Blog sobre Teologia contemporânea. Devocionais, artigos e Estudos Bíblicos indutivos

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Remédio ou vingança? Salmo 119.61

Bandos de ímpios me despojaram, mas eu não me esqueci da tua Palavra. Salmo 119.61

Os ímpios, os maus, os bandidos, eles me atacaram , fizeram horrores na minha vida. Maltrataram-me,  injuriaram e me ridicularizaram. Mas não fiz nada para eles! Que fiz eu? Sou bom e ajudo os necessitados e oprimidos? Que fiz eu? Alguns zombavam, uns outros chegaram a cuspir em meu rosto. Eu sofro, eu me angustio eu gemo de dor e vergonha. Tudo bem, eu os perdoo. Meu nome é Jesus.
O salmista sem sombra de dúvida não sabia que um dia o próprio Filho de Deus viria ao mundo dar o exemplo de como sofrer afrontas terríveis sem pensar em vingança, mas oferecendo ao invés disto o perdão. Mesmo não sabendo disso ele acreditava que o rosto do Senhor abomina a vingança. Ele sabia que sempre é melhor confiar na Lei de Deus do que em seus próprios esforços de autodefesa.
Qual o impulso natural do homem injuriado ou agredido?
Lutar! Revidar! Agredir de volta.
Mas não é isso que o salmista fez. Ali estava ele despojado, ou seja, sem suas vestes, sem seus recursos, sem suprimentos, sem alimentos, sem abrigo. Ele fora roubado, maltratado. E qual a sua atitude? 
Ele procura o remédio. Sim remédio, pois a melhor coisa que um ferido pode fazer é curar-se, buscar ajuda para estancar a perca de sangue por uma ferida que está aberta.
Onde ele encontra o remédio? Ele se refugia nas Escrituras.  Depois de sofrer o despojo ele corre para os mandamentos do Senhor e se poe a meditar.  O que a Palavra de Deus  possui de tão preciso que o salmista fica relembrando e meditando após o sofrimento?
A Palavra  de Deus é remédio para alma.
Muito mais ferido do que o corpo , a alma está ferida, a vergonha, o desprezo, a humilhação caem sobre o salmista de maneira  cruel e avassaladora, assim como também afeta cada um de nós em nossas lutas diárias.
A alma precisa de remédio, de cura, de esperança.
Só a Palavra de Deus traz esta cura. Ela nos ensina o caminho do amor, do perdão e da não agressão. Sem este caminho nossa vida nunca será restaurada , nunca será curada.
A Palavra de Deus é remédio para o coração que quer vingança, que odeia, que está fixado no objetivo de se vingar dos ímpios. A Palavra nos avisa, "deixe isso para Deus"( Romanos 12.19), e mais "Cuide do reino de Deus e as demais coisas te serão dadas por acréscimo”(Mateus 6.33) .
O salmista está seguro na Palavra e não deseja vingar-se, não deseja sujar suas mãos com os ímpios. Isso não será bom para si, nem para ninguém.

Tal qual um ferido  não corre atrás de uma faca, de um porrete, ou de uma arma para curar-se, mas  pelo contrário, ele procura remédio para sarar suas feridas. Assim também o salmista não procura agredir, revidar afrontas ou injuriar quando está ferido.  Ele procura o remédio para sua alma, o remédio da Palavra que traz perdão, consolo e esperança para restaurá-lo.


Share:

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Velozes para Deus. Salmo 119.60

