Pular para o conteúdo principal

Um delicioso banquete. Salmo 119.77

Baixem sobre mim as tuas misericórdias, para que eu viva; pois na tua lei está a minha delícia. Salmo 119.77


O que você  entende quando ouve falar de Bíblia? O que imagina ao enxergar uma? O que pensa quando um pastor ou pregador faz a recomendação de que devemos ler mais a Bíblia?
É bom saber que, em vários contextos a palavra lei pode ser traduzida também por instrução, ensinamentos. O que vem à sua mente quando pensa nos ensinamentos de Deus?
Bom, poucas pessoas imaginam a Bíblia como um  banquete servido. Pois é isso que o salmista entende que a instrução do Senhor é. Ele enxerga a Instrução divina como uma delícia. Uma mesa farta, servida com iguarias saborosas que servem para saciar nossa fome e deleitar nosso paladar. Usualmente   inclui diversas entradas, pratos principais e sobremesas. A pessoa que organiza e cobre os gastos de um banquete é chamada de anfitrião. Neste caso, Deus é nosso anfitrião.
Neste sentido temos um banquete, a Bíblia e também temos um anfitrião que nos serve a Palavra, o próprio Espírito Santo.
Quando abrimos a Palavra estamos diante de um banquete para a alma. A imagem que o salmista nos traz e muito apropriada. Ele diz
"Baixem sobre mim as tuas misericórdias para que eu viva."
Ali está o salmista ,  ele está preocupado , ele está em perigo, ele deseja que Deus o preserve com vida, ele clama pela misericórdia divina. Mas o que ele precisa? Que perigo ele corre, que riscos sua vida está enfrentando? Do que está precisando?
Lendo o restante do versículo percebemos de que ele tem necessidade, de que ele precisa, o que o Senhor necessita supri-lo para que ele se mantenha vivo: Ele anseia pela instrução de Deus, anseia ser edificado pela Palavra. Sem ela , o salmista morreria de inanição espiritual.   Ele diz em outras palavras:
"Senhor dá-me a tua deliciosa Palavra para que eu possa viver!"
"Senhor usa de misericórdia comigo , eu preciso da tua maravilhosa instrução, eu tenho prazer nela, ela me satisfaz!"
O próprio Cristo faz uma símile entre a comida terrena e a comida da alma, ele  afirma em Mateus 4. 4: 
Jesus, porém, afirmou-lhe: “Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus’”. 
Assim como a alma do salmista precisa das delícias da instrução divina , a alma do crente atualmente também necessita de um delicioso banquete de instrução da Palavra.
Imagino-me servido esplendidamente das melhores iguarias: à mesa estou sentado, garfo e faca na mão,  guardanapo no pescoço e uma fome imensurável no estômago. Ali os olhos brilham diante dos deliciosos pratos ali servidos. Que fome! E quanto há de coisas saborosas para experimentar!
Não é diferente na exposição das Escrituras. Eu mesmo, quando me assento para ouvir a exposição  séria, competente e inspirada da Bíblia por um irmão, estou servido num banquete. Com um cardápio delicioso.  E que cardápio variadíssimo, saborosíssimo! Um pregador abre a Bíblia  em Reis, outro escolhe Salmos, um escolhe algo mais temperado como Gálatas, Sofonias. Outro escolhe algo mais  suave como um Cantares ou o Evangelho de João. Há ainda os que preferem servir de sobremesa Provérbios, que é  tão saboroso quanto os outros cardápios. Neste maravilhoso banquete servido pelo Espirito Santo há sempre alimento fresquinho  e saboroso para nossa alma. O Espirito de Deus, maravilhoso "cozinheiro " sempre prepara as refeições na hora, usando sempre os mesmos 66 ingredientes, mas a comida sai sempre diferente e saborosa,  servindo para alimentar nosso espírito.
Deus é misericordioso e nos preparou este maravilhoso alimento para nossa alma, e nos dotou de prazer para apreciá-lo. É imperioso pois que desfrutemos dele.
Se não nos alimentarmos da Palavra nossa alma morrerá a míngua, de fome e seremos derrotados pelos nossos adversários. Já comeu seu banquete hoje?
Não?
Então abra sua Bíblia agora e mate sua fome espiritual.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zwínglio o Reformador Completo

Huldreich Zwínglio (1484-1531) foi um homem formidável, acima de seu tempo. Viveu pouco tempo (47 anos) e não é tão conhecido hoje como Calvino ou Lutero, no círculo evangélico. Ele era um teólogo excepcionalmente capaz como Calvino , como também possuía qualidades de liderança e fibra que se distinguiam na personalidade de Lutero.
Zwínglio foi o líder da reforma suíça e fundador das igrejas reformadas suíças. Independentemente de Martinho Lutero, Zwínglio chegou a conclusões semelhantes pelo estudo das Escrituras. Os dois não foram influenciados em suas teologias um pelo outro, suas reformas e inovações se deram em paralelo, naturalmente guiados pelo Espírito Santo.
Ele foi famoso por propor, assim como Lutero, algumas teses que confrontavam a teologia romana. Os 67 artigos de Zwínglio. Clique AQUI para conhecer os 67 Artigos de Zwínglio. Zwínglio contrastava de Lutero pois , apesar de enérgico e implacável contra os desmandos do papa e as heresias romanas , ele sempre contestava …

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…