Blog sobre Teologia contemporânea. Devocionais, artigos e Estudos Bíblicos indutivos

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Ele é Bom e Faz o Bem. Salmos 119.68

Tu és bom e fazes bem; ensina-me os teus estatutos.
Salmos 119.68



É sabido que todas as pessoas bem intencionadas desejem naturalmente fazer o bem, porém desejar não é o mesmo que praticar.
Há muitas pessoas bem intencionadas e sinceras fazendo coisas erradas. Não basta, pois querer fazer o bem é necessário saber fazer o bem.
Há os que sabem fazer e não o fazem, estes são os maus. Há os que praticam o bem e o praticam por que assim desejam , estes são os bons. E por último, há os que querem fazer o bem, mas não sabem como, estes são os piores. E por que os últimos são piores? Eles não são ao menos bem intencionados?
O fato é que não basta ser bem intencionado, pessoas bem intencionadas, mas completamente ignorantes cometem falhas monumentais, causam danos gigantescos e ainda justificam suas mancadas em nome da suposta "boa intenção". Isso os livra de sentirem-se culpados diante de suas péssimas ações. No mundo cristão este tipo pessoa pode justificar quase qualquer pecado ou má atitude em nome da boa intenção.
Ok, mas alguém poderia objetar: "Mas tal pessoa não pratica coisas más, ela só deixa de fazer coisas boas”. Este argumento não justifica ninguém diante de Deus. A Bíblia chama este tipo pessoa como indolente, como negligente. A Bíblia condena a negligência como qualquer outro pecado, seja do coração ou por atitude. O Apóstolo Tiago fala em sua carta, no capítulo 4, versículo 17:
"Refleti sobre isto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado."

Mas não basta o querer, é preciso o praticar. O desejo de praticar o bem é essencial, mas não é suficiente. O que realmente muda as coisas é a prática, e não qualquer prática, mas a prática refletida, planejada e estudada. O dever do cristão é pautar suas boas práticas pelo padrão da Palavra, e isso ele só poderá fazer se tiver um coração voltado à aprendizagem humilde e aplicada a que devemos nos submeter por intermédio do Espírito Santo;

Todos nós temos sonhos, objetivos. Metas a cumprir os objetivos guiam nossos planos de decisões. Você desejar algo faz com que você molde seus planos, que ajudará em muitas decisões cruciais. Há homens maus, que agem motivados por "boas intenções". Isso não os torna bons, afinal suas ações são totalmente malignas pois seus corações acham que é bom o que na verdade é mau. Homens bons praticam coisas boas. Homens maus praticam obras más.
Deus é fonte de toda e qualquer bondade, para sermos bons só aprendendo como nosso Senhor , afinal , Ele é bom e Ele faz o bem.


O mundo não melhora só com boas intenções, é preciso ideias, planos , metas e disposição para enfrentar desafios. Os homens bons, os homens que tem Deus no coração, estão sempre aplicados a buscar do Altíssimo sua segurança e orientação de vida diariamente para poderem executar o bem, as coisas boas que eles precisam e querem realizar.
Share:

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Perdoar - A Melhor Doação



A Bíblia é um livro que expressa o perdão em essência e em verdade. Se perguntassem onde encontrar perdão, como aprender sobre ele, poderíamos dizer sem receios: Perdão encontra-se em Deus.

Aprende-se na Bíblia, a que é Sua Palavra, Sua voz e instrução. Nela encontramos tudo o que Ele fez, e tudo o que nEle temos. Ela está recheada, repleta de exemplos da maior doação ao homem. No livro de Juízes, vemos o perdão expresso nas ocasiões em que o povo transgredia e volta a transgredir, e rogava a Deus que os livrasse, e Deus sempre os livrou por sua graça mui grande. Em 2 Samuel quando Davi pecou com  Bate-Seba em Salmos quando Ele alcançado em Graça redige o salmo 51 (vide).

Nos deteremos a refletir em um salmo também, mas no Salmo 130, que, sucintamente nos fala da dádiva do perdão. O Salmista contristado clama ao Senhor, lhe roga, lhe suplica, reconhece a magnitude do Eterno, denota sobre a ira de Deus, contudo, lembra que: “O Senhor nos oferece perdão, para o amarmos e lhe obedecermos, sinceramente.” (Sl 130.4 NBV)

Chegamos na perspectiva perfeita sobre a natureza da iniquidade que entristece o coração, entristece a alma do Salvo, e perspectiva da natureza da Graça que capacita ao homem receber perdão e aceitá-lo corretamente. É saudável a alma entender que não merecíamos e continuamos sem merecer o perdão. Também bom  é quando aceitamos em nossa consciência tal presente.

