Pular para o conteúdo principal

O Suicídio é imperdoável? O que diz a Bíblia?



Suicídio é um assunto delicado, que exige uma reflexão séria e bíblica. Nós lidamos aqui com emoções muito fortes. Pense em um pastor fazendo um culto fúnebre.  É complicado, por exemplo, afirmar que um ente querido que se suicidou não herdará a vida eterna. Não se pode fazer afirmações desta envergadura sem uma reflexão profunda a este respeito.
É mais fácil, para muitos, fugir do tema, dar uma resposta evasiva qualquer e não responder objetivamente a pergunta. É mais fácil mas não é correto.
Existem diversas opiniões a respeito. Uns dizem que o suicídio é um pecado imperdoável, outros dizem que não. Há os que afirmam que um cristão genuíno jamais cometeria suicídio. Outros que Deus não permitiria que tal ocorresse. Há ainda uma posição, assumida por grande parte dos estudiosos reformados, que afirma que os que cometem suicídio não perdem a salvação, nem são considerados perdidos por causa deste pecado. Eu assumo esta última posição. Afirmo que suicídio não é um pecado imperdoável.

Porque o  suicídio não é um pecado imperdoável?

A Bíblia não afirma  que o suicida é inevitavelmente condenado.  O único pecado imperdoável é a blasfêmia contra o Espírito Santo. Não explanarei sobre este pecado aqui. Explico Neste outro post detalhadamente, do que se trata este pecado imperdoável.
O suicida é um assassino, alguém que tira a sua própria vida , em um ato que ser de desespero, rebeldia ou disfunção mental. O motivo exato para que alguém tire sua própria vida só Deus pode julgar acertadamente. Notemos que não é  o suicídio   que determina se uma pessoa  pode adentrar no céu. Um perdido, que não recebeu a Cristo, ao suicidar-se apenas confirma sua perdição. Um salvo ao suicidar-se comete um grave pecado, mas não perde a salvação. A salvação não depende disso.
Podemos ler:

Estas coisas vos escrevi a vós, os que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna, e para que creiais no nome do Filho de Deus.
1 João 5:13

Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória. Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém.”
Judas 1.24-25

Não há dúvidas, não há receios, não há condições. Os que já creram, os que confiam em Jesus estão caminhando rumo aos céus inevitavelmente.

Cristo , quando morreu na cruz do calvário, fez provisão para todos cometidos pelos eleitos desde o seu nascimento até sua morte. Até mesmo no caso de um  salvo , que em dado instante de crise ou fragilidade emocional  dar cabo de sua vida , esse grave pecado ainda seria coberto pelo sacrifício de Jesus.

A pergunta que fazemos então é se um salvo verdadeiramente desejaria pecar de forma tão grosseira contra seu Criador. É o caso de  hoje em dia de questionarmos a sinceridade  da fé de uma pessoa que toma uma decisão tão  destruidora e ofensiva contra a Deus como o pecado de assassinato, ou seja, o suicídio.
Mas como não somos nós que conhecemos a mente e o coração das pessoas, mas Deus, é ele quem poderá avaliar salvação dos que cometem tal pecado.
 O suicídio não é uma boa evidência de salvação.
Resumindo: Pode um suicida ser  verdadeiramente salvo? 
Sim.

Pode um salvo desejar se suicidar?
Só Deus pode julgar as condições mentais em que se encontra a pessoa .
Temos certeza apenas da nossa salvação,  no que concerne a salvação de outra pessoa nosso juízo é apenas parcial e baseado em evidências. E reafirmo:

 O suicídio não é uma boa evidência de salvação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zwínglio o Reformador Completo

Huldreich Zwínglio (1484-1531) foi um homem formidável, acima de seu tempo. Viveu pouco tempo (47 anos) e não é tão conhecido hoje como Calvino ou Lutero, no círculo evangélico. Ele era um teólogo excepcionalmente capaz como Calvino , como também possuía qualidades de liderança e fibra que se distinguiam na personalidade de Lutero.
Zwínglio foi o líder da reforma suíça e fundador das igrejas reformadas suíças. Independentemente de Martinho Lutero, Zwínglio chegou a conclusões semelhantes pelo estudo das Escrituras. Os dois não foram influenciados em suas teologias um pelo outro, suas reformas e inovações se deram em paralelo, naturalmente guiados pelo Espírito Santo.
Ele foi famoso por propor, assim como Lutero, algumas teses que confrontavam a teologia romana. Os 67 artigos de Zwínglio. Clique AQUI para conhecer os 67 Artigos de Zwínglio. Zwínglio contrastava de Lutero pois , apesar de enérgico e implacável contra os desmandos do papa e as heresias romanas , ele sempre contestava …

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…