Pular para o conteúdo principal

Ele é Bom e Faz o Bem. Salmos 119.68

Tu és bom e fazes bem; ensina-me os teus estatutos.
Salmos 119.68



É sabido que todas as pessoas bem intencionadas desejem naturalmente fazer o bem, porém desejar não é o mesmo que praticar.
Há muitas pessoas bem intencionadas e sinceras fazendo coisas erradas. Não basta, pois querer fazer o bem é necessário saber fazer o bem.
Há os que sabem fazer e não o fazem, estes são os maus. Há os que praticam o bem e o praticam por que assim desejam , estes são os bons. E por último, há os que querem fazer o bem, mas não sabem como, estes são os piores. E por que os últimos são piores? Eles não são ao menos bem intencionados?
O fato é que não basta ser bem intencionado, pessoas bem intencionadas, mas completamente ignorantes cometem falhas monumentais, causam danos gigantescos e ainda justificam suas mancadas em nome da suposta "boa intenção". Isso os livra de sentirem-se culpados diante de suas péssimas ações. No mundo cristão este tipo pessoa pode justificar quase qualquer pecado ou má atitude em nome da boa intenção.
Ok, mas alguém poderia objetar: "Mas tal pessoa não pratica coisas más, ela só deixa de fazer coisas boas”. Este argumento não justifica ninguém diante de Deus. A Bíblia chama este tipo pessoa como indolente, como negligente. A Bíblia condena a negligência como qualquer outro pecado, seja do coração ou por atitude. O Apóstolo Tiago fala em sua carta, no capítulo 4, versículo 17:
"Refleti sobre isto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado."

Mas não basta o querer, é preciso o praticar. O desejo de praticar o bem é essencial, mas não é suficiente. O que realmente muda as coisas é a prática, e não qualquer prática, mas a prática refletida, planejada e estudada. O dever do cristão é pautar suas boas práticas pelo padrão da Palavra, e isso ele só poderá fazer se tiver um coração voltado à aprendizagem humilde e aplicada a que devemos nos submeter por intermédio do Espírito Santo;

Todos nós temos sonhos, objetivos. Metas a cumprir os objetivos guiam nossos planos de decisões. Você desejar algo faz com que você molde seus planos, que ajudará em muitas decisões cruciais. Há homens maus, que agem motivados por "boas intenções". Isso não os torna bons, afinal suas ações são totalmente malignas pois seus corações acham que é bom o que na verdade é mau. Homens bons praticam coisas boas. Homens maus praticam obras más.
Deus é fonte de toda e qualquer bondade, para sermos bons só aprendendo como nosso Senhor , afinal , Ele é bom e Ele faz o bem.


O mundo não melhora só com boas intenções, é preciso ideias, planos , metas e disposição para enfrentar desafios. Os homens bons, os homens que tem Deus no coração, estão sempre aplicados a buscar do Altíssimo sua segurança e orientação de vida diariamente para poderem executar o bem, as coisas boas que eles precisam e querem realizar.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Zwínglio o Reformador Completo

Huldreich Zwínglio (1484-1531) foi um homem formidável, acima de seu tempo. Viveu pouco tempo (47 anos) e não é tão conhecido hoje como Calvino ou Lutero, no círculo evangélico. Ele era um teólogo excepcionalmente capaz como Calvino , como também possuía qualidades de liderança e fibra que se distinguiam na personalidade de Lutero.
Zwínglio foi o líder da reforma suíça e fundador das igrejas reformadas suíças. Independentemente de Martinho Lutero, Zwínglio chegou a conclusões semelhantes pelo estudo das Escrituras. Os dois não foram influenciados em suas teologias um pelo outro, suas reformas e inovações se deram em paralelo, naturalmente guiados pelo Espírito Santo.
Ele foi famoso por propor, assim como Lutero, algumas teses que confrontavam a teologia romana. Os 67 artigos de Zwínglio. Clique AQUI para conhecer os 67 Artigos de Zwínglio. Zwínglio contrastava de Lutero pois , apesar de enérgico e implacável contra os desmandos do papa e as heresias romanas , ele sempre contestava …

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…