Pular para o conteúdo principal

A Esfera da Fé. Salmo 119.66

Ensina-me bom juízo e ciência, pois cri nos teus mandamentos.  Salmo 119.66



Existe muita gente que assume que um homem de ciência não pode ter fé.  Isso é uma afirmativa totalmente descabida, sem fundamento. Vemos Newton, Einstein, Niels Bohr, Michael Faraday, Max Plank, entre outros cientistas  tão famosos e conhecidos quanto estes, que  acreditaram em um Deus Criador e professavam ter sua fé pessoal.
Vamos ver, percebam que são três esferas do conhecimento. Se olharmos  para este salmo conseguimos perceber os três lados do conhecimento.
O Primeiro - O Bom Juízo , ou como o conhecemos, o Bom Senso.
O Segundo - A Ciência - Aqui tratamos do conhecimento científico, mensurável, calculável, possível de ser experimentado.
O Terceiro - A Fé, o conhecimento do mundo espiritual , adquirido por meio da revelação divina.
Este salmista não estava esperando do Senhor apenas para a esfera do conhecimento espiritual , pelo contrário, ele entende que o Senhor é doador de toda e qualquer capacidade que o ser humano possua de  conhecer o mundo. A nossa inteligência, o nosso bom senso são dons que o nosso Deus nos dá por sua livre e espontânea vontade.
Tudo vem dele, toda boa coisa, todas as coisas belas e maravilhosas.
 Não gosto de fazer elogios insinceros. Se a pessoa não faz bem aquilo que lhe é devido ou que se propôs a fazer não merece ser elogiada. Boas intenções não bastam é necessário mais do que isso. É preciso esforço , dedicação e comprometimento.
Para adquirir bom senso é preciso observação , inteligência, perspicácia e vontade de se relacionar bem com as outras pessoas. Pessoas de bom senso são elogiáveis, dignas de imitação.
Para adquirir ciência é preciso uma dose muito grande de estudo e dedicação, além de bom raciocínio , dedução e capacidade concentração. Pessoas de ciência são elogiáveis, possuem o mérito do esforço.
E para crer nos mandamentos do Senhor?  O que é preciso?
Não é preciso ciência nem bom senso, é necessário fé, que é um dom de Deus. Dom revelado, dom que chega de maneira totalmente imprevisível ao ser humano.
A fé não é calculável, observável, mensurável como as coisas da ciência. A fé também não é apreensível, não é adquirível com perspicácia ou sabedoria. Ela é independente. Ela é mais nobre. Ela é maior.
Podemos elogiar as pessoas pelo seu conhecimento, pela sua sabedoria, pelo seu bom senso, mas nunca pela sua fé. Quem poderia ter alguma fé, mesmo que diminuta que não tenha recebido? Toda fé vem de Deus, como dádiva. 
Não podemos imaginar que as leis que governam a ciência governem o bom senso, nem as que regem o bom senso guiarem a ciência. São coisas distintas. Assim como a fé é governada por leis próprias, independentes.
Quem tem fé sabe da importância das outras esferas para sua vida e não menospreza elas, pelo contrário pede ao Senhor para que o ensine , para que o capacite a obter estes outros conhecimentos. Deus é Soberano sobre a Ciência e o bom senso e Ele pode conceder a quem ele desejar. 
 Neste sentido não há contradição entre fé e as outras áreas do conhecimento sendo que cada uma atua em esferas separadas e independentes , porém todas elas são ainda governadas e regidas pelo Altíssimo , o grande Criador de todas as Coisas.
A Esfera da Fé é a que supera todas as outras em importância.  Sem fé é impossível agradar a Deus  ( Hebreus 11.6).






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…