Pular para o conteúdo principal

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)



O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto.
Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações.
Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus.
Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor.
Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e seguimos a Cristo. Tivemos um encontro com ele e fomos libertos. Foi um maravilhoso encontro com a Luz e a Verdade. A transformação em nossa vida foi enorme.
Mas também não foi aí que aprendemos a conhecer Jesus.
São nos momentos difíceis da jornada é que descobrimos os verdadeiros amigos. Quando o Senhor nos leva para a terra seca e ardente é que começamos a ver quem é nosso Mestre. Aprendemos que podemos contar com ele nos momentos difíceis. Elias foi alimentado por corvos no deserto. Israel comeu pão do céu e bebeu água da rocha na sequidão do Neguev. Eles conheceram o Deus da provisão,  que está conosco nos momentos mais difíceis da caminhada.
Israel mostrou seu coração obstinado e desobediente no deserto. Murmurou e muitas vezes esteve a ponto de perder totalmente a noção de Deus verdadeiro tamanha sua teimosia e falta de fé. Na verdade a dificuldade e as lutas mostram também que  tipo de servo nós somos e que coração possuímos. Se é um coração temente e humilde ou um coração arrogante e obstinado. Se estamos com Deus precisamos confiar plenamente em Deus. O Senhor nunca desampara o seus servos.
O Criador nos ensina a depender somente dele para enfrentarmos a dureza da vida. E ele está conosco em todo momento através do Espírito Santo. Ele nos conduz  por caminhos seguros mesmo aonde só há escuridão. Nossa percepção do amor divino aumenta no meio da adversidade. Compreendemos muito sobre a  imensa sabedoria e bondade de nosso amorável Deus.
Depois de passado o deserto  encontramos o tão esperado repouso. Aí então analisamos o que passou de maneira mais calma e verificamos o fruto de nosso aprendizado espiritual. Percebemos que houve amadurecimento em nossa vida. A fé cresceu , e agora confiamos mais do que nunca em nosso Senhor.

É nesse instante que notamos que  a terra seca e ardente não nos matou de sede, fome ou calor, mas, pelo contrário, estamos mais fortes do que nunca  porque o Senhor nos sustentou.

Comentários

  1. Ganhei essa mensagem de um Homem-Estátua que fazia seu trabalho de artista, ou seja, quiz descobrir o que traz essa frase triste, e percebi que é, um grande aprendizado para vida toda.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Ganhei essa mensagem de um Homem-Estátua que fazia seu trabalho de artista, ou seja, quiz descobrir o que traz essa frase triste, e percebi que é, um grande aprendizado para vida toda.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  3. Ganhei essa mensagem de um Homem-Estátua que fazia seu trabalho de artista, ou seja, quiz descobrir o que traz essa frase triste, e percebi que é, um grande aprendizado para vida toda.
    Obrigada.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

Um caminho sujo para o jovem limpo - Salmo 119.9

Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.  Salmo 119.9

Imagine comigo uma cena : um rapaz  limpo e  cuidadoso , com vestes muito brancas, tem de  cruzar por um caminho difícil e sujo para chegar ao seu destino. Para complicar , o lugar que o espera só o receberá se estiver com suas  vestes limpas. A trilha é lamacenta e ele irá inevitavelmente se sujar. Não há grama, concreto, pedras ou algum atalho identificável, ele terá que passar pelo barro. Para um jovem asseado como ele , a sujeira é desafiadora, incômoda, detestável. Sua aflição é grande por que sabe ter que trilhar este caminho. Mas imagine também que ele ouça alguém que lhe dirige a palavra dizendo: por aqui, escute a minha voz, siga por este caminho, desvie dos buracos. Mais adiante  esta voz lhe  avisa sobre uma poça, um galho, um obstáculo e assim  por diante, conselho sobre conselho, ele vai seguindo sem duvidar que essa voz lhe manterá  longe da sujeira e dos perigos do caminho. Não prec…

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…