Pular para o conteúdo principal

Tratando as agressões - Salmo 119.42

Assim terei que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.  Salmos 119:42


  
Quando levamos um soco nossa tendência é erguer o punho e devolver com força. Ninguém é de ferro, depois do soco , a  ira ainda continua , ela tomou conta do nosso ser,  somos levados a agredir mais e mais até que a ira esteja satisfeita.
Pior do que um soco, às vezes, uma palavra pode ferir muito mais. Uma ofensa, um ultraje, uma calúnia, dirigidas contra nossas vidas podem fazer sangrar nossa alma, machucar profundamente nosso  íntimo. Nem uma tunda pode doer tanto.

E neste caso somos levando também a revidar, com mais força e violência ainda. E o pior é que quando revidamos (geralmente) levamos junto uma carga muito maior de ofensa do que recebemos. Isso é próprio do ser humano, faz parte de sua natureza pecadora.
Mas esse não deve ser o ideal do cristão. Naturalmente, Cristo não nos chamou para sermos inertes e passivos, aceitarmos qualquer agressão sem nos defender. Nós temos o direito de nos defender.  Porém não dá forma como o mundo ensina .  Jesus se defendeu das acusações injustas dos fariseus, Paulo argumentou com o sinédrio. Nós também, em caso de agressão física temos todo o direito de nos defender para evitar o pior. Mas aqui não vou tratar da defesa da integridade física, vamos falar de agressões morais e verbais.
Sobre isso, é necessário que aprendamos a nos defender sem agredir, fazer com que nossa resposta às afrontas sejam   maduras, espirituais, francas e firmes  e que sempre sejam restauradoras.
Agressão nunca foi uma resposta apropriada. Nosso dever não é julgar, não é punir a pessoa, isso não é conosco, isso é com o Senhor. Mesmo agredidos devemos perdoar e tentar esquecer a ofensa.Uma resposta firme e saudável, mesmo que seja confrontadora não deverá vir regada de ira nem contenda. Sem ironias, sem desprezos, sem maldade. Firmes e com amor, sempre. Lembre-se a vingança não restaura , mas amplia as mágoas.
Existe uma grande diferença entre o médico que usa o bisturi para cortar , fazer uma incisão cirúrgica na ferida e depois sará-la  e o ímpio que usa da faca para cortar e matar quem o está agredindo. Os dois cortaram , mas um foi para curar outro para se vingar.
Muitas vezes é preciso ser como este médico que usa o bisturi para  cortar a carne  , expor a ferida , para depois limpá-la e tratá-la; nós , em alguns casos, precisamos ser duros e inflexíveis com quem nos afronta, mas não para ferir e magoar esta pessoa, mas para fazê-la parar, refletir e mudar suas atitudes. 

Diante de certas ofensas ficamos sem respostas, boquiabertos , sem saber o que dizer. Agressões que nos fazem chorar em alguns casos. Não é tão raro que estas afrontas venham até mesmo de amigos queridos, de dentro da família, do esposo ou esposa. Neste caso é ainda mais evidente que  você quer responder, precisa dizer algo, mas não deseja destruir a pessoa, não quer machucá-la.

Saber responder é uma grande virtude, e aprender exige comunhão com Deus, e  conhecimento bíblico. Quem conhece a Palavra, confia nela acima de tudo e usa esta Palavra para responder aos que o confrontam.
A Palavra de Deus é o bisturi que o médico chamado Espírito Santo utiliza para que respondamos e tratemos satisfatoriamente as agressões. 
O salmista confiava que sempre saberia responder as afrontas, Deus o ajudaria, as Escrituras lhe garantiriam saber suficiente para tal.
O Senhor vela pela sua Palavra e quem faz dela uso correto será honrado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zwínglio o Reformador Completo

Huldreich Zwínglio (1484-1531) foi um homem formidável, acima de seu tempo. Viveu pouco tempo (47 anos) e não é tão conhecido hoje como Calvino ou Lutero, no círculo evangélico. Ele era um teólogo excepcionalmente capaz como Calvino , como também possuía qualidades de liderança e fibra que se distinguiam na personalidade de Lutero.
Zwínglio foi o líder da reforma suíça e fundador das igrejas reformadas suíças. Independentemente de Martinho Lutero, Zwínglio chegou a conclusões semelhantes pelo estudo das Escrituras. Os dois não foram influenciados em suas teologias um pelo outro, suas reformas e inovações se deram em paralelo, naturalmente guiados pelo Espírito Santo.
Ele foi famoso por propor, assim como Lutero, algumas teses que confrontavam a teologia romana. Os 67 artigos de Zwínglio. Clique AQUI para conhecer os 67 Artigos de Zwínglio. Zwínglio contrastava de Lutero pois , apesar de enérgico e implacável contra os desmandos do papa e as heresias romanas , ele sempre contestava …

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…