Apressei-me, e não me detive, a observar os teus mandamentos. Salmo 119.60





A Bíblia está recheada de passagens  que combatem a precipitação, a impulsividade e a pressa.
Saul se precipitou quando sacrificou como profeta de Deus (I Sm 13.8)
Tiago e João  foram apressados ao  pedirem a Jesus a permissão de mandar cair um raio do céu para queimar os que rejeitaram Jesus (Lucas 9,54 )
Em muitas outras passagens vemos as Escrituras condenando a pressa e a impulsividade.
De fato há também um ditado popular que corrobora com a visão bíblica  que diz:
"A pressa é inimiga da perfeição".
Isso ocorre por que geralmente é preciso refletir antes de agir, deliberar, pesar os fatos e as consequências e depois disto, proceder com prudência.
Mas nem sempre é assim, às vezes a pressa se torna a melhor  amiga da perfeição. Há casos que não admitem espera, não admitem muito pensamento, muita deliberação, é preciso agir e agir rápido.
É muito comum no ambiente corporativo que se invista em pessoas que possuem facilidade de responder com rapidez diante de diversas situações. Pessoas que não protelam decisões.
Agir rápido pode evitar dissabores, evitar que pessoas se firam, ajuda em emergências e evita que conflitos menores se transformem em verdadeiras dores de cabeça crônicas.
A agilidade para tomar decisões corretas é fundamental na vida cristã.
Se Davi fosse mais rápido em desviar o olhar da mulher que se banhava diante de sua janela, ele não a cobiçaria, evitando o pecado do adultério e grandes males para sua vida.
Se Samuel fosse mais rápido em decidir punir e castigar seus filhos não teria sua descendência sido julgada indigna da função de juiz.
Se José não tivesse sido rápido em fugir das investidas da  mulher de Potifar, , que desejava deitar-se com ele,  provavelmente o seu castigo seria a morte e não a prisão.
Há muitos casos que poderíamos citar de como é importante agir com rapidez ao tomar decisões sábias.
Mas como saber quando agir com rapidez e quando agir com mais paciência?  Como saber quando ser ágil e quando ser mais cauteloso e reflexivo?
Eu acho a resposta bem simples. Quando sabemos o certo a fazer não devemos protelar a decisão, é preciso agir o mais breve possível nesta direção. Pelo contrário, se não temos certeza de que algo agrada a Deus é melhor termos calma, cautela e refletir.
Há muitos impulsos bons, que não devemos reprimi-los, o impulso de fugir do pecado é um impulso que aprendemos quando fomos regenerados e salvos.
Sabe aquele impulso de fugir de uma conversação torpe, degradante entre as conversas dos colegas de serviço? Pois é, se você resistir ao impulso de fugir do papo é bem capaz de entrar no ritmo mundano deles. O  impulso de fugir da fofoca, quando ouvimos falar de alguém, é outro exemplo de como saber usar o impulso a seu favor.  São decisões rápidas que nos fazem fugir do erro.
Há decisões rápidas que nos fazem agir corretamente, o impulso de ajudar um necessitado, o impulso de estender a mão ao velhinho que está a cair no ônibus lotado, o impulso de falar de Jesus a um oprimido que precisa de conselhos. São vários impulsos bons que precisam ser cotidianamente cultivados e estimulados em nossa natureza para que estes impulsos não desapareçam.
É preciso ter pressa, correr mesmo, na hora de fazer o bem, para que esta força, esta energia que nos impulsionou a fazer algo de bom não desapareça de nós.
Mas também é necessário pressa, rapidez, velocidade para fugir do pecado que nos rodeia, para que a tentação não alcance vitória sobre nossa vida, nos derrotando pela insistência.
Agir com rapidez é agir com ousadia, com presteza e autoridade. Quem pensa demasiado perde incontáveis oportunidades. Mas quem se acostuma a agir bem e com rapidez sempre estará apto aproveitar todos instantes para servir a Deus.
É preciso ser rápido para fazer o bem e rápido para fugir do pecado.

Que nós sejamos Velozes para Deus.










Share:

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Destruindo e refazendo projetos. Salmos 119.59

Refleti sobre os meus caminhos, e retornei os meus pés para os teus testemunhos. Salmos 119.59



O Programador está ali sentado a horas, ele  planeja, pensa, executa mais um código, mais um detalhe. Ufa! Está pronto,  acabado. Quando ele dá uma olhada melhor , percebe uma falha, num impulso joga todo seu projeto fora.
O Arquiteto está a fazer seu projeto, ele desenha, calcula, desenha de novo, pensa, coloca na planilha, volta ao desenho. O seu desenho demorou dias, mas está quase pronto. De relance ele percebe que no projeto falta um detalhe estrutural de fundamental importância,  todo seu trabalho deve ser abandonado e ele, sem pensar duas vezes, amassa sua folha e parte para um novo desenho.
O Pintor esta ali, há dias, inspirado, pinta, para, pensa, pinta de novo, prepara a tinta. Ele está concentrado, dedica-se profundamente à sua obra. Quando ele se dá conta que há um erro incontornável no quadro, de um pulo ele salta e destrói o quadro com tudo o que havia gastado dias para fazer.

Considerar os caminhos significa refletir sobre como estamos a andar, como estamos  a viver. Tal qual o Programador, o Arquiteto e o Pintor desta ilustração, nós também precisamos reconsiderar nossos caminhos e, em alguns casos, jogar fora tudo que começamos, não importa o tempo que levamos construindo. Se o projeto tem falha estrutural grave ele está fatalmente comprometido, não deve ser levando a diante.

