Pular para o conteúdo principal

Ansiedade - medo do amanhã

O coração ansioso deprime o homem, mas a palavra bondosa o anima. (Provérbios 12.25)

 Sabemos  que as coisas jamais fogem do controle divino, Ele a tudo determina e controla, sem nenhum imprevisto seu.
Por outro lado o homem engana-se quando acha que tem as coisas sob seu controle, pois tudo que acontece, só ocorre por permissão divina. A ilusão de poder controlar seu destino faz com que os homens se sobrecarreguem de um fardo que são incapazes de carregar. Essa ilusão de poder e de dever em controlar o futuro chamamos de ansiedade.
Ansiedade seria um medo irracional de algo que poderia dar errado no futuro a respeito de algo que estamos planejando ou fazendo.
Carregar o fardo  da ansiedade  pode prejudicar a saúde e o crescimento espiritual.  O crente ansioso sabe que não tem  realmente o controle de sua vida em suas mãos, mas mesmo assim tenta exaustivamente controlar seu futuro, e  fazendo isso deixa claro que não confia plenamente em Deus. Ansiedade é uma incredulidade disfarçada, uma falta de segurança e uma fraqueza de fé.
Vejamos o que nosso Jesus diz:

"Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida? Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal". (Mateus 6.25-28 e 34)

O cristão sabe que todos os seus dias estão nas mãos de Deus. Desta forma Ele já conhece tudo que vai ocorrer mesmo antes de tudo existir. Antes dos ossos do ser humano serem formados, quando o nosso corpo ainda estava informe no ventre da mãe Deus já conhecia todos  os nossos dias. Por que então desconfiar de alguém que sabe e está controlando todos os acontecimentos? Logo percebemos que a ansiedade é  falta de confiança plena em Cristo.
Usar nossa capacidade de projeção e nossa inteligência para agir com antecedência, prevenir erros e antecipar algum projeto é salutar e necessário, isso não é ansiedade, é planejamento, isso faz-nos agir com sabedoria e prudência. Porém, o exagero de planejamento, que traz  o medo  e a angústia  é prejudicial e deve ser evitado.
É interessante que percebamos que nossas falhas tentativas de controle só bagunçam a vida ao redor, nada podemos fazer para controlar o futuro, torná-lo seguro para nós. Pelo contrário devemos entender que as ações de Deus  são sempre certas, não são  tentativas de erro e acerto.  Isso nos deixa bem claro como é contrastante a natureza tão santa do Deus Criador e a nossa natureza tão frágil, dependente e falível de ser humano! A Ele Seja a Glória!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

Um caminho sujo para o jovem limpo - Salmo 119.9

Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.  Salmo 119.9

Imagine comigo uma cena : um rapaz  limpo e  cuidadoso , com vestes muito brancas, tem de  cruzar por um caminho difícil e sujo para chegar ao seu destino. Para complicar , o lugar que o espera só o receberá se estiver com suas  vestes limpas. A trilha é lamacenta e ele irá inevitavelmente se sujar. Não há grama, concreto, pedras ou algum atalho identificável, ele terá que passar pelo barro. Para um jovem asseado como ele , a sujeira é desafiadora, incômoda, detestável. Sua aflição é grande por que sabe ter que trilhar este caminho. Mas imagine também que ele ouça alguém que lhe dirige a palavra dizendo: por aqui, escute a minha voz, siga por este caminho, desvie dos buracos. Mais adiante  esta voz lhe  avisa sobre uma poça, um galho, um obstáculo e assim  por diante, conselho sobre conselho, ele vai seguindo sem duvidar que essa voz lhe manterá  longe da sujeira e dos perigos do caminho. Não prec…

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…