O cristão cônscio de sua iniquidade pessoal, encontra em Cristo,  e só nEle o amor como um favor presenteado. Assim, consegue oferecer gratidão a quem é devido e a quem é de direito receber. E como o Salmista nos mostra, dessa forma, quando o salvo deleita-se na Magnitude e Soberania de Deus, O Senhor é glorificado então!

Entender que o Senhor oferece e que por essa razão podemos obedecê-lo sinceramente é mais uma de suas graciosidades. Só podemos agradá-lo porque , mais uma vez como em tudo, O Senhor anteviu-se a nós e nos atraiu para que verdadeiramente pudéssemos caminhar retamente.


Em suma, podemos mais eficazmente glorificar ao Senhor pois estaremos a louvá-lo por algo que em nada forjamos, mas algo que maravilhosamente dEle veio, mais um atributo real e esplendoroso que só Ele tem, e por conseguinte só Ele pode ensinar: Perdoar, a melhor doação.



Colaboração Especial  da  autora Thainá Sanhudo Oliveira
Share:

O Sofrimento e Excelência. Salmo 119.67

Antes de ser afligido andava errado; mas agora tenho guardado a tua palavra.  Salmos 119:67



Este versículo é profundamente aplicável a vida de qualquer servo de Deus. Desde o primeiro homem, Adão, passando por Noé, Abraão, Moisés , Davi , chegando no Novo Testamento onde  temos Pedro, João, entre outros, todos sem exceção, aprenderam e aprenderam muito com seus sofrimentos.  A dor molda os corações.
Parece algo batido , repetido, mas sempre é preciso lembrar, não há amor sem correção,  a planta que não é cuidada e podada não produz bom fruto.
As engrenagens da nossa vida são sensíveis,  nossa personalidade é regida por mecanismos sofisticados, criados por Deus para serem movidos apenas por ele. Somente Ele é capaz de determinar , com precisão cirúrgica, onde e quando deve intervir e com que força;
Sabemos que, indiscutivelmente, o oleiro nunca aplica demasiada força quando vai moldar o vaso em suas mãos. Com sua grandíssima perícia ele vai amassando, moldando, retirando os excessos, trabalhando o seu barro para que se torne um útil e bonito Vaso. Assim também Deus age com seus servos, todo sofrimento, toda lágrima, toda aflição tem um objetivo perfeitamente específico para tratar na vida de cada um. Nada é em vão, nenhuma dor no dedinho mínimo é aleatória ou sem sentido, tudo tem um propósito específico. Ele não nos traz sofrimento demasiado, que venha nos tirar qualquer expectativa de redenção, pelo contrário cada gota de dor é divinamente controlada para produzir o máximo de excelência em nossa vida.
Deus está a produzir em nós um caráter excelente, um caráter aprovado, ele deseja que reproduzamos em nós as características de seu Filho Jesus Cristo. Jesus sim foi um exemplo de fidelidade absoluta, pois guardou todos os  divinos preceitos. Jesus Cristo aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu. Claro que seu sofrimento nunca foi merecido, mas ele estava a nos dar o exemplo.

Antes de sermos corrigidos, antes de sermos admoestados, fazíamos o que era do nosso agrado e da maneira que nos apetecia. 
Nada neste mundo nos faria mudar nossa confortável maneira de viver se não fosse uma imperiosa necessidade de escapar ou de vencer o sofrimento. Nosso Senhor é sapientíssimo, ele sabe que ferramenta irá usar para trabalhar em nossa vida, sabe como quebrar nosso orgulho e vaidades carnais, pecados tão traiçoeiros que nos afastam dEle.


Neste sentido o sofrimento que Deus nos proporciona objetiva a excelência, e nada menos do que isso é aceitável perante Deus.

Share:

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

A Esfera da Fé. Salmo 119.66

Ensina-me bom juízo e ciência, pois cri nos teus mandamentos.  Salmo 119.66



Existe muita gente que assume que um homem de ciência não pode ter fé.  Isso é uma afirmativa totalmente descabida, sem fundamento. Vemos Newton, Einstein, Niels Bohr, Michael Faraday, Max Plank, entre outros cientistas  tão famosos e conhecidos quanto estes, que  acreditaram em um Deus Criador e professavam ter sua fé pessoal.
Vamos ver, percebam que são três esferas do conhecimento. Se olharmos  para este salmo conseguimos perceber os três lados do conhecimento.
O Primeiro - O Bom Juízo , ou como o conhecemos, o Bom Senso.
O Segundo - A Ciência - Aqui tratamos do conhecimento científico, mensurável, calculável, possível de ser experimentado.
O Terceiro - A Fé, o conhecimento do mundo espiritual , adquirido por meio da revelação divina.
Este salmista não estava esperando do Senhor apenas para a esfera do conhecimento espiritual , pelo contrário, ele entende que o Senhor é doador de toda e qualquer capacidade que o ser humano possua de  conhecer o mundo. A nossa inteligência, o nosso bom senso são dons que o nosso Deus nos dá por sua livre e espontânea vontade.
Tudo vem dele, toda boa coisa, todas as coisas belas e maravilhosas.
 Não gosto de fazer elogios insinceros. Se a pessoa não faz bem aquilo que lhe é devido ou que se propôs a fazer não merece ser elogiada. Boas intenções não bastam é necessário mais do que isso. É preciso esforço , dedicação e comprometimento.
Para adquirir bom senso é preciso observação , inteligência, perspicácia e vontade de se relacionar bem com as outras pessoas. Pessoas de bom senso são elogiáveis, dignas de imitação.
Para adquirir ciência é preciso uma dose muito grande de estudo e dedicação, além de bom raciocínio , dedução e capacidade concentração. Pessoas de ciência são elogiáveis, possuem o mérito do esforço.
E para crer nos mandamentos do Senhor?  O que é preciso?
Não é preciso ciência nem bom senso, é necessário fé, que é um dom de Deus. Dom revelado, dom que chega de maneira totalmente imprevisível ao ser humano.
A fé não é calculável, observável, mensurável como as coisas da ciência. A fé também não é apreensível, não é adquirível com perspicácia ou sabedoria. Ela é independente. Ela é mais nobre. Ela é maior.
Podemos elogiar as pessoas pelo seu conhecimento, pela sua sabedoria, pelo seu bom senso, mas nunca pela sua fé. Quem poderia ter alguma fé, mesmo que diminuta que não tenha recebido? Toda fé vem de Deus, como dádiva. 
Não podemos imaginar que as leis que governam a ciência governem o bom senso, nem as que regem o bom senso guiarem a ciência. São coisas distintas. Assim como a fé é governada por leis próprias, independentes.
Quem tem fé sabe da importância das outras esferas para sua vida e não menospreza elas, pelo contrário pede ao Senhor para que o ensine , para que o capacite a obter estes outros conhecimentos. Deus é Soberano sobre a Ciência e o bom senso e Ele pode conceder a quem ele desejar. 
 Neste sentido não há contradição entre fé e as outras áreas do conhecimento sendo que cada uma atua em esferas separadas e independentes , porém todas elas são ainda governadas e regidas pelo Altíssimo , o grande Criador de todas as Coisas.
A Esfera da Fé é a que supera todas as outras em importância.  Sem fé é impossível agradar a Deus  ( Hebreus 11.6).






Share:

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

O Contrato Divino. Salmo 119.65

Tens usado de bondade para com o teu servo, Senhor, segundo a tua palavra. Salmo 119.65



Comprador e vendedor se assentam para tratar dos valores de determinada propriedade.  Eles se comprometem com  um acordo satisfatório. Chega então a hora de lavrar o documento de compra e venda. Eles vão ao Tabelionato e firmam o compromisso entre si, o comprador compromete a pagar o valor devido e o vendedor a transferir a propriedade para o nome do outro. Ali perante o Tabelião eles assinam o documento. Pronto, assinado e reconhecido oficialmente,  agora os dois podem descansar, não estão baseados apenas numa promessa verbal, mas num documento escrito, reconhecido e assinado e que poderão usar em qualquer momento para comprovar que o que foi combinado tem garantia legal.
Mas e Deus, ele tem feito algum tipo de contrato conosco?
Deus está comprometido conosco, com sua Igreja, com seu povo, muito comprometido. Tão comprometido que entregou seu próprio Filho, Jesus para ser crucificado e morto pelos nossos pecados. Nosso Pai está totalmente comprometido conosco, Ele não só deu seu filho como fez com que sua promessa de redenção e salvação ficasse registrada oficialmente nas Sagradas Escrituras.

Temos um contrato eterno de sermos bem-aventurados e felizes em sua presença.  Sabe aquele receio de que vivamos  mil, dois mil, um milhão, um bilhão de anos nos céus e duma hora para outra, Deus  chega e nos diz:  " Tudo bem,  agora acabou a festa , cada um cuida de si, eu cansei de vocês por aqui, podem ir embora da minha casa" ? Bom este receio nós não devemos ter, pois Deus mesmo se compromete com sua Palavra para cumpri-la.  Este receio é infundado.

Tito 1.2
Em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos;

Quem que conhecendo a maravilhosa salvação de Cristo, não se depara diariamente com o cuidado e provisão de Deus em sua vida? Quem que, experimentando dia após dia do amor bendito do Senhor não testemunha que Deus tem usado de bondade para consigo, bondade esta que jamais mereceríamos?

 O Senhor zela por nós!! Oh que alegria sabermos que ele tem se comprometido para conosco, alegria saber que ele zela por sua Palavra, ele honra seus compromissos. A tinta que assinou o documento que nos garante vida eterna foi o próprio sangue de seu filho. Este sangue nos valida oficial e eternamente este contrato.
O Senhor é Fiel e Verdadeiro.

2 Timóteo 2.13
Mas se somos infiéis, Ele, entretanto, permanece fiel, pois não pode negar-se a si mesmo. Atitudes do obreiro de Deus

O Contrato Divino não expira. Não se anula não se acaba e mais importante, é incondicional, ou seja, não há uma cláusula que nos obrigue a sermos fiéis, cem por cento (quem conseguiria completa e perfeitamente evitar o pecado?) para alcançarmos a vida Eterna.
Só é preciso crer e confiar que essa promessa é para nós.  E por essa confiança o amarmos e lutarmos para viver uma vida santa e piedosa.
Deus tem sido bom para conosco e a garantia de que ele ainda será bom, para sempre conosco, é a sua Palavra, o Contrato Divino.




Share:

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

A Bondade de Deus. Salmo 119.64

A terra, ó Senhor, está cheia da tua bondade; ensina-me os teus decretos. Salmo 119.64




Olhe a terra repleta de belezas, de coisas dignas de apreciação, é fácil se encantar com as perfeições da criação. Vemos as Cataratas do Iguaçu, o Pão de Açúcar, o Monte Everest, entre  tantos outros  atrativos da Criação, lindas paisagens! É natural  que exaltemos a Deus por sua graciosidade criativa. Deus é bom. Deus é bondoso.  O tempo todo, Deus é bom.  Deus é cheio de bondade. Sempre bom. Muito e sempre bom.
Mas este mundo também tem vulcões, terremotos, maremotos, inundações e coisas terríveis que causam destruições e mortes. Ao olharmos este lado  parece que este mesmo Deus bom  tem um lado mau , carrancudo e destrutivo. Mas não é bem assim.
Há ainda as doenças, epidemias, transtornos, os males causados pelo homem como assassinatos, guerras, violências, poluição. Deus não poderia evitar tudo isso? E se poderia por que não evita se é um Deus bom?
Eu gostaria que aprendêssemos com o salmista . Ele não é ingênuo a ponto de não perceber as imperfeições do mundo que o cerca, as maldades, as mortes, as guerras. Apesar disto ele via a bondade de Deus em tudo e isso não lhe parecia contraditório. A resposta do porquê ele enxergar o mundo desta forma é revelada no seguimento do versículo onde ele diz : "ensina-me os teus decretos".
O Deus de bondade , que criou tudo belo e bom está irado com sua criação. Suas criaturas se rebelaram contra ele. O homem corrompeu a maravilhosa natureza, sua maldade está contaminando e destruindo tudo. Deus está irado com o homem e com tudo o que o homem toca. Deus irá castigar este homem.  Deus irá consumar sua  ira quando der cabo de todo pecado e destruir esta natureza para criar outra bela e restaurada.
A natureza ainda irá padecer na mão da humanidade corrompida, mas Deus irá  restaurar para sempre esta Criação. A terra se encherá da beleza, da graça e da bondade de Deus.
Mas há na terra alguns escolhidos, alguns que não se entregam avidamente ao pecado , alguns que foram chamados e regenerados por Jesus, estes sim querem viver de forma a agradar a Deus. Estes querem aprender os divinos estatutos. O salmista contava entre estes. Ele estava tão afinado com a vontade do Senhor que conseguia discernir perfeitamente a bondade do seu Deus mesmo em meio às muitas tristezas e sofrimentos deste mundo.
Quem está afinado com Deus percebe a bondade de Deus em tudo, percebe a provisão de Deus em tudo, seu cuidado, seu amor, seu zelo. Quem está afinado com Deus busca conhecer seus estatutos, busca aprender mais deste Senhor tão maravilhoso que encheu esta terra com sua bondade.
Deus não anulou sua bondade mas manifesta ela somente aos seus servos, seus amados que ele preserva. Estes podem enxergar a harmonia da Criação mesmo em meio ao sofrimento e no "aparente caos" que tudo se encontra.  O caos da Criação é aparente , uma vez que tudo se harmonizará finalmente , diante dos nossos olhos, no dia certo para confirmar a Glória e a Soberania de Deus.
Os ímpios e os maus só percebem a destruição e a maldade, porque seus olhos são cheios disto.

Que possamos ser como o salmista e buscarmos aprender cada vez mais de Deus para percebemos bem sua bondade para conosco.






Share:

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Em ótima companhia. Salmo 119.63

Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos. Salmo 119.63



Quem não conhece o famoso provérbio popular " Me diga com quem anda que eu te direi quem és" ?
A gente facilmente detecta que pessoas que andam muito juntas invariavelmente tem muitas coisas em comum. Um jovem  surfista andará com jovens surfistas, um senhor de idade que adora xadrez terá amigos que jogam xadrez, uma mulher que gosta de fofocas andará com outra que gosta de fofocas, um homem que gosta de mentiras andará com outros mentirosos.  É claro que é preciso dizer que há exceções, mas as coisas naturalmente caminham deste jeito. É bem fácil de perceber  que as características  das nossas companhias mais próximas são referências muito fortes de nossas próprias características. É muito bom e agradável conviver com pessoas que tem os mesmos valores, ideais, convicções e preferências.
Temos tendência de andar  ao lado de companhias que façam mais sentido para nós. Um grupo de amigos é  um grupo de pessoas  que normalmente tem valores e interesses vitais semelhantes.  
Mas dentre amigos e amigos , eu entendo que exista uma divisão forte entre amizade boa e amizade ótima, é uma diferença muito grande e vamos fazer uma separação entre elas.
Primeiro, toda verdadeira amizade é boa, mas nem toda é ótima. A ótima é muito mais rara, muito mais especial e muito mais importante, ela  deixa marcas significativas no caráter e na personalidade. Claro que ótimas companhias deixam ótimas marcas.
Na Bíblia temos o exemplo de amizade ótima, por afinidade .
Davi e Jônatas, Elias e Eliseu, Paulo e Barnabé, Pedro e João, Rute e Noemi, entre outros. Estes eram ótimos amigos, amigos do peito, irmãos mesmo, os laços são bem mais fortes que uma amizade comum, amigos assim temos um,  dois e quando muito  três.
É possível termos alguns amigos que não compartilhem muita coisa importante conosco. Porém estes podem se tornar no máximo bons amigos e nunca ótimos amigos.
Amizades influenciam muito em nossa conduta.  Não que vamos  nos tornar iguais, mas passaremos a frequentar os mesmos lugares, ouvir as mesmas músicas, falar sobre as mesmas coisas, compartilhar opiniões sobre as outras pessoas e até reproduzir manias da pessoa. 
Se a conduta de nossos amigos for muito diferente da nossa duas coisas podem ocorrer:  Ou nossos amigos mudam a nossa própria conduta ou nós nos afastamos deles. Não há como ficar muito próximo, ser um ótimo amigo e não nos deixarmos influenciar. Paulo fala em 1 Coríntios 15:33.

“ Não se deixem enganar: “As más companhias corrompem os bons costumes.”

 É necessária  cautela ao escolher as pessoas com quem andaremos lado a lado, compartilharemos grande parte dos nossos sentimentos sonhos e projetos... não se trata de julgar as pessoas, mas sim a atitude de pecado, comportamento inadequado e falta de temor a Deus. A verdade é que existem pessoas que não querem viver conforme Cristo nos ensina não são  boas referências de amizade, não são  candidatas a amigos ótimos.
Precisamos  encontrar algum amigo que nos leve para mais próximo de Deus, que ore conosco, que leia a Bíblia conosco e que nos afaste do pecado e nos ajude a evitar nos  aproximarmos dele.
É bom que oremos a Deus na procura de relacionamentos saudáveis, de amizades com pessoas assim. Pessoas de Deus , pessoas que queiram nosso bem estar  físico e espiritual.
Não que devamos nos afastar de outros amigos , que não tem o mesmo ideal e que muitas vezes nem cristãos são. Podemos e devemos usar a amizade para aproximar estas pessoas da verdade de Cristo. O que devemos evitar é que estes se tornem nossos melhores amigos pois sua conduta fatalmente nos influenciaria para o mal.
O Salmo 1 , no versículo 1,  também trata sobre isto:

 Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.

Ótimos amigos são os que guardam os divinos preceitos, os piedosos, os tementes ao Senhor. percebam que o  grupo social, grupo de amigos  a que pertencemos tem papel fundamental na construção de nossa personalidade.  Homens de Deus tem como melhores amigos outros homens de Deus e mulheres de Deus tem como melhores amigas outras mulheres de Deus, sim desta forma ambos tem companhias ótimas, e somente assim ambos edificam-se mutuamente caminhando com Cristo. 




Share:

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Um tempo para louvar a justiça de Deus. Salmo 119.62

À meia-noite me levantarei para te louvar, pelos teus justos juízos.
Salmos 119:62



O que você faria para Deus se não recebesse nada em troca?
Você o louvaria? Pois bem vejamos o salmista o que diz.
Hoje em dia alguém ficar acordado até meia-noite não é raro. Desde que inventaram há mais de dois séculos a luz elétrica,  existe uma multidão de pessoas que ficam até a madrugada estudando, conversando, assistindo TV, mexendo na internet, mexendo nos Smartphones entre outros entretenimentos.
Mas não foi sempre assim, na época em que o escritor compôs o salmo era muito difícil fazer qualquer atividade depois que o sol se punha e findava o dia. A noite era utilizada basicamente para jantar, dormir e recobrar as forças para outra jornada cansativa de trabalho no dia seguinte.
Quase todo mundo deitava antes das 22 horas, pois depois de o sol findar, eles lavavam-se , jantavam , conversavam um pouco e não tinham outra coisa a fazer a não ser dormir e repousar dos fatigantes afazeres diários.
No horário da meia-noite era muito improvável alguém acordado, pois era o horário do sono profundo. E é justamente neste horário que o salmista levantava e punha-se a louvar ao Senhor pelos seus justos juízos.
Apesar do sacrifício, ele não roga a Deus tratamento diferenciado por levantar de madrugada, ele não  "exige" do Senhor uma bênção especial pelo sacrifício empreendido , ele não esperava que  Deus pudesse ouvir melhor suas orações por estar se esforçando.
Mas ele levantava meia noite para louvar ao Senhor pelos seus julgamentos, pela sua justiça, por seus mandamentos preciosos, por sua bendita Lei.
Quem de nós pode se prontificar a acordar de madrugada, não necessariamente à meia noite, mas no horário do meio da nossa noite de sono, horário de silêncio, e tirarmos um tempo para louvar a justiça de Deus?
Ninguém pode forçá-lo a isto, nem coagi-lo,  para fazer isso você que deve sentir e posicionar-se a respeito. A Bíblia não promete alguma coisa para alguém que faça tal sacrifício. Não há uma promessa de recompensa. Não há prelúdios de grandes vitórias. Este é um tipo de louvor diferente , desinteressado , motivado unicamente pela piedade e pela devoção.
 Mas se o louvamos assim, isso será uma grandiosa demonstração de que amamos a Deus pelo que Ele é, pela sua grandeza, pela sua justiça e não somente pelo que Ele pode nos proporcionar.

Amar ao Senhor é maravilhoso, amar ao Senhor por que Ele é justo e por que justos são os seus juízos. Louvem-lhe todos os que conhecem os seus maravilhosos atributos!
Há muita coisa digna de ser apreciada em nosso Senhor, muita coisa mesmo. Mas pensemos hoje na sua justiça . Por certo que os salvos conseguirão achar na sua agenda diária um  um tempo para louvar a justiça de Deus.


Share:

domingo, 8 de janeiro de 2017

Potência não é nada sem Controle.





Abraão é considerado o maior exemplo de fé do Antigo Testamento. O patriarca é reconhecido pela confiança que depositou em Deus e por perseverar em meio às adversidades.
Mas Abrão não foi sempre um homem de fé exemplar. Quando Deus o chamou, estava no meio da idolatria própria dos babilônios.Talvez em nossa ótica pensássemos que ele era alguém de quem Deus  se agradaria , era um idólatra entre  tantos outros.
Mesmo assim aprouve ao Senhor escolher Abrão. Ele lhe  fez uma grande promessa e lhe ordenou que fosse para uma terra desconhecida , terra que Deus lhe mostraria.
Abrão obedece parcialmente,  pois não deixou a sua parentela nem a casa de seu pai, como fora lhe ordenado,  nem tampouco chegou à terra que Deus lhe prometera dar.
Abrão, desobedecendo ao Senhor,  leva consigo seu sobrinho Ló, seu pai Terá, que não faziam parte do plano divino, além de sua esposa, esta sim parte da promessa e servos.
Ao chegarem na região de Harã, morre o pai de Abrão. Logo depois ocorre uma disputa entre os servos de Ló e os de Abrão e sobrinho e tio se separam. O patriarca, agora sim , está como Deus desejava, sozinho com sua esposa , então ele chega em Canaã, a Terra prometida.

Mais tarde, quando Deus diz a Abraão: "À tua descendência darei esta terra" (Gên. 12:7), não diz que ele tenha crido em Deus.Ele ainda estava um pouco desconfiado, receoso. A fé de Abrão ainda não estava despertada.
Pouco depois, ele  passa de largo em sua chamada, pois vai ao Egito.
Era para permanecer em Canaã, mas no Egito ele mente a Faraó, expõe vergonhosamente a sua esposa ("para que me vá bem por tua causa"), e depois de ser  corrigido por Deus,  Abraão volta para o lugar da bênção.

Há ainda mais um percalço pelo caminho, Ló  seu sobrinho, é levado cativo pelo exército dos reis de uma cidade vizinha. Deus  respalda Abraão generosamente no episódio  em que ele,  vence 4 Reis para resgatar seu sobrinho.
Só depois disto, e de ter recebido a bênção de Melquisedeque, Sacerdote e Rei de Salém, Abraão recebe o dom da justiça de Deus: Ocorre uma mudança em Abraão. Aí o homem se torna realmente o homem da Promessa.

Então o levou fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta às estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência.
E creu ele no Senhor, e imputou-lhe isto por justiça. (Gênesis 15.5-6)

Depois disto Deus faz um pacto. Um pacto com sacrifício. Um pacto em que Deus se compromete em abençoar  Abraão. Um compromisso unilateral. É uma aliança que não depende da fraqueza humana, mas da graça divina.
A aliança é confirmada e ampliada diversas vezes (caps. 13, 15, 17 e 22).  Nenhuma vez as promessas adicionadas se condicionam a fé de Abraão ou de sua descendência.  São parte de uma aliança incondicional.

E disse-lhe: Toma-me uma bezerra de três anos, e uma cabra de três anos, e um carneiro de três anos, uma rola e um pombinho.
E trouxe-lhe todos estes, e partiu-os pelo meio, e pôs cada parte deles em frente da outra; mas as aves não partiu.(Gênesis 15:9-10)
E sucedeu que, posto o sol, houve escuridão, e eis um forno de fumaça, e uma tocha de fogo, que passou por aquelas metades.(Gênesis 15:17)

 A visão de Deus se submetendo a juramento é terrível e profunda. Ele sabia que Deus era poderoso para cumprir. Mas não sabia que Deus era poderoso para fazê-lo SOZINHO.
Deus não estava preocupado com as fraquezas de Abraão, ele era capaz de cumprir sua promessa independente disto.
Assim é como chegamos ao ponto chave na vida de Abraão.

Deus não depende de ninguém pra cumprir suas promessas. A verdadeira fé baseia-se inteiramente na bondade e fidelidade divina. Nós apenas cremos e aceitamos que o plano divino se cumpra em nossa vida. Abraão percebeu isto, creu, e recebeu a fé e o poder da fé.

Então Deus lhe fala, e, pela primeira vez os ouvidos espirituais de Abraão se abrem verdadeiramente à palavra de Deus, e ouviu com fé, e esta fé lhe foi contada por justiça. Ele entendeu sua incapacidade de cumprir sua parte na Aliança,  mas creu que Deus era poderoso para providenciar um meio de conceder o que havia prometido apesar de tudo.
Depois disto Deus ainda prova Abraão e ele passa pelos testes e provas e sua fé continua inabalável. Mesmo no episódio onde o Senhor pede Isaque, ele ainda olha para Deus e sabe que Deus proverá a solução na hora certa.

Fé não é nada, se não for direcionada ao Senhor. A fé é um poder ilimitado que Deus concede a todos os  que confiam nEle, e somente nEle.
 O Poder da fé não é nada  se não houver o direcionamento correto, a a orientação adequada .  Potência não é nada sem controle.
Assim como o Patriarca Abraão precisamos ter uma fé sólida , que confia no Senhor que o encaminhará em direção ao cumprimento de suas promessas. Deus que capacitou  Abraão  com fé para prosseguir na jornada, também nos capacitará para alcançarmos suas promessas.


Share:

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Onde Deus mora?




Um aluno do 9º ano do Ensino Fundamental me interrogou uma vez se Deus existe. Respondi que sim, "é inevitável que ele exista " disse eu.
Mas, se existe, onde ele mora?
Boa pergunta , eu respondi. Para facilitar a resposta imaginei um exemplo didático. Depois de responder ao menino eu resolvi colocar no papel o exemplo e depois disto publicar no meu blog. Eis a resposta que dei.
Imagine que David mora na América Latina, no Brasil, Rio Grande do Sul,  cidade de Cachoeira do Sul, bairro Centro, na  Avenida Brasil número 1.
Como   João, um europeu que mora na Alemanha, poderia encontrá-lo?
Digamos que João  procure o endereço . Ele então conversa com um latino americano , ele pode dizer que David   mora no seu continente, ele estará certo. Mas perguntando mais especificamente ele pode afirmar que mora no Chile, então ele estará errado.
Mas então eis que João encontra outro homem, ele afirma que David mora no seu continente, num pais chamado Brasil, no estado do Maranhão, ele estaria mais correto do que o primeiro, mas ainda sim estaria enganado, ele errou o estado.
Assim ele também encontra um gaúcho, ele lhe diz que David mora em seu estado, mas na cidade de Porto Alegre. Também ele estaria mais próximo da verdade, mas ainda assim estaria errado.
João encontra ainda outro homem que lhe informa que David mora em Cachoeira, mas em uma rua chamada Aldeia. Ele também estaria errado. Ele errou a rua.
Ele está tão cansado de procurar sem encontrar  que desiste. 
Neste  momento um  homem o encontra e pergunta quem ele procura, João diz que procura David. O homem diz  que não somente sabe onde David mora , mas sugere que ele mesmo pode  levá-lo lá , pois ele é filho de David e conhece o Lugar . Ele então o leva ao endereço correto.  América Latina, no Brasil,  Rio Grande do Sul,  cidade de Cachoeira do Sul, bairro Centro, na    Avenida Brasil número 1.

Assim podemos fazer uma analogia com o Endereço de Deus. Muitos dizem saber onde encontrá-lo, mas somente um sabe realmente qual o Caminho. Este alguém é Cristo Jesus, ele como filho de Deus sabe muito bem onde é a casa do Pai, ele  realmente encontra muitos homens quando  já estão  exaustos de procurar por Deus em casas erradas endereços errados, por causa de orientações erradas. Alguns até chegam próximo de conhecer o endereço divino, mas nenhum pode realmente saber o endereço, senão o próprio filho de Deus.

Os endereços são  as diversas religiões. Nenhuma pode conduzir a Deus.  O esforço humano é vão e inútil, é preciso que Cristo intervenha, nos encontre , e nos leve para o Pai Celeste.


Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar.
E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.

Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.
Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14:2-6

E assim , respondi ao menino, você pode facilmente encontrar a Deus se procurar no endereço correto, a Bíblia Sagrada , que fala sobre Jesus Cristo como o Filho de Deus que nos leva até o Pai.
Share:

Popular Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

IPB

IPB
Logo Igreja Presbiteriana do Brasil

Seguidores

Minha lista de blogs

Total de visualizações

Siga-me por e-mail!

Menu (Editar so No Html )

Recent Posts

Sobre Mim

Sou cristão evangélico, casado com Thainá Oliveira, secretário de escola, formado em Teologia e acadêmico de filosofia. Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil , na cidade de Cachoeira do Sul, RS onde resido.
Amo Jesus, minha esposa , família, minha Igreja , minha terra e também amo escrever.

Copyright © Blog do Vitor Germano | Powered by Blogger

Design by ThemePacific | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com