados a agredir mais e mais até que a ira esteja satisfeita.
Pior do que um soco, às vezes, uma palavra pode ferir muito mais. Uma ofensa, um ultraje, uma calúnia, dirigidas contra nossas vidas podem fazer sangrar nossa alma, machucar profundamente nosso  íntimo. Nem uma tunda pode doer tanto.

E neste caso somos levando também a revidar, com mais força e violência ainda. E o pior é que quando revidamos (geralmente) levamos junto uma carga muito maior de ofensa do que recebemos. Isso é próprio do ser humano, faz parte de sua natureza pecadora.
Mas esse não deve ser o ideal do cristão. Naturalmente, Cristo não nos chamou para sermos inertes e passivos, aceitarmos qualquer agressão sem nos defender. Nós temos o direito de nos defender.  Porém não dá forma como o mundo ensina .  Jesus se defendeu das acusações injustas dos fariseus, Paulo argumentou com o sinédrio. Nós também, em caso de agressão física temos todo o direito de nos defender para evitar o pior. Mas aqui não vou tratar da defesa da integridade física, vamos falar de agressões morais e verbais.
Sobre isso, é necessário que aprendamos a nos defender sem agredir, fazer com que nossa resposta às afrontas sejam   maduras, espirituais, francas e firmes  e que sempre sejam restauradoras.
Agressão nunca foi uma resposta apropriada. Nosso dever não é julgar, não é punir a pessoa, isso não é conosco, isso é com o Senhor. Mesmo agredidos devemos perdoar e tentar esquecer a ofensa.Uma resposta firme e saudável, mesmo que seja confrontadora não deverá vir regada de ira nem contenda. Sem ironias, sem desprezos, sem maldade. Firmes e com amor, sempre. Lembre-se a vingança não restaura , mas amplia as mágoas.
Existe uma grande diferença entre o médico que usa o bisturi para cortar , fazer uma incisão cirúrgica na ferida e depois sará-la  e o ímpio que usa da faca para cortar e matar quem o está agredindo. Os dois cortaram , mas um foi para curar outro para se vingar.
Muitas vezes é preciso ser como este médico que usa o bisturi para  cortar a carne  , expor a ferida , para depois limpá-la e tratá-la; nós , em alguns casos, precisamos ser duros e inflexíveis com quem nos afronta, mas não para ferir e magoar esta pessoa, mas para fazê-la parar, refletir e mudar suas atitudes. 

Diante de certas ofensas ficamos sem respostas, boquiabertos , sem saber o que dizer. Agressões que nos fazem chorar em alguns casos. Não é tão raro que estas afrontas venham até mesmo de amigos queridos, de dentro da família, do esposo ou esposa. Neste caso é ainda mais evidente que  você quer responder, precisa dizer algo, mas não deseja destruir a pessoa, não quer machucá-la.

Saber responder é uma grande virtude, e aprender exige comunhão com Deus, e  conhecimento bíblico. Quem conhece a Palavra, confia nela acima de tudo e usa esta Palavra para responder aos que o confrontam.
A Palavra de Deus é o bisturi que o médico chamado Espírito Santo utiliza para que respondamos e tratemos satisfatoriamente as agressões. 
O salmista confiava que sempre saberia responder as afrontas, Deus o ajudaria, as Escrituras lhe garantiriam saber suficiente para tal.
O Senhor vela pela sua Palavra e quem faz dela uso correto será honrado.
Share:

Popular Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

IPB

IPB
Logo Igreja Presbiteriana do Brasil

Seguidores

Minha lista de blogs

Total de visualizações

Siga-me por e-mail!

Menu (Editar so No Html )

Recent Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

Copyright © Blog do Vitor Germano | Powered by Blogger

Design by ThemePacific | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com