Não é muito incomum que tomemos decisões erradas e comecemos projetos que nos afastem dos planos do Senhor para nossa vida. Nestes momentos , por mais complicado e duro que pareça é necessário atirar no lixo do esquecimento estes projetos.
Assim como o salmista é imperioso que voltemos o mais rapidamente possível para os planos que o Senhor tem para nós. Não mais aguardar, não mais protelar, não mais olhar de outro ponto de vista nossos sonhos , nossos desejos. O ser humano tem esta tendência desditosa de olhar com muito carinho , com muita benevolência para seus projetos e os supervaloriza, isso dificulta quando Deus diz que estes planos nada tem a ver com a vontade Dele para nossa vida.
Sabemos, e cremos que Deus sabe o que é melhor para mim e para você muito melhor do que qualquer amigo , parente ou até  nós mesmos. Mesmo assim quando percebemos que andamos por caminhos que projetamos e que desagradam a Deus, temos dificuldade em abandoná-los.
O servo de Deus considera bem os seus caminhos, ele reflete com seriedade sobre os passos que tem dado e , se for preciso ele para na estrada onde tem com tanta disposição e por tanto tempo seguido,  para abraçar novamente o caminho magnífico do Senhor para sua vida.
Mas é preciso deixar os nossos caminhos para seguir o caminho do Senhor. É preciso aniquilar completamente os nossos sonhos para viver a vida abundante que Deus tem para nós. É preciso quebrar as estruturas , os detalhes tão bem planejados, tão bonitos aos nossos olhos, as belezas, as bem feituras, os arremates que sonhamos.  Só depois disto é que Deus nos fará plenamente satisfeitos em sua vontade. Enquanto desejamos nossos sonhos não conseguimos ver nem desejar os planos de Deus.

Talvez seja hora de destruir, esmigalhar sem dó nem piedade, quebrar em pedacinhos algum caminho que venhamos seguindo , algum projeto tão belamente sonhado e planejado , para agradar ao Senhor, mas se for este o caso , podemos ter certeza de que o nosso Deus nos recompensará.





Share:

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Cristo Pantocrator

O CRISTO PANTOCRATOR



O Cristo Pantocrator refere-se a uma forma de representação de Jesus. É uma palavra de origem grega que significa "Todo-Poderoso" ou "Onipotente". Encontra-se várias vezes no Novo Testamento em grego. Provém de pan (tudo ou todo) e krátos (alto, em cima e, daí, governo e poder). Quando percebemos esta pintura   logo atentamos para  o dogma cristológico das duas naturezas de Jesus, a  humana e a divina , unidas na única, A  Pessoa do Verbo.  
A Bíblia faz muitas referências ao Messias sofredor, cheio de dores, sendo perseguido e sendo martirizado, morrendo pelos pecadores na cruz do Calvário. A Igreja neotestamentária assimilou bem esta mensagem. Mas não isso não é tudo sobre Cristo , há mais para se falar sobre ele.
Outra perspectiva é a do Cristo como uma alma iluminada, instruída, que traz uma sabedoria diferenciada ao homem.
Isso fala de uma parte importante do ministério de Jesus, mas também não é tudo.
Ele também  é o Grande Imperador do Universo , O Rei do reis e Senhor dos Senhores. O Senhor que tudo rege ,  Cristo mantém através de seu poder  todas as coisas: tanto as da alma como as de natureza material, NELE  tudo permanece, NELE q  vivemos, NELE nos movemos e existimos. (Atos 17: 28-30 )
No Pantocrator o Cristo é representado como Soberano, sentado sobre um trono.  Cristo é Deus e como tal ele é o grande Senhor do Universo e tudo está sujeito e submisso à ele.
Esse é o Pantocrator, que detém em suas mãos o poder da vida, a chave do inferno e da morte, que possuí sobre sua autoridade todos os seres sejam os que existem na terra como os seres angelicais que vivem nos céus, também domina sobre o inferno e nada escapa de seu maravilhoso e irremovível domínio.O Cristo Pantocrator é o máximo dominador sobre as nações ,  é o grande artífice da natureza, que não somente a planejou a criou mas também desde a criação ele a mantém e a preserva para sua glória.

“Tudo o que o Senhor quis, fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos”. Salmo 135:6. “Mas nosso Deus está nos céus; fez tudo o que lhe agradou”. Salmo 115:3. 

Saber que nosso Jesus é o Pantocrator é saber que nada está longe do seu alcance, que os seres de todo Universo e o próprio Universo está sendo regido e controlado da maneira que LHE agrada.
Como seria terrível se este Pantocrator fosse mal, fosse irascível e sem compaixão, certamente estaríamos destruídos.
Se ele fosse uma das divindades inventadas pelo homem, que são instáveis e inseguras, podendo se irar a qualquer momento e por qualquer motivo. Que terrível seria!!
 O mais importante de tudo é saber que sua igreja esta reconfortada neste grandioso poder, a Igreja sabe que seu mestre é maravilhoso e amoroso.
Ele trabalha em favor dos que o amam, ele batalha por seus eleitos, ele morreu na cruz para salvar um povo para si. 
Como é maravilhoso para nós sabermos que fazemos parte do povo escolhido pelo Regente Geral do Universo, o Imperador indestrutível da História, o Senhor de todos os seres sejam os físicos como os espirituais. E mais interessante ainda, sabermos que esse grande e poderoso Regente nos ama com amor Sacrificial.

Somos povo do Cristo Pantocrator.
Share:

Em nome da Piedade. Salmo 119 .58

Roguei deveras o teu favor com todo o meu coração; tem piedade de mim, segundo a tua palavra. Salmo 119 .58

Se há uma coisa que  todo crente precisa conhecer sobre Deus é que ele é piedoso. Ele é a fonte de toda bondade e todo amor que existe no mundo. Mas Deus não é recíproco, ele não espera ser amado para amar, não espera ser chamado para buscar e não espera que sejamos os homens mais perfeitos para nos abençoar.
Ele nos salva, nos cura , liberta, restaura, transforma, nos dá bênção espirituais, bênçãos materiais, tudo por apenas um único motivo:
Ele é Bom , Ele é Piedoso.
Olhemos esta oração. Ela é uma oração de profunda dor , profunda aflição. O salmista está tomado por uma angústia aterradora e isto se mostra nas ênfases repetidas da oração.
Eu Roguei - Ele pediu encarecidamente, suplicou.
Deveras - Com muita sinceridade, com muita honestidade.
O teu favor - Existia alguma causa importante, que o escritor não comenta, e que o faz instar o favor divino.
Todo coração - Ele queria mostrar o quanto era importante para ele alcançar o favor divino, ele estava inteiramente entregue a esta busca.
Eis aqui o cerne da oração, aquilo sobre o qual nossa comunhão com Deus fica de pé ou cai. O princípio número um da comunhão  e da unidade com Deus. Observe que o escritor  clama por piedade, ele não clama porque o Senhor lhe deva  abençoar, não por que tem algum direito, mas ele faz sua súplica  em nome da Piedade Divina.
Em nome da Piedade Divina também  nos achegamos a Deus, contritos, cheios de falhas, de defeitos, estamos lá, não temos como negociar com Deus, mesmo assim temos um pedido a apresentar, temos uma petição.Tudo sem mérito algum de nossa parte, confiados na sua Santa Piedade.
Olhamos, nada nos garante acesso ao Rei, nada nos garante que seremos ouvidos, que teremos nossa prece recebida. Nada! Somos maus e pecadores. Mas mesmo assim sentimos uma confiança inexplicável para orar, para buscar o favor do Senhor, mas isso por quê?
Isso por que chegamos humildes aos pés do Senhor confiando na sua piedade. Essa piedade está clara e abundantemente  testemunhada na Palavra de Deus, ali percebemos quanto Deus se compadece daquele que reconhecendo sua insignificância, o seu erro  e sua miséria vem a Deus clamar por sua piedade. São 130 salmos que falam , direta ou indiretamente sobre a misericórdia e piedade divinas.
Moisés foi posto no cesto por sua mãe e irmã, antes de ter feito qualquer coisa de boa ou má, Deus simplesmente teve piedade dele. (Hebreus 11.23)
Deus teve piedade do idólatra e mau rei Acabe,  quando arrependido e humilhado clamou por misericórdia (1 Reis 21.27,29), também do profano rei Manassés (2 Crônicas 33.1-17). Estes foram casos terríveis em que os reis desceram ao fundo do poço da maldade, mas que, se arrependeram, se lamentaram e Deus lhes concedeu salvação. E o único motivo disto é sua grande piedade.
É maravilhoso saber que o Senhor pode se compadecer do pior pecador, isso nos reconforta, nos dá ânimo para prosseguir, afinal, como Deus é  piedoso para conosco!
  Ah como é maravilhoso saber que Deus é piedoso, que ele não nos rejeita por sermos maus, ele levanta o caído, restituí o abatido, ergue e transforma o que foi rejeitado pelo mundo.

Em nome da Divina Piedade temos confiança que nosso  querido Pai nos ouvirá, perdoará nossos pecados e nos restaurará!



Share:

Popular Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

IPB

IPB
Logo Igreja Presbiteriana do Brasil

Seguidores

Minha lista de blogs

Total de visualizações

Siga-me por e-mail!

Menu (Editar so No Html )

Recent Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

Copyright © Blog do Vitor Germano | Powered by Blogger

Design by ThemePacific | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com