Pular para o conteúdo principal

Termômetro da fé. Salmo 119.34


Dá-me entendimento ,  para que eu guarde a tua lei, e a observe de todo o meu coração. Salmo 119.34



Um belo churrasco, bem temperado, bem assado,  sem dúvida é uma coisa maravilhosa. Mas experimente comer seguidamente e você vai ver quantos problemas seu corpo acabará acumulando por causa deste excesso no decorrer dos anos.
Um belo carro, confortável, potente e veloz. Serve para nos levar , levar nossas bagagens e amigos para um belo passeio. Mas se você estiver bêbado, ou exceder a velocidade segura poderá  causar   acidentes terríveis.
O amor é algo lindo, tão bonito de se ver. Noivos conversando , passeando em um parque, fazendo juras de amor eterno. Mas em alguns casos este sentimento se corrompe tornando-se em ciúme e, em nome de ciúmes doentios, muitas pessoas já se tornaram amargas destruindo os relacionamentos e destruindo famílias.

Sim, de muitos modos e por muitas motivações podemos fazer de uma coisa boa algo que prejudica e que destrói.  Apreciando a grandeza deste salmo, meditando versículo após versículo, percebo nele vastos  tesouros de conhecimento a serem explorados, é muita informação e sentimento nestes maravilhosos versos. Apesar disto não posso deixar de observar que ele pode levar o leitor não atento ao legalismo farisaico.
Podemos abusar da boa Lei de Deus e usar para humilhar e machucar a consciência de outras pessoas, exigir delas um detalhismo, um formalismo que afastaria muitos do caminho da Verdade. E infelizmente há muitos que fazem tal uso dos mandamentos do Senhor.
O ser humano é capaz de transformar uma coisa maravilhosa , excelente, em uma maldição para muitas pessoas.
Sim, se não observarmos bem a essência do ensinamento do salmista podemos ser capaz de dizer que ele era um adorador da Lei em vez de um adorador do Deus que fez a Lei. É isso que seria legalismo, um apego exagerado e fora de propósito à Lei, mas sem o amor necessário ao Senhor que promulgou estes juízos. A palavra "legalismo" é , em sentido mais específico, um termo que os Cristãos   usam para definir quem guarda um sistema de regras e regulamentos para alcançar salvação e crescimento espiritual. Legalismo significa pôr as regras acima do próprio Deus e da essência divina que é o amor.  A Bíblia diz em Mateus 12:9-12 que Jesus desejava operar uma cura no dia de sábado, mas os fariseus o condenaram por não escolher outro dia para realizar esta cura. Uma interpretação corrompida da Lei de Moisés. Jesus não se preocupou com este detalhe cerimonial e operou o bem , mesmo sendo o dia de sábado.  A essência da Lei é o Amor a Deus e o amor ao próximo.
Mas o mau uso não é motivo suficiente para desprezar os maravilhosos preceitos deixados por Deus a nós, para nosso bem. Fica claro que não era legalismo o que o escritor do salmo tinha no coração ao compor estes versos.
Ele queria buscar entendimento para poder cumprir a lei de Deus, mas não de qualquer forma, ele desejava fazer fazê-lo de coração.  Para isso era preciso sabedoria, uma sabedoria para não apenas memorizar os estatutos divinos, mas introduzi-los dentro de sua alma.
O orador roga pela orientação divina a fim de orientar sua vida e afastá-lo da insensatez. Ele não quer dizer-se um adorador do Deus de Israel e não obedecer de coração ao Deus de Israel.
Devoção sem obediência é uma mentira, uma falta de sensatez!
Apesar de sermos salvos pela graça  a obediência é o termômetro da nossa fé. 

É importante que tenhamos sabedoria para amar ao Senhor e aos seus mandamentos sem cair no legalismo maldito.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…