Pular para o conteúdo principal

Amor - Lei eterna de Deus. Salmo 119.44

Assim observarei de contínuo a tua lei para sempre e eternamente.  Salmos 119.44



Qual a diferença entre para sempre e eternamente? Muito diriam que somente na grafia das expressões, por que  sabemos claramente que elas são sinônimas, ou seja, possuem o mesmo significado.
Eu entendo que na linguagem corriqueira isso se aplica, mas na linguagem poética do salmista isso possuía muito  mais que este mero significado. O que ocorre, quando  salmista coloca as duas proposições juntas é que isto significa que ele está dando mais ênfase a última.


Parece bem difícil de imaginar a eternidade, na verdade é impossível. Nossa mente finita não abarca o infinito.

De fato a eternidade é a casa de Deus. É onde ele se move. Seu lugar de referência.
Nossa casa é mortal, dura 100 anos ou no máximo cento e alguns, mas vamos passar, não viveremos literalmente para sempre. Mas a eternidade é a casa de Deus, pertence ao seu ser, eternidade pertence exclusivamente a Deus, nem anjos, nem demônios, nem as criaturas da terra possuem este atributo. Todos estes seres foram criados, passaram a existir em dado momento. Deus não, ele sempre foi e sempre será a causa primeira de todas as coisas.

Poeticamente o salmista quis expressar seu desejo de estar para sempre na presença do Senhor, para isso ele se propunha a ser um servo dedicado, que estava disposto a cumprir rigorosamente a observância da divina lei.
 Percebam que o salmista estende a importância da lei para além desta vida terrena.  Jesus concorda com ele , séculos depois ao afirmar , conforme registrado no livro de Lucas 21.33:

"Passarão os céus e a terra, mas as minhas palavras não passarão"

e ainda outra vez, em Mateus 5.17  diz:

"Eu não vir para abolir a lei , mas para cumpri-la "

É interessante observar que analisando desta forma percebemos que este tipo de lei não  pertence só a humanidade, é uma lei infalível, uma lei que vige pela eternidade, uma lei que cruza a história do homem na terra , mas não se limita a ela.
Ela é uma lei que jamais findará, jamais acabará, uma lei que nos dá segurança, que nos dá certeza e convicção de sua infalibilidade, sua constância e sua firmeza. A lei que nos torna um com Deus e com nossos irmãos.
Ora, é óbvio que não se trata da lei mosaica, pura e simplesmente, pois a lei de Moisés é ampla, detalhada e refere-se a cerimônias, rituais, e até mesmo detalhes específicos sobre a vida humana na congregação de Israel. O que ocorre é que  no âmago da lei mosaica está a lei por excelência que foi tornada clara nas palavras de Cristo:

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22: 37- 39)

A lei que nos torna um, que nos torna filhos de Deus, amigos de Deus, é a lei que nos ensina amar, quem não ama não conhece o fundamento eterno da lei, não conhece a Deus e não sabe o que é ser cristão.

Tenho convicção que é desta lei, que o salmista trata, embora ele não possa , ou não saiba como expressar isso ( Cristo ainda não havia introduzido a perfeita revelação do amor de Deus).
Esta lei é que se revela a Igreja nos dias de hoje como um mandamento eterno. Esta lei que nos garante que Deus não rejeita quem ele escolheu, por que está na sua lei, a lei do amor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zwínglio o Reformador Completo

Huldreich Zwínglio (1484-1531) foi um homem formidável, acima de seu tempo. Viveu pouco tempo (47 anos) e não é tão conhecido hoje como Calvino ou Lutero, no círculo evangélico. Ele era um teólogo excepcionalmente capaz como Calvino , como também possuía qualidades de liderança e fibra que se distinguiam na personalidade de Lutero.
Zwínglio foi o líder da reforma suíça e fundador das igrejas reformadas suíças. Independentemente de Martinho Lutero, Zwínglio chegou a conclusões semelhantes pelo estudo das Escrituras. Os dois não foram influenciados em suas teologias um pelo outro, suas reformas e inovações se deram em paralelo, naturalmente guiados pelo Espírito Santo.
Ele foi famoso por propor, assim como Lutero, algumas teses que confrontavam a teologia romana. Os 67 artigos de Zwínglio. Clique AQUI para conhecer os 67 Artigos de Zwínglio. Zwínglio contrastava de Lutero pois , apesar de enérgico e implacável contra os desmandos do papa e as heresias romanas , ele sempre contestava …